sábado, 5 de janeiro de 2013

Li até a página 100 e... #3


A centésima página de hoje é do livro:

Os insones
Tony Bellotto
Editora Cia. das Letras
235 páginas









Primeira frase da página 100:

"Mônica!"

Do que se trata o livro?

Samora Machel da Silva, um jovem negro e de família de classe média, tem uma vida boa e estuda nos melhores colégios, mas acaba sendo seduzido por um ideal revolucionário ao estudar a história de Che Guevara, e quer mudar o mundo. 

O que está achando até agora?

Estou gostando muito! Adorei esse estilo de escrita, rápido e dinâmico. Já tinha lido outros livros do autor, mas esse é bem diferente, e realmente me surpreendeu.

Melhor quote até aqui: (esse é um pouco extenso, mas achei legal)

"Felipe estava no quarto, com a porta trancada. Tinha colocado algumas armas sobre a cama. A TV estava ligada na MTV. Adolescentes debatiam sobre homossexualismo. Felipe sentiu saudades do tempo em que a MTV mostrava clipes de música, e não um bando de babacas falando besteira. Desligou a TV, ansioso, meio mal-humorado. Pegou a flanela na gaveta da cômoda e começou a lustrar as armas. Gostava de sentir o tecido sob os dedos deslizando pela alavanca de desmontagem. Aquilo o acalmava. Corria a flanela obstinadamente sobre a alça de mira e a culatra municiadora. Passou a palma da mão pelo cano, sentindo o toque frio do aço. Conhecia os nomes de cada peça de engrenagem de uma pistola ou de uma submetralhadora. Alguém bateu na porta.
"Felipe, quer um Nescau?", perguntou Velma.
Felipe entreabriu a porta e pegou o copo. Velma tentou olhar o que acontecia dentro do quarto.
"Estou limpando as armas", ele disse.
"Toma cuidado com essas armas, pelo amor de Deus."
"Não estão carregadas, Velma."
Felipe fechou e trancou a porta. Olhou-se de relance no espelho do armário. Sentiu-se patético segurando aquele copo de Nescau."

Algum personagem merece destaque?

Com certeza a Sofia merece ser destacada, por ser uma completa sem noção, iludida por uma ideia absurda. Mas, apesar disso, ela é bem corajosa. 
Outro personagem interessante, porém secundário, é o Jorge Clunei, só pelo nome engraçado mesmo.

Vai continuar lendo?

Sim. Aliás, já estou quase terminando, o ritmo é viciante e está impossível parar de ler.

Última frase dessa página:

"Não tem a ver com judaísmo?"

*** Logo logo venho com a resenha desse livro, aguardem ;)

Um comentário:

  1. Nunca li nada dele, mas já me interessei. O trecho que você escolheu é curioso porque parece que o livro mostra questões importantes um pouco negligenciadas pelo cotidiano ou até a "cotidianização" das coisas, a banalização talvez. Posso estar redondamente enganada, mas vale a intenção. Valeu o post!

    Abraços,

    Sarah.
    http://chadechama.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!