segunda-feira, 1 de julho de 2013

Um pouquinho de...


"... quando ela começava a escrever uma história, ninguém podia saber. Fingir com as palavras era uma coisa tão hesitante, tão vulnerável, tão constrangedora, que ninguém podia ficar sabendo. Só de escrever 'disse ela' ou 'e então', Briony envergonhava-se, sentia-se ridícula, por fingir conhecer as emoções de um ser imginário. Cada vez que falava sobre a fraqueza de um personagem, inevitavelmente se expunha; era fatal que o leitor imaginasse estar ela descrevendo-se a si própria. De que outra maneira poder ter descoberto aquilo?"

Reparação - capítulo 1


Um comentário:

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!