sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Sexta de música #32


Os roqueiros também amam. E também são românticos ao compor suas canções. Hoje farei uma lista com as 5 músicas mais doces e apaixonadas do rock'n'roll, para provar que os roqueiros-cara-de-mal também têm coração:

Slipknot - Snuff

Essa música está no álbum "All hope is gone", de 2009 e é bem melódica, diferente das canções pesadas da banda, e explora bastante a boa voz de Corey Taylor, vocalista, além de ter belíssimos solos de guitarra e proporcionar ao ouvinte aquela sensação crescente, como se ela começasse num momento de calmaria e fosse subindo para um grande desespero. O vídeo dela também é ímpar, e é quase um curta-metragem. Aqui nesse site o blogueiro Vyktor Berriel explica o vídeo através de suas próprias impressões ao assisti-lo. Algumas teorias dizem que Corey compôs a música com base na história dele com a ex-esposa, Scarllet, como que para mostrar que, apesar deles terem terminado, a presença dele estará junto dele eternamente.


"... ainda pressiono suas cartas em meus lábios/e as estimo em partes/de mim, que saboreiam cada beijo/eu não poderia encarar uma vida sem a sua luz/mas tudo foi dilacerado/quando você se recusou a lutar..."

Slipknot - Vermillion, pt. 2

Como fica claro pelo título da canção, ela é continuação de Vermilion pt.1, e ambas fazem parte do álbum "Volume 3: subliminal verses", lançado em 2005. Ela continua a estória contada na primeira parte e as duas se complementam. Nessa parte 2 (que na minha opinião é muito melhor que a 1) a banda caprichou na melodia, deixando-a envolvente, usando duas guitarras acústicas e um violoncelo. Os vocais se sobrepõem e dão um toque celestial à canção, quase como um coral. Também tem influência da relação de Corey com Scarllet e supõe-se que ele fala aqui sobre amar e perder. Em suas próprias palavras: "Vermilion pt. 1 é sobre se rasgar, e a expectativa e o nervosismo. A parte 2 é o que vem depois, as peças que juntamos mais tarde, e talvez a culpa por termos que viver nisso". O vídeo também é perturbador, mas é impossível não gostar.


"... ela é tudo pra mim/o sonho não correspondido/uma canção que ninguém canta/o inalcançável/ ela é um mito que eu tenho que acreditar/tudo que necessito para fazê-la real é mais uma razão/e eu não sei o que fazer, eu não sei o que fazer/quando ela me entristece..."

Ramones - Here today, gone tomorrow

Até os compositores do mais puro punk rock podem expressar seu amor através de uma baladinha romântica. Que o diga os Ramones que, depois de 2 discos de punk, com riffs de guitarra simples e poderosos, começaram a esmorecer um pouco em "Rocket to Russia" (1977), incluindo no álbum músicas mais tranquilas e com alguma influência pop. "Here today, gone tomorrow" é uma das mais românticas da banda e a letra é um misto de declaração de amor com a descoberta de que esse amor é impossível, mostrando até um certo conformismo com a sua não concretização:

"... oh oh oh, oh oh oh/eu te amo/mas eu disse a ela porque nós não podemos dar certo/eu ainda quero você, mas simplesmente não aguento/o momento chegou, nós temos que nos separar/alguém tem que pagar o preço...".


Pitty - Equalize

No Brasil também temos exemplos de rockeiros que abriram seu coração e colocaram em suas canções seu sentimento mais puro. Em 2003, Pitty lançou seu primeiro álbum, "Admirável Chip Novo" que conquistou imediatamente muitos fãs, e nele estava a balada "Equalize". A música acabou se tornando o single de maior sucesso da cantora, por causa de romantismo escancarado, mas dito com palavras simples, que poderiam muito bem ser aquilo que você estava tentando dizer a alguém, mas não sabia como. O vídeo também é muito bem feito e traz apenas Pitty, em várias situações corriqueiras (ela até está usando o banheiro com a porta aberta em uma das cenas). Segundo a cantora, as imagens deveriam retratar uma garota simples e que tem desejos e medos como todo mundo, que, ao começar a ouvir "Equalize" passa a viajar pela música. Provavelmente tem muito sentimento e desejo da própria cantora nessa canção, pois, em diversas oportunidades, ela disse ficar sem graça ao apresentá-la ao vivo. Quem mandou abrir o coração assim?


Pitty ainda tentou algo parecido em seu segundo álbum com a canção "Na sua estante", mas, apesar de fazer um bom sucesso, ela não conseguiu acompanhar a performance da anterior.

"... até parece que você já tinha/o meu manual de instruções/porque você decifra os meus sonhos/porque você sabe o que eu gosto/e porque quando você me abraça/o mundo gira devagar..."

Metallica - Loverman

A banda regravou essa música de Nick Cave & The Bad Seeds deixando-a com o mesmo aspecto sombrio da original. Apesar de a princípio a canção assustar um pouco, ela fala de amor, mas uma maneira um pouco mais dark que as anteriores. Pela letra pode-se perceber que o compositor quis mostrar que sua paixão é tão intensa que está acima de qualquer coisa, mesmo que ele seja apenas amante da mulher, e não seu companheiro. O amante é o demônio que espreita por trás da porta:

"... há um demônio te esperando lá fora (até quando)/amante! desde que o mundo surgiu/para sempre, amém, até a eternidade/tire a roupa eu estou chegando/ohh, eu sou seu amante/porque eu sou o que eu sou, o que eu sou, o que eu sou..."

É preciso levar em conta que a música foi escrita por Nick Cave, e esse era seu estilo.


À sua maneira os caras mais durões do rock vão abrindo seus corações e mostrando ao mundo que também têm muita sensibilidade. Curtiram? Deixem seus comentários =)

2 comentários:

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!