sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Sexta de música #9

Doodle do Google hoje, em homenagem ao fim do mundo segundo o calendário Maia

Feliz Mundo Novo para vocês leitores!

E não é que a profecia Maia não se cumpriu, e o nosso mundo continua inteiro como sempre?

Para comemorar vamos de música temática: Adriana Calcanhoto com "E o mundo não se acabou", que reflete bem o sentimento que nos toma quando imaginamos o que seríamos capazes de fazer se o mundo realmente estivesse por acabar, e depois, inspirada pelo tema tocado pelo Ultraje a Rigor no programa "Agora é tarde" de ontem, R.E.M com "It´s the end of the world as we know it".

Mas antes de ouvirmos as músicas, queria indicar aqui o livro que o historiador Marcelo Lambert mostrou ontem no mesmo programa, intitulado "Civilização Maia - história e pensamento", que trás explicações coerentes confirmando o calendário Maia nunca afirmou que o mundo não vai acabar hoje. Para quem se interessar em conhecer melhor o trabalho do professor, é interessante adquirir o livro, e, se vocês não puderem, assistam ao vídeo da entrevista, está bem interessante e tem também um outro convidado (louco, rs) que afirma que o fim dos tempos está realmente agendado para hoje, clicando aqui.

Então vamos ao que realmente interessa, as músicas: 

"E o mundo não se acabou" está no primeiro CD ao vivo d Adriana Calcanhoto, lançado em 2000. Talvez a cantora seja mais conhecida por suas músicas em trilhas sonoras de novelas da TV Globo, como "Mentiras" em "Renascer" (1993) e "Vambora" que fez parte de "Torre de Babel" em 1998. Ela também fez uma performance muito interessante na Livraria Argumento, no Rio de Janeiro, onde musicou vários poemas do poeta português Mário de Sá Carneiro (1890-1916), tendo, inclusive, gravado uma dessas músicas - "O outro" - no álbum "Público", que é nosso objeto de estudo aqui. Esse CD trás regravações de alguns sucessos de Adriana, e dentre eles está a música que poderia embalar a ressaca de quem realmente acreditou que o mundo acabaria hoje. Acompanhem a letra: 

"Anunciaram e garantiram que o mundo ia se acabar
por causa disso, minha gente lá de casa começou a rezar
e até disseram que o sol ia nascer antes da madrugada
por causa disso essa noite lá no morro não se fez batucada.

Acreditei nessa conversa mole
pensei que o mundo ia se acabar
e fui tratando de me despedir
e sem demora fui tratando de aproveitar
beijei a boca de quem não devia
peguei na mão de quem não conhecia
dancei um samba em traje de maiout
e o tal do mundo não se acabou..." 


A segunda música de hoje é do R.E.M., banda norte-americana pela qual não morro de amores, mas acho essa canção interessante. Ela está no álbum "Document" lançado em 1987, e tentava analisar como seria o mundo dentro de alguns anos, totalmente diferente daquele que eles estavam vivendo no momento. Na verdade, muita coisa mudou desde então, mas ainda temos os mesmo velhos problemas desde aquela época, e a perspectiva de mudanças não é mais tão utópica como era nos anos 80. Mas ainda assim, a letra se encaixa na proposta do post, vamos a ela (em português, ok?):

"Isso é ótimo,
começa um terremoto
pássaros e cobras
um avião
..............
Olhe para aquele avião voando baixo!
bem, então
população abundante, comida comum mas isso bastará.
Salve-se, sirva-se
o mundo serve suas próprias necessidades,
escute a batida do seu coração.
...............
É o fim do mundo como a gente conhece
É o fim do mundo como a gente conhece e eu me sinto bem..."


Encerro desejando à vocês sábios leitores que aproveitem esse mundo que temos da melhor maneira possível, já que a qualquer momento ele pode acabar (ou não, rs). 

Um ótimo Natal a todos, volto semana que vem!





Um comentário:

  1. O mundo não acabou e nem era pra acabar, vamos continuar a vidinha...pelo menos com ótimas músicas!

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!