quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Ele é o cara #3

Existem muitos diretores de cinema bons. Existem muitos diretores de cinema perfeitos. Mas existe um que é fora do normal, que com suas produções nos transporta para um universo paralelo, cheio de armas, sangue, ironia, situações perigosas e momentos bizarros. Esse diretor é Quentin Tarantino, que, na semana passada disse já estar pensando em se aposentar.


Quentin Jerome Tarantino é o mais famoso entre os jovens diretores de cinema, e é um dos responsáveis pela mudança de padrão nos filmes hollywoodianos na década de 90. Ficou bastante conhecido por seus roteiros não-lineares e sua forma bem peculiar de dirigir, que pode ser percebida através de seus filmes carregados de violência e com diálogos memoráveis. Ele também tem um conhecimento amplo sobre todo tipo de filme, desde os mais populares até os considerados mais "cabeça".

Tarantino iniciou os estudos em atuação aos 16 anos, e aos 22 escreveu seu primeiro roteiro, e isso passaria a ser sua principal ocupação, mesmo após concluir o curso na Allen Garfield's Actor's Shelte. Os primeiros roteiros que lhe deram visibilidade foram "Amor à queima roupa" e "Assassinos por natureza"

Durante uma festa Hollywood ele conheceu o produtor Lawrence Bender, que o convenceu a dirigir um filme, o que resultou em "Cães de aluguel", uma consagrada parceria entre os dois, e que definiria o estilo dos próximos filmes de Quentin: cheios de estilo e violência.

A partir daí, Tarantino recebeu diversas propostas para dirigir alguns blockbusters, mas recusou, pois já estava planejando seu próximo trabalho. Ele viajou para Amsterdã e ficou lá recluso trabalhando no roteiro de "Pulp Fiction", juntamente com Roger Avary. Lançado em 1994, o filme ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes, junto com "Sexo, mentiras e videotape" de Steven Soderbergh e "Roger e eu", de Michael Moore. Esses filmes independentes viriam a mostrar a indústria que esse tipo de trabalho também dava dinheiro. 

"Pulp Fiction" é, talvez, o filme que deixou Quentin mais conhecido no mundo inteiro; com seu roteiro complexo, sua história dividida em atos e as muitas referências à cultura pop, marcou definitivamente o estilo do diretor, que criou personagens verborrágicos e abusou da violência. Foi graças a esse filme que John Travolta voltou ao mundo do cinema. Tarantino e Avary ganharam por esse trabalho o Oscar de melhor roteiro original, além da indicação na categoria Melhor Filme.

Em 1996, Quentin escreveu o roteiro e atuou ao lado de George Clooney em "Um drink no inferno" e no ano seguinte interpretou Jackie Brown, uma adaptação do romance "Rum Punch", do escritor Elmore Leonard, um de seus mentores. Foi nessa mesma época que Tarantino pensou em produzir "Bastardos Inglórios", mas adiou a ideia para escrever "Kill Bill". Esse filme é uma homenagem aos antigos filmes japoneses de samurai, anime e trash.  



Inicialmente planejado para um único filme, "Kill Bill" foi lançado em 2 partes devido à sua duração de 4 horas; a primeira parte foi aos cinemas em 2003 e a segunda em 2004, consagrando Quentin como um dos maiores diretores de sua geração. Seguindo a mesma linha dos anteriores, o filme é carregado de violência, referências à música popular e à cultura pop. Interpretada com excelência por Uma Thurman, Beatrix Kiddo busca vingança a qualquer custo contra aqueles que tentaram acabar com sua vida no passado. Destaque para a belíssima luta de espadas entre a "Mamba Negra" e O-Ren Iishi no restaurante japonês e para o massacre contra seus guarda-costas, que acabam todos mortos por Kiddo, num banho de sangue cheio de momentos cômicos.


Depois disso, Quentin trabalhou em alguns episódios de séries de TV, e depois, retomou a produção de "Bastardos Inglórios". Já em 2009 o filme foi lançado, trazendo Brad Pitt no papel principal, como o líder de um grupo de soldados judeus que mata componentes do exército alemão e é recrutado para ajudar numa emboscada para matar Hitller. Brad está perfeito em sua atuação, mesclando momentos de crueldade com outros de humor refinado, marca registrada do diretor. O filme ainda traz no elenco um brilhante Cristoph Waltz que interpreta o Coronel Hans Landa; ele não tem escrúpulos e é um exímio caçador de judeus.



Atualmente, Tarantino trabalha em seu novo filme "Django Unchained" (Django Livre), que tem previsão de estreia para o próximo dia 25 de dezembro. O elenco conta com Jamie Foxx, Leonardo DiCaprio, Samuel L. Jackson e mais uma vez Christoph Waltz. Escrito e dirigido por Quentin, o filme é um faroeste onde o personagem principal está em busca de vingança. Pode parecer repetitivo, mas, em se tratando do diretor, nada pode ser como já foi antes, e, certamente, o filme nos trará muitas surpresas.



O filme inicialmente se chamaria "The angel, the bad and the wise", em homenagem ao cineasta Sergio Leone, de quem o diretor é fã, mas ele decidiu mudar para "Django Unchained" por causa do antigo filme "Django" de 1966, estrelado por Franco Nero, que faz uma participação no filme de Tarantino.

Abaixo, o trailer de divulgação do filme. Enjoy it!




Um comentário:

  1. Realmente...O cara, não pode aposentar nunca! E esse trailer é de arrepiar!

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!