segunda-feira, 18 de março de 2013

Diálogos impossíveis - resenha



"Drácula e Batman discutem no asilo, Robespierre tenta subornar o carrasco. Goya e Picasso conversam sob o sol da Côte d'Azur. Juvenal planeja matar a mulher, Marinei, que o despreza. A recém-casada Heleninha pede conselhos ao urso de pelúcia. Nas crônicas reunidas neste volume, Luis Fernando Veríssimo escreve sobre impossibilidade, incomunicabilidade e mal-entendidos. Escreve, enfim, sobre a vida."

Nesse livro estão reunidas algumas crônicas de Veríssimo, já publicadas anteriormente nos jornais "O Estado de S. Paulo" e "Zero Hora". Com o bom humor que lhe é característico, ele retrata alguns dos momentos mais corriqueiros de nossas vidas, de maneira simples e muito divertida.

Usando como mote os diálogos mais improváveis (e hilários), o autor explora as situações delicadas e curiosas que podem acontecer com qualquer um de nós a qualquer momento, como por exemplo, no texto "A tática da bolsa", onde uma mulher monta um super plano para conhecer o homem dos seus sonhos, e, quando consegue colocá-lo em prática, percebe que o alvo não era tão "homem" quanto ela imaginava.

O livro tem 45 crônicas muito bem escritas e facílimas de ler. Como são textos pequenos, o livro fica mais fácil e rápido de ler, e é difícil parar enquanto não chegamos ao seu final: acaba uma estória e queremos passar para a próxima e a próxima sem parar!

Minhas crônicas preferidas foram: "A diferença", onde Batmam e Drácula conversam sobre seu passado; "Paula", quase como um "Senhor e Senhora Smith", o marido descobre que sua esposa na verdade é uma espiã; "Dia das mães", retrata um inusitado almoço em família em que a mãe se casou com outra mulher, mas seus filhos não conseguem aceitar esse novo relacionamento, e demonstram seu descontentamento não presenteando a madrasta no dia das mães; "RSVP": imagine ser convidado para participar da Santa Ceia!!!; "Dom Juan e a morte", o título fala por si só: o conquistador tenta ludibriar a morte com seu charme irresistível; "Geoffrey" com uma leitora voraz que adora se sentar sozinha na areia da praia, e acaba tendo um sonho no mínimo revelador sobre o livro que está lendo; "A sopa", que enfatiza aquele pequeno detalhe nas atitudes do marido que irrita a mulher durante anos de casamento, mas que ela nunca comentou antes; e claro "Estátuas", o maravilhoso texto que coloca, hipoteticamente, frente a frente as estátuas de Carlos Drummond de Andrade, Fernando Pessoa e Mário Quintana, para refletirem sobre a sua eterna condição de estátua de bronze, condenado a ficar paralisado eternamente, sem poder criar novos poemas, ainda que sua inspiração continue em movimento.

 Para quem gosta de uma boa leitura, daquelas que nos fazem esquecer dos problemas do dia a dia, esse livro é perfeito: Veríssimo é capaz de usar o assunto mais corriqueiro ou monótono para nos fazer sorrir e pensar nas situações absurdos pelas quais passamos duranta a vida.

Diálogos Impossíveis
Luis Fernando Veríssimo
editora Objetiva
175 páginas

2 comentários:

  1. Oie minha querida Joana, tudo bem com vc querida ? Espero que sim, porque eu ando numa correria que você nem imagina hahahaha....

    Mas olha, estava lendo sua resenha e achei a história interessante, mas não faz muito meu gênero. Deve ser legal a história e tudo mais, mas eu acho que não vou julgar antes de ler, porque acho que julgamos muito pela capa e eu sou um pouco assim também. Mas quem sabe qualquer dia eu me interesso em ler ele. Ficou muito boa sua resenha. Gostei bastante. beijinhos

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    OBS: Me desculpe linda pela ausencia desses dias, mas n deu mesmo para entrar =]

    ResponderExcluir
  2. Eu adoro uma leitura que faz esquecer os problemas do dia a dia, vou colocar esse livro na lista *-*

    Beijos
    Pepper Lipstick

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!