quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Declamando poesia - Semana especial "Métrica"


Em "Métrica" o personagem de Will além de escrever poemas também participa de um grupo que declama poesia. A arte de declamar poesia é única e exige muito talento e dedicação, não é tão fácil quanto possa parecer num primeiro momento. Eu já tive uma experiência nessa área, e confesso que morri de vergonha ao ler (sim, tive que ler) um poema meu na frente de dezenas de pessoas desconhecidas e atentas, acostumadas a declamar, ler e escrever poesia. 



Em 2010, ainda na faculdade, fui com as amigas a um sarau organizado pela Casa do Poeta de Campinas, dentro da Academia Campineira de Letras (tem post aqui  contando tudo isso em detalhes). Eu não estava preparada para ler ou declamar nada, mas levei um livro com um de poemas, só para não chegar lá com as mãos abanando. Então, durante as apresentações dos poetas presentes, eis que o mestre de cerimônias (que chique!) se dirige à nós perguntando se alguém declama. Todas as meninas apontaram pra mim e praticamente me obrigaram a ir lá na frente ler o poema.

Toda essa história é para tentar mostrar o quão difícil é declamar poesia. Tem pessoas que o fazem com maestria, como a escritora e declamadora Rosana Marinho. Ela estava também no sarau e declamou um poema caipira, foi emocionante.


Will declama seus poemas em "Métrica", deixando-os ainda mais intensos e emocionantes; declamar é interpretar as palavras, impostar a voz corretamente, fazer gestos e expressões faciais que transmitam o significado daquilo que se está dizendo. Em alguns casos, ouvir um poema faz com que ele tome outro significado, fique mais claro e até mais cativante. Uma pessoa pode passar a se identificar com um poema ao ouvi-lo e não se sentir assim ao lê-lo. Tudo depende de quem interpreta. Aqui nesse site  o professor Pedro Mello fala um pouco da arte de declamar poesia, classificando-a como quase esotérica.


Falando mais um pouco sobre a arte de declamar e sobre seu início, achei esse texto no site "E-dicionário de termos literários", que vocês podem acessar clicando aqui:  


Uma das interpretações poéticas mais emocionantes que já ouvi foi feita pelo ator Juca de Oliveira, para a rádio Band News FM; ali ele tinha um quadro diário, o "Devaneio", onde lia belos textos e poesias de diversos autores (alguns dele mesmo), com uma voz poderosa e uma interpretação profunda, de causar arrepios nos ouvintes. No Youtube tem vários desses áudios para quem quiser conhecer (nesse canal aqui ), mas separei um que me chamou muito a atenção à época que ouvi no rádio: "Não sei quantas almas tenho", de Fernando Pessoa.

:


Mesmo que você ainda não goste de poesia, com certeza vai passar a se interessar por elas depois de ler "Métrica". Então, faça o exercício: leia em voz baixa, depois tente declamar, ainda que sem decorar, vá lendo a poesia e fazendo a interpretação. Tenho certeza que você vai enxergar o gênero de forma totalmente diferente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!