segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Um pouquinho de...


"Ele diminuiu os passos para avaliar melhor o cenário, sentindo as pernas fraquejarem frente ao fato de que seria a primeira vez que conheceria pessoalmente um lugar assim. Adapak estava acostumado às descrições das cidades dos livros de fantasia que lera na adolescência, detalhando muralhas gigantescas guardadas por estátuas colossais de imperadores retratados em seus auges. Urpur falhava em atender tais expectativas; seus muros eram altos e resistentes, mas a engenharia grosseira os afastava da grandiosidade e da beleza que o rapaz imaginara. Grandes blocos de pedra haviam cedido ao tempo e despencado, deixando espaços vazios ou remendos apressados feitos por profissionais que não se preocupavam com estética. Em vez de estátuas magníficas, torres circulares vigiavam o mundo exterior. Ainda que decepcionado, o jovem não pôde deixar de respeitar a capacidade dos mortais de construir estruturas a partir dos recursos naturais do mundo, algo muito distante da realidade de sua Casa."

página 29



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!