quinta-feira, 12 de setembro de 2013

The walking dead, a ascensão do governador - resenha


"No universo de The Walking Dead não há maior vilão do que o Governador. Ele é o déspota que governa a cidade isolada de Woodbury e te doentias noções de justiça: seja a forçar os prisioneiros a combater zumbis na arena para divertimento dos locais, seja a destroçar violentamente aqueles que o confrontam. O Governador é um vilão que tão cedo não se esquece e a sua história é uma das mais controversas que Robert Kirkman, criador da estória, alguma vez concebeu. Agora, pela primeira vez, os fãs irão descobrir como é que o Governador se tornou esse homem implacável e aquilo que o levou a tais extremos."

Na primeira semana após o início do surgimento dos zumbis, Philip Blake, seu irmão Brian, seu amigo Nick e sua pequena filha Penny, tentam fugir das hordas de mortos-vivos e encontrar um local seguro para viverem, então, saem em busca de uma comunidade que parece estar se formando em Atlanta, com pessoas que conseguiram escapar dos ataques dos mordedores. O trajeto é cheio de surpresas e percalços que os desafiam o tempo todo e testam o limite da resistência física e psicológica deles.

Philip é claramente o chefe do grupo, aquele responsável por tomar as decisões mais difíceis e proteger os companheiros, zelando por sua segurança. Ele não tem medo de nada e só pensa em encontrar um lugar onde possa criar sua filha de maneira normal, longe dos zumbis que os ameaçam o tempo todo.

Em contrapartida, Brian, irmão mais velho, é um fraco: não consegue tomar a frente de nada, não é capaz de matar nenhum zumbi, mesmo que sua vida dependa disso, e fica junto com o grupo apenas por ter um laço de sangue com Philip e ajudar a cuidar de Penny. Se não bastasse tudo isso, ele ainda tem a saúde fragilizada e está a beira de contrair uma grave pneumonia, nesse cenário pós apocalíptico onde é quase impossível conseguir remédios, roupas e comida, além de um lugar quente para se proteger do frio.

Assim como nas HQ's, aqui o autor não explica como as pessoas começaram a se transformar em zumbis, e esse é um dos questionamentos que os próprios personagens fazem ao longo da estória, sem, contudo, encontrar uma explicação. O que se sabe é que a mordida de um zumbi pode transformá-los num deles, mas ninguém sabe como isso começou nem por que.

Na tentativa de chegar ao abrigo em Atlanta, o grupo enfrenta as piores situações possíveis: tem que encontrar comida em casas, lojas e supermercados abandonados, se proteger do frio, buscar água potável, roupas limpas, e até lugares seguros para dormir, ao mesmo tempo em que tentam se esquivar dos mortos-vivos que perambulam sem destino por todos os lugares. Os zumbis são atraídos pelo cheiro dos humanos e pelo barulho que eles fazem, por isso, é muito difícil passar desapercebido por eles, e a única forma de 'matá-los' é acertando suas cabeças bem no cérebro.

O foco principal desse livro é Philip e suas ações e reações, a fim de criar o perfil daquele que virá a ser o Governador futuramente. Sendo um verdadeiro líder, ele precisa, muitas vezes, tomar atitudes radicais e que vão de encontro com tudo aquilo que ele acreditava até então, para continuar a proteger seu grupo e sua própria sobrevivência. E ser o responsável pela vida de outras pessoas não é nada fácil, o que vai aos poucos minando a sanidade de Philip, prejudicando seu discernimentos e fazendo com que ele reaja de maneira muito violenta, ou por vezes até desumana, frente a algumas adversidades.

Brian Blake está sempre à sombra de Philip, sem expressar suas opiniões com medo de ter que tomar atitudes que sabe que não será capaz. Ele sofre por ser tão inútil num momento que precisaria ser valente e destemido como o irmão, mas só consegue cuidar de Penny e tentar não irritar Philip com suas fraquezas. Mas, assim como na série de TV, o perfil psicológico dos personagens é o que realmente importa aqui, e Brian vai aos poucos mudando sua maneira de enfrentar os problemas, e, em certo momento, ele se vê obrigado a tomar uma atitude que muda sua vida para sempre.

Para quem já leu os quadrinhos fica claro qual o futuro de Brian, mas para quem, como eu, apenas assistiu a série, o livro é bastante esclarecedor: no seriado a estória começa num outro momento, com outros personagens e uma trama bem diferente, enquanto nesse livro é possível conhecer o Governador antes mesmo dele assumir esse título, e descobrir como ele se tornou tão frio e cruel. O livro se passa antes da primeira temporada da série, apresentando ao leitor o homem por trás do Governador, lutando para sobreviver no meio do caos.

O clima do enredo é de terror psicológico, exatamente como na série, e aqui os zumbis também fazem parte apenas do pano de fundo da estória, deixando como tema principal do enredo as pessoas e tudo o que elas tem de melhor e de pior, aquela força que tiramos não se sabe de onde em momentos de necessidade e a reação do ser humano diante das maiores dificuldades. Na verdade, o autor mexe muito com sentimentos e emoções do leitor a todo momento, usando descrições minuciosas de reações dos personagens, de sua angústia e de sua dor, nos fazendo refletir sobre os valores de cada um.

Para quem viu o seriado, o livro é um complemento, visto que se inicia num momento diferente e conta uma estória paralela àquela da TV, e aproveita para mostrar algumas coisas que, quando apenas assistimos, acabamos deixando para trás ou apenas imaginando rapidamente, como por exemplo, o cheiro dos zumbis, ou a dificuldade para encontrar água, o que na série não é retratado com um problema. Outra coisa bem diferente aqui é o uso de armas e munição, que não são achadas com tanta facilidade como na série.

Recomendo a leitura mas, prepara-se, o tempo todo você estará sob uma pressão psicológica incrível, capaz de fazer você perder uma noite de sono só para chegar ao final do livro e acabar logo com o sofrimentos dos personagens.

The walking dead - a ascensão do governador
Robert Kirkman e Jay Bonasinga
editora Record
361 páginas

2 comentários:

  1. Sabe que nunca tive vontade de ler os livros de Walking DEad?
    Acho que o problema é justamente porque assisti a série, e daí não consigo ler nada depois que assisto.
    Mas gosto por demais da temática dessa história!

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu tbm fiquei receosa de ler o livro por causa disso, mas não foi ruim, exatamente pela estória do livro não ter nada a ver com a que passou até agora na série, ela se passa antes do que já vimos. Vale a pena conhecer ;)
    Bjos!

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!