terça-feira, 9 de abril de 2013

As Crônicas de Gelo e Fogo - resenha


"Quando Eddard Stark, lorde do castelo de Winterfell, aceita a prestigiada posição de Mão do Rei oeferecida pelo velho amigo, o rei Robert Baratheon, não desconfia que sua vida está prestes a ruir em sucessivas tragédias.. Sabe-se que Lorde Stark aceitou a proposta porque desconfia que o dono anteior do título fora envenenado pela manipuladora rainha - uma cruel mulher do clã Lannister - e sua intenção é proteger o rei. Mas ter como inimigo os Lannister poe ser fatal: a mabição dessa família pelo poder parece não ter limites e o rei corre grande perigo. Agora, sozinho na corte, Eddard percebe que não só o rei está em apuros, mas também ele e toda sua família."

Demorei um mês para ler esse livro, mas ele vale cada minuto. Mesmo eu que não gosto muito desse gênero, me rendi ao estilo de George R. R. Martin. Com seus personagens complexos e um enredo bem costurado me fizeram cair de amores pela obra desse seguidor de Tolkien, o autor de "O Senhor dos Anéis".

Nesse primeiro livro da série "Guerra dos Tronos" conhecemos a família Stark, que governa as terras do norte e é composta por Eddard, sua esposa Catelyn Tully e seus filhos: Robb, o mais velho e responsável pela família na ausência de seu pai, Sansa, uma perfeita dama que está prometida para o príncipe Joffrey, Arya, apaixonada por espadas e duelos, uma menina que gosta de coisas de menino, como lutas de espadas, Brann, um garoto que vive tendo sonhos cheios de premonições e Rickon, o caçula da família, além do filho bastardo de Ned, John Snow, que decide ir para longe de casa, fazer parte da patrulha que defende a Muralha, única proteção dos Sete Reinos contra os perigos que existem no resto do mundo.

Quando Ned é convidado por Robert Baratheon para ser a "Mão do Rei", ou seja, seu principal conselheiro e segundo homem mais poderoso nos Sete Reinos, tudo começa a mudar em sua vida: ele vai viver no castelo e a partir daí sua família começa a se separar, e eles vão se envolvendo em várias situações trágicas, enquanto a guerra pela conquista do Trono de Ferro vai levando o mundo à ruína completa.

Ned Stark é muito importante no desenvolvimento da trama, mas cada personagem tem seu espaço e seu peso dentro da estória, tanto que cada capítulo do livro é contado sob a visão de um personagem diferente, o que nos permite ver os acontecimentos pela sua perspectiva, e assim vamos conhecendo cada vez mais as características de cada um.

Além da família Stark, também conhecemos nesse volume a família do Rei Baratheon, com sua esposa, a rainha maquiavélica, Cersei Lannister, e seu filho Joffrey, um moleque mimado e com um estranho gosto pela crueldade.  A rainha é do clã dos Lannister, uma família extremamente rica e que quer o ter o poder, custe o que custar. Seu irmão, Jayme faz parte da guarda real e também é seu amante, enquanto o irmão mais novo dos dois, o anão Tyron, dono de um senso de humor refinado, é renegado por toda a família e tenta provar a seu pai que tem o seu valor.

Do outro lado da disputa pelo trono estão os irmãos Targaryen, últimos descendentes da família real que precedeu Baratheon no trono, e que foi deposta por ele com a ajuda de Ned Stark. Daenerys e Vyseris têm como único objetivo em suas vidas reconquistar tudo aquilo que lhes foi tomado, e fazem qualquer coisa para alcançá-lo, mesmo que tenham que pagar altos preços para isso.

Durante a leitura nosso ponto de vista muda a todo momento: se num capítulo estamos torcendo para Ned, no outro já estamos sentindo raiva dele e desejando que Dany consiga seu exército para retomar o trono... é uma relação de amor e ódio com os personagens até o último parágrafo, e isso deixa a leitura emocionante. Eu, por exemplo, torço muito para Tyron e Daenerys, mas também gosto da Arya, com aquele seu jeitinho moleque. Por outro lado, quero que Joffrey se dê muito mal, rs.

Dizem que o autor é fã da obra de Tolkien e que se inspirou nela para criar essa saga. Ainda bem que ele apenas se inspirou em "O Senhor dos Anéis", por que eu não consegui terminar de ler a trilogia, com todos aqueles detalhes minuciosos sobre cada folhinha das árvores e a lentidão em desenvolver a estória me cansaram muito e eu abandonei a leitura. Já no livro de Martin esses detalhes são descritos com mais dinamismo, e tudo fica mais fácil e mais rápido, as coisas acontecem e, ainda que ele se atenha a esse ou aquele pormenor, sua narrativa flui, e isso foi o que eu mais gostei nesse livro.

Para quem gosta do gênero, vale muito a pena essa leitura, mesmo precisando de bastante determinação para encarar um calhamaço de quase 600 páginas =]. A estória é cheia de elementos medievais e personagens bem construídos, que nos fazem sentir como se estivéssemos em meio ao inverno congelante do Norte. Ao final da leitura dá vontade de sair correndo e começar a ler o segundo livro imediatamente, só para ficar mais perto daquelas pessoas mais um pouco.

"A Guerra dos Tronos"
George R. R. Martin
editora Leya
592 páginas

2 comentários:

  1. Eu queria comprar esse livro, mas não sabia nada da história. Agora eu tenho a certeza que vou correndo a livraria comprar.
    Só tenho uma dúvida a coleção completa da saga já terminou ou está em andamento?
    Obrigado
    Klynton Borges.

    ResponderExcluir
  2. Parece que o autor ainda está escrevendo... aja criatividade!
    Compre sim Klynton, se vc gosta desse estilo de literatura, com certeza vai adorar o livro.

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!