segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Pulando o Carnaval - dia 2

Hoje continuamos com nosso Carnaval literário e vamos falar sobre as irmãs Brontë. Apesar de serem 3 irmãs escritoras (Emily, Charlotte e Anne), vamos comentar sobre as 2 mais famosas e suas grandes obras:


As Brontë perderam a mãe cedo e foram mandadas para um internato, onde sofriam mal tratos e viviam em condições precárias, o que pode ter causado a morte por tuberculose de Maria e Elizabeth. O pai resolveu tirar as crianças da escola para serem educadas em casa, o que se resumia a usar a biblioteca, onde aprenderam a ler, escrever e fazer contas, junto com seu irmão, Patrick. Nessa época, seu entretenimento era escrever histórias: Charlotte criou o mundo imaginário de Andria, enquanto Emily e Anne criaram o seu próprio universo, e o irmão delas ilustrava alguns de seus textos (inclusive a imagem acima, onde ele retratou as três irmãs e pintou apenas a sua sombra entre elas).

Em 1845, Charlotte propôs às irmãs que publicassem uma coletânea com seus poemas. Para isso, elas decidiram usar pseudônimos masculinos, alegando, posteriormente, que as mulheres eram vistas com certo preconceito naquela época: Poems by Currer, Ellis and Acton Bell foi publicado em 1846, e, apesar de receber algumas críticas favoráveis no início, o livro foi um fracasso comercial. O interessante é que elas usaram a mesma inicial de seus nomes verdadeiros para a autoria desse livro. Quanto ao preconceito, elas tinham razão, pois os poemas foram considerados vulgares pelos críticos que ainda colocavam em dúvida se Currer Bell seria homem ou mulher.


Charlotte Brontë era a mais velha das três irmãs e seu primeiro romance, "Jane Eyre", foi publicado ainda sob o pseudônimo de Currer Bell. Com o sucesso de seu livro, ela foi convidada por seu editor a visitar Londres, onde ela acabaria por revelar sua verdadeira identidade ao começar a frequentar um novo círculo social, cheio de outros escritores. "Jane Eyre" tinha inspirado um movimento feminista no meio literário, onde a personagem principal era vista como uma mulher forte, totalmente contrária à personalidade da autora.


Em março de 1855, Charlotte morreu, juntamente com o filho que esperava, de causas que até hoje não são confirmadas: o atestado de óbito diz que foi de tuberculose, mas há quem diga que foi de desidratação, por decorrência de vários enjoos e vômitos que ela vinha tendo há algum tempo.

Sua obra mais famosa foi adaptada para o cinema: o filme mais recente é de 2011, e foi dirigido por Cary Fukunaga. Tem como intérpretes principais Mia Wasikowska (Jane Eyre), Michael Fassbender (Edward Rochester) e Jamie Bell (St. John Rivers), e você pode curtir o trailer aqui embaixo:




Emily Brontë é a irmã da qual se tem menos informações, pois ela era muito introspectiva e reclusa. Ela também participava das criações dos mundos imaginários com seus irmãos e da criação de jornais e artigos que eles escreviam. Emily ouvia muitas histórias contadas pela empregada da família e foi muito influenciada por elas, tanto que a personagem Nely Dean, de "O morro dos ventos uivantes" foi criada em homenagem a ela.

Na mesma época em que sua irmã Charlotte foi estudar em Roe Head, Patrick começou a beber, e Emily passou a viver isolada em seu próprio mundo. Mais tarde, Charlotte foi convidada a lecionar nesse colégio, e resolveu levar a irmã consigo, mas, devido a sua timidez, ela não se habituou e voltou para casa, onde vivia extremamente sozinha e totalmente reclusa.

Quando terminava seus afazeres domésticos, ela escrevia alguns poemas, que escondia de todos, menos de Charlotte, que acabou por enviar alguns ao poeta William Wordsworth, que disse que ela não escrevia bem e deveria desistir. Emily ainda tentou ser professora no mesmo colégio que a irmã, mas a timidez não permitiu que ela levasse a frente essa tarefa.


Emily publicou seu único livro, "O morro dos ventos uivantes", em 1847, ainda sob o pseudônimo de Ellis Bell, e sua história não foi compreendida na época: as pessoas acharam que o clima era muito tenso. Mais tarde o livro entrou para a lista de clássicos definitivos da literatura, e foi várias vezes adaptado para o cinema. A primeira delas data de 1920, e foi dirigida por A. V. Bramble, enquanto a mais conhecida do grande público é do ano de 1992, e tem como intérpretes de Heathcliff o ator Ralph Fiennes e Juliette Binoche como Catherine.


Existem ainda algumas versões do livro feitas em musicais, e foi num deles que o diretor Bernard J. Taylor usou a música "Wuthering Heights", interpretada pela cantora britânica Kate Bush, de 1978.


Essa mesma música foi regravada pela banda Angra, em 1993, e você pode ouvi-la clicando aqui.  

2 comentários:

  1. Que legal essa historia não cohecia.

    ResponderExcluir
  2. Adorei!!!! É importante que as pessoas conheçam essas biografias e, assim, façam uma interpretação das obras das irmãs com maior clareza!!!!

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!