terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Retrospectiva: minhas leituras preferidas


Segundo a contagem do Skoob, li 40 livros esse ano. E os que eu mais gostei foram:

1º O temor do sábio 

"Quando é aconselhado a abandonar seus estudos na Universidade por um período, por causa de sua rivalidade com um membro da nobreza local, Kvothe é obrigado a tentar a vida em outras paragens. Em busca de um patrocinador para sua música, viaja mais de mil quilômetros até Vintas. Lá, é rapidamente envolvido na política da corte. Enquanto tenta cair nas graças de um nobre poderoso, Kvothe usa sua habilidade de arcanista para impedir que ele seja envenenado e lidera um grupo de mercenários pela floresta, a fim de combater um bando de ladrões perigosos. Ao longo do caminho, tem um encontro fantásticos com Feluriana, uma criatura encantada à qual nenhum homem jamais pôde resistir ou sobreviver - até agora. Kvothe também conhece um guerreiro ademriano que o leva a sua terra, um lugar de costumes muito diferentes, onde vai aprender a lutar como poucos. Enquanto persiste em sua busca de respostas sobre o Chandriano, o grupo de criaturas demoníacas responsável pela morte de seus pais, Kvothe percebe como a vida pode ser difícil quando um homem se torna uma lenda de seu próprio tempo."



2º Métrica

"O romance de estreia de Colleen Hoover, autora que viria a figurar na lista de best sellers do New York Times, apresenta uma família devastada por uma morte repentina. Após a perda inesperada do pai, Layken, de 18 anos é obrigada a ser o suporte tanto da mãe quanto do irmão mais novo. Por fora, ela parece resiliente e tenaz, por dentro, entretanto, está perdendo as esperanças. Um rapaz transforma tudo isso: o vizinho de 21 anos, que se identifica com a realidade de Layken e parece entendê-la como ninguém. A atração entre os dois é inevitável, mas talvez o destino não esteja pronto para aceitar esse amor."





3º Easy

"Quando Jacqueline segue o namorado de longa data para a faculdade que ele escolheu, a última coisa que ela espera é levar um fora no segundo ano. Depois de duas semanas em estado de choque, ela acorda para sua nova realidade: ela está solteira, frequentando uma universidade que nunca quis, ignorada por seu antigo círculo de amigos e, pela primeira vez na vida, quase repetindo em uma matéria. Ao sair de uma festa sozinha, Jacqueline é atacada por um colega de seu ex. Salva por um cara lindo e misterioso que parece estar no lugar certo na hora certa, ela só quer esquecer aquela noite - mas Lucas, o cara que a ajudou, agora parece estar em todos os lugares. A atração entre eles é intensa. No entanto, os segredos que Lucas esconde ameaçam separá-los. Mas eles vão ter de descobrir que somente juntos podem lutar contra a dor e a culpa, enfrentar a verdade - e encontrar o poder inesperado do amor."



Os Insones

"Numa cidade onde a violência, além de dominar os morros e ditar as regras de comportamento, conquista os corações e mentes dos jovens, os insones se multiplicam. Neste livro, todos estão sujeitos a uma brutal ansiedade, a começar pelo pai apavorado com o sumiço da filha e torturado por dores na coluna, até o aparentemente sereno jovem decidido a mudar o mundo na marra, passando por traficantes encurralados, agentes infiltrados e policias vivendo sobre tensão constante."






Como se livrar de um vampiro apaixonado


"Casar-se com um vampiro certamente não estava nos planos de Jéssica Packwood para seu último ano escolar. Mas quando um novo aluno esquisitão (e muito gato) chamado Lucius Vladescu aparece do nada, dizendo que Jéssica pertence à realeza vampírica e está prometida em casamento a ele, futuro líder do clã mais poderoso dos vampiros, ela é obrigada a rever seus conceitos. Se a garota ainda nem beijou na boca, como pode sequer pensar em um compromisso eterno? Armada com uma autoconfiança recém-adquirida, Jéssica passa por uma transformação drástica de adolescente nerd americana para princesa vampira europeia nessa sátira cheia de reviravoltas e surpresas."



As resenhas mais lidas por aqui me surpreenderam um pouco... vamos a elas:

O retrato de Dorian Gray - leia aqui

As crônicas de gelo e fogo - leia aqui

99 sonetos sacanas e 1 canção de amor - leia aqui

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Um pouquinho de... - retrospectiva


Esse ano comecei a postar aqui alguns dos quotes que mais me chamavam a atenção durante as minhas leituras, e os mais acessados pelos leitores do blog foram:

Quem é você, Alasca?

"Podemos fazer muitas críticas ao Alabama, mas uma coisa é certa: as pessoas lá não morrem de medo de fritura. Em minha primeira semana na Creek, o refeitório serviu galinha frita, filé de galinha frito e quiabo frito - o que marcou minha primeira incursão no delicioso mundo dos legumes fritos. Não me surpreenderia se também tivessem fritado folhas de alface. Mas nada se iguala ao bufrito, um prato criado pela Maureen, a cozinheira espantosamente (e compreensivelmente) obesa de Culver Creek. O bufrito, um burrito de feijão frito, era a prova definitiva de que a fritura sempre melhorava a comida. Naquela tarde, sentado com o Coronel e mais cinco rapazes desconhecidos numa mesa redonda do refeitório, enterrei os dentes no invólucro tostadinho do meu primeiro bufrito e tive um orgasmo gastronômico."







Reparação

"... quando ela começava a escrever uma história, ninguém podia saber. Fingir com as palavras era uma coisa tão hesitante, tão vulnerável, tão constrangedora, que ninguém podia ficar sabendo. Só de escrever 'disse ela' ou 'e então', Briony envergonhava-se, sentia-se ridícula, por fingir conhecer as emoções de um ser imginário. Cada vez que falava sobre a fraqueza de um personagem, inevitavelmente se expunha; era fatal que o leitor imaginasse estar ela descrevendo-se a si própria. De que outra maneira poder ter descoberto aquilo?"









Feios



"- Livros de papel? O que tem demais?

- Não são livros. Se chamam 'revista' - explicou Shay.

Ela abriu um exemplar e apontou para as páginas. Eram todas estranhamente brilhantes e cheias de fotos. De pessoas. Feios. 
Os olhos de Tally demonstravam espanto enquanto Shay virava as páginas, sempre apontando e rindo. Ela nunca tinha visto tantos rostos tão diferentes. Bocas, olhos e narizes de todos os formatos possíveis, combinados de um jeito absurdo, em pessoas de todas as idades. E os corpos? Alguns eram monstruosamente gordos ou estranhamente musculosos ou perturbadoramente magros. E quase todos apresentavam proporções desequilibradas e feias. No entanto, em vez de demonstrarem vergonha por causa de suas deformidades, as pessoas davam risadas, trocavam beijos e posavam, como se as fotos tivessem sido tiradas numa grande festa.
- Quem são esses esquisitos?
- Eles não são esquisitos - disse Shay - O engraçado é que são pessoas famosas.
- Famosas por quê? Por serem horríveis?
- Não. São esportistas, atores, artistas. Acho que os caras de cabelo comprido são músicos. Os mais feios são políticos. Alguém me disse que os gordinhos, na maioria, são comediantes.
- É curioso mesmo. Curioso no sentido de estranho - disse Tally - Então era assim a aparência das pessoas antes do primeiro perfeito? Como é que as pessoas conseguiam encarar essas coisas?"

E o meu preferido de todos eles: Métrica 

"Will para de mexer no projetor, se levanta e vai até o quadro. Pega um pedaço de giz, escreve algo e dá um passo para o lado. The Avett Brothers. Will aponta para o nome no quadro. - Alguém já ouviu falar deles? Ele olha para mim e balança sutilmente a cabeça, dizendo que não quer que eu fale.
- Parece familiar - diz alguém no fundo da sala.
- Bem - diz ele, andando pela sala - São filósofos que falam e escrevem palavras de extrema sabedoria, fazendo a pessoa pensar mais sobre as coisas.
Tento conter a risada. Mas em boa parte ele tem mesmo razão.
- Uma vez perguntaram a eles exatamente isso. Acho que estavam fazendo uma leitura. Alguém fez uma pergunta sobre a poesia deles, se era difícil ter de reviver as palavras toda vez que se apresentavam. A resposta foi que, apesar de o ideal ser eles superarem aqui (a pessoa ou o evento que inspirou as palavras naquela época), isso não significa que uma pessoa que estiver escutando não tenha passado pela mesma coisa.
E daí? E daí a dor sobre a qual você escreveu no passado não é o que você está sentindo hoje? O que você está sentindo agora, e a pessoa a quem suas palavras talvez afetem daqui a cinco anos - é por isso que se escreve poesia."

domingo, 29 de dezembro de 2013

Filmando e Série a sério - retrospectiva


Muitos filmes e séries estrearam em 2013, alguns eu vi - e escrevi sobre - outros não. Na retrospectiva de hoje vou elencar os meus preferidos dentre aqueles que assisti e os posts mais acessados aqui no blog:


Vi "Django" e só consegui ficar ainda mais fã de Tarantino. Com interpretações incríveis de Jamie Foxx, Leonardo Di Caprio, Samuel L. Jackson e Christoph Waltz, o filme ganhou seu lugar no ano que passou. Falei bastante sobre ele aqui e também postei o trailer.


E o que dizer do incrível "Gravidade"? Eu não consegui escrever nada, mas os meninos do Jovem Nerd fizeram um Nerdcast sobre o filme e falaram tudo o que eu achava sobre ele, então, cliquem aqui e ouçam. E vejam o trailer:


Das produções nacionais destaco "Faroeste Caboclo", que, como disse nesse post era um filme aguardado por mim desde sempre. Apesar de não ter achado perfeito como eu imaginava, gostei.


Dentre os posts sobre filmes aqui do blog, os mais acessados foram:

O clube de leitura de Jane Austen - leia aqui.

A culpa é das estrelas - leia aqui.

Somos tão jovens - leia aqui.

Foram tantas séries boas ao longo do ano! As novas temporadas de "Game of Thrones", "The walking dead" e "American Horror Story" não deixaram a desejar. Meus destaque entre as estreias vão para:



"Mom", exibida no Brasil pelo canal pago Warner, a série fala sobre as relações interpessoais de uma família nada tradicional, onde as mães são o destaque. Comédia inteligente e de bom gosto, traz no papel principal a atriz Anna Faris, que ficou famosa por atuar nos filmes "Todo mundo em pânico".


Também na Warner foi exibida a série "The following", com Kevin Bacon e James Purefoy.


Um suspense de tirar o fôlego sobre um serial killer que usa os textos de Edgar Allan Poe para embasar seus crimes e o policial que já o prendeu uma vez e que agora está tentando evitar que ele saia da prisão e volte a matar.


Fechando muito bem o ano, comecei a assistir "Under the dome", baseada no livro de Stephen King e exibida no Brasil pelo canal TNT.


A série conta a claustrofóbica estória de uma pequena cidade que, de repente, é isolada do resto do mundo por um domo invisível, que mexe com o comportamento de algumas pessoas e as obriga a revelar seus segredos mais obscuros.


E de tudo o que rolou por aqui esse ano, os posts sobre séries mais lidos foram:

A volta de 'Sai de Baixo' - acesse aqui.

FDP - acesse aqui.

Amor Imenso - acesse aqui. 

sábado, 28 de dezembro de 2013

Li até a página 100 e... #19


*** lembrando que esse post foi inspirado na ideia original do blog Eu leio, eu conto



Primeira frase da página 100:

"Eu mal acreditava no que saía da minha boca."

Do que se trata o livro?

O livro é uma reunião de 3 contos com tema natalino, escrito por 3 autores e que se passam na mesma cidade (pelo menos é isso que diz a contracapa). Estou lendo o primeiro conto e ele basicamente fala sobre uma jovem comum e seu namorado que é quase uma estrela no colégio e dos desdobramentos que um relacionamento entre duas pessoas tão diferentes pode ter.

O que você está achando até agora?

Muito legal, bem divertido e descontraído.  

Melhor quote até aqui:

"Minha objeção é que Jubileu não é um nome - é um tipo de festa. Ninguém sabe que tipo. Já ouviu falar de alguém que deu uma festa de jubileu? E se ouvisse, você iria? Porque eu não. Parece algo para o qual é preciso alugar um enorme objeto inflável, decorar com fileiras de bandeirolas e fazer planos complicados para se livrar do lixo." (página 10)

Algum personagem merece destaque?

Como ainda estou no primeiro conto, apareceram poucos personagens. O meu destaque vai para Stuart, que parece ser um cara bem consciente e esclarecido, apesar de ser ainda bem jovem. 

Vai continuar lendo?

Sim.

Última frase dessa página:

"- Imbecis nunca ficam. O que ele disse?"

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Sexta de música #49 - Top Top 2013

Final de ano é sempre assim: revisitamos aquilo que fizemos e refletimos sobre os resultados, para logo em seguida começar a planejar ações futuras. Aqui no blog não poderia ser diferente, por isso, farei breves retrospectivas sobre alguns assuntos interessantes que passaram por aqui em 2013, e começarei a pensar em novidades para o próximo ano.


Nas sextas musicais teve muita coisa boa, desde os melhores no Rock in Rio até as canções que poderiam embalar os romances de John Green. Mas fora do blog também curti muita música e, por isso, hoje vou fazer dois tops: o primeiro com as 5 músicas mais acessadas na coluna, e outra com as que mais tocaram no meu player durante o ano. Espero que gostem =)

As mais acessadas aqui no blog:
1. Los Hermanos - Todo carnaval tem seu fim (Sexta de música #13 - Carnaval)
2. Legião Urbana - Faroeste Caboclo (Sexta de música #24 - Faroeste Caboclo)
3. Kings of Leon - Pyro (Sexta de música #33 - Métrica)
4. Justin Timberlake - Suit & Tie (Sexta de música #38 - Depois da boy band)
5. Autoramas - Você sabe (Sexta de música #39 - Rock in Rio parte I)

As mais ouvidas no meu player:

1. John Mayer - In your atmosphere
2. Muse - Madness
3. Titãs - Antes de você
4. Sérgio Britto - Purabossanova
5. Coldplay - 'Til kingdom come
6. Foo Fighters - Everlong
7. John Mayer - Slow dancing in a burning room
8. Chris Martin e Michael Stipe - Loosing my religion
9. Djavan - Disfarça e chora
10. Paramore - Playing god

Acabo de perceber que não foi um ano muito rock and roll pra mim, rsrsrs. Será que em 2014 esse perfil vai mudar? Veremos!

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Um pouquinho de...

página 40
"Ghoul (vampiro): O ghoul (vampiro), embora feio, não é uma criatura particularmente perigosa. Parece um ogro escorregadio e dentuço e, em geral, habita os sótãos ou os celeiros de propriedade dos bruxos onde come aranhas e mariposas. Ele geme e de vez em quando atira objetos pela habitação, mas é em essência um simplório que, na pior das hipóteses, rosna assustadoramente para todos com quem se depara. Existe uma força-tarefa para vampiros no Departamento de Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas que se encarrega de removê-los das habitações que passaram às mãos de trouxas, mas nas famílias bruxas o vampiro muitas vezes é assunto de conversas ou até bicho de estimação."

domingo, 22 de dezembro de 2013

Cheiro de livro novo #14

Hoje é meu aniversário e ganhei alguns presentes, todos lindos, mas vou mostrar para vocês apenas os livros, ok? Também tem alguns que eu comprei na última quinzena, então vamos às atualizações:


Da minha amiga Sandra veio "Protocolo Bluehand: zumbis", um livro que eu queria há muito tempo, vendido no site Jovem nerd.


No amigo secreto da empresa eu tirei a própria Sandra, e não foi marmelada. Dei pra ela o livro "A revolução dos bichos", espero que ela goste ;) Quem me tirou foi a Fran e me deu:


Iniciando as compras, esse livro será minha primeira leitura de 2014, quero muito saber como continua a estória de Lake e Will:


Continuando a coleção Zafón, comprei "O prisioneiro do céu", agora tenho que correr atrás do tempo e ler logo.



Depois de comprar a HQ de "Game of Thrones" resolvi dar mais atenção para esse tipo de leitura e aproveitei uma super oferta do Submarino: comprei "Nasce o pistoleiro" por R$ 10,00 e valeu muito a pena. A qualidade é incrível e a capa dura me surpreendeu.


Ainda estou lendo meu primeiro livro do André Vianco, mas adorei o estilo dele. Não só porque gosto de estórias de vampiros, mas também por ele ser brasileiro e seus livros serem ambientados aqui. Então achei várias promoções de livros dele no Submarino, comprei todos, aproveitando o espírito natalino (e o 13º, rsrsrs):


"O Senhor da Chuva" e "O turno da noite" I e II



Esse eu quero ler rapidamente, pois o vampiro Cantarzo está em "Bento", minha leitura atual, e preciso saber o que vai acontecer com ele:


Finalizando, "Sementes no gelo", que segue uma linha diferentes dos demais livros do autor, não abordado o universo vampiresco, e sim, falando sobre espíritos e reencarnação.


É isso. O que vocês acharam da minha árvore de natal no fundo das fotos?

sábado, 21 de dezembro de 2013

Inspire-se!

"Somethimes in our lives we all have pain
we all have sorrow
but if we are wise
we know that there's always tomorrow,
Lean on me, when you're not strong
and I'llbe your friend
I'll help you carry on
for it won't be long
'till I'm gonna need
somebody to lean on..."

"Algumas vezes na vida todos nós sofremos
nós todos temos tristezas
mas se formos espertos
sabemos que sempre existe o amanhã,
se apoie em mim, quando você não se sentir forte
e eu serei seu amigo
eu te ajudo a atravessar isso
porque não vai demorar
até eu precisar
de alguém pra me apoiar..."


sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Sexta de música #48 - Partido Alto

Já falei aqui  sobre Chico Buarque, suas canções e o quanto ele foi importante no cenário musical brasileiro. Além disso, também falei da minha adoração por seu trabalho musical e literário. Hoje vou destacar apenas uma música dele, e suas muitas versões, nas vozes de outros cantores, assim como fiz na playlist de "Aluga-se", de Raul Seixas.


Com uma letra carregada de ironias, "Partido Alto" faz referência à visão que o brasileiro tem de si mesmo e de sua condição de vida. Fazendo graça com as desventuras do povo e realçando suas dificuldades, Chico diz: "Deus me fez um cara fraco desdentado e feio/pelo e osso simplesmente, quase sem recheio...", verso que aparentemente pode demonstrar que essa pessoa estaria conformada com seu corpo modesto, mas que apenas mostra alguém consciente de sua imagem e feliz apesar dela. Logo em seguida, o cantor faz um contraponto esclarecendo que mesmo sendo desprovido de recursos e de força, esse brasileiro é capaz de lutar por aquilo que quer com valentia, usando mais uma vez um tom cômico que reforça a coragem e a malandragem desse personagem: "... mas se alguém me desafia e bota a mãe no meio/eu dou pernada a três por quatro e nem me despenteio." 

Vale lembrar que essa canção foi escrita por Chico durante a ditadura militar, e que também teve que passar pela censura antes de ser liberada para o público: o cantor teve que fazer pequenas alterações na letra, como trocar a palavra titica por coisica e brasileiro por batuqueiro. Seu conteúdo é basicamente mais uma das críticas que Chico fazia ao governo da época, tão brilhantemente que nem a própria censura foi capaz de entender seu real significado. Não é a toa que Chico Buarque conseguiu emplacar tantos sucessos durante o regime, em sua maioria com ironias e metáforas inteligentes que cumpriam o seu papel de oposição à ditadura.

"Diz que deu, diz que dá
diz que Deus dará
não vou duvidar ô nega
e se Deus não dá
como é que vai ficar ô nega?

Diz que deu, diz que dá
e se Deus negar ô nega
eu vou me indignar e chega
Deus dará, Deus dará

Deus é um cara gozador
adora brincadeira
pois pra me jogar no mundo
tinha o mundo inteiro
mas achou muito engraçado
me botar cabreiro
na barriga da miséria nasci brasileiro
eu sou do Rio de Janeiro

Deus me fez um cara fraco
desdentado e feio
pele e osso simplesmente
quase sem recheio
mas se alguém me desafia e põe a mãe no meio
eu dou pernada a três por quatro
e nem me despenteio
que eu já tô de saco cheio

Deus me deu mão de veludo
pra fazer carícia
Deus me deu muita saudade
e muita preguiça
Deus me deu perna comprida
e muita malícia
pra correr atrás de bola 
e fugir da polícia
um dia ainda sou notícia.

Jesus Cristo ainda me paga
um dia ainda me explica
como é que pôs no mundo
essa pobre titica
vou correr o mundo afora
dar uma canjica
que é pra ver se alguém se embala
ao ronco da cuíca.
E aquele abraço pra quem fica."

Também é interessante ver como Chico usa repetidamente a figura de Deus para se referir ao governo brasileiro, maliciosamente responsabilizando  os militares pela situação social imposta aos brasileiros da época. Ressaltando a impotência dos cidadãos perante os governantes, que prometiam um grande desenvolvimento para o país mas não conseguiam alavancar a economia, o compositor se coloca na pele de um brasileiro atingido por toda essa falta de cuidado dos governantes e ilustra o sentimento de abandono vivido pelo povo da época: "Diz que deu, diz que dá/diz que Deus dará/não vou duvidar ô nega/e se Deus não dá/como é que vai ficar ô nega?..."

Os subterfúgios usados por Chico para fugir da censura deixaram a canção mais leve e bastante divertida, talvez por isso algumas pessoas que a ouvem hoje não consigam alcançar todo o significado por trás de seus versos. Então, depois de brevemente explicado o conteúdo da letra, vamos ouvir "Partido Alto" e passear pelas diversas vozes que já interpretaram essas obra prima de Chico Buarque, começando com o próprio:


1. Chico Buarque
2. MPB4
3. Caetano Veloso
4. Ney Matogrosso
5. Cássia Eller



quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Como salvar um vampiro apaixonado - resenha


"Quando Jessica Packwood descobriu que era uma princesa vampira romena, sua pacata vida de adolescente virou de pernas para o ar. Ela precisou fazer as pazes com seu passado e vencer muitos obstáculos para ficar com seu belo príncipe, Lucius Vladescu. Depois de se casarem na Romênia, agora Jessica e Lucius devem unir os clãs mais poderosos dos vampiros e estabelecer a paz de uma vez por todas. Mas primeiro ela vai ter que convencer uma nação inteira de vampiros ardilosos de que tem plenas condições de se tornar rainha. Tudo se complica quando Lucius é acusado de assassinar um vampiro ancião, condenado à masmorra e Jessica se vê sozinha para tentar inocentar o marido enquanto aprende como governar e se fazer respeitada pelos demais vampiros."

Essa é a continuação de "Como se livrar de um vampiro apaixonado", que já foi resenhado aqui.  Jessica aceitou sua nova condição de vampira e princesa romena, casou-se com Lucius e agora vive com ele em seu castelo, onde ambos tentam governar uma nação de vampiros que antes eram dois clãs rivais e agora são apenas um, devido ao seu casamento.

Depois que chegou ao castelo e começou a aprender o funcionamento de tudo por ali, Jessica só teve contato com seu tio Dorin e sua prima Ylenia, sempre muito gentil e solícita, e até parecida fisicamente com Jessica. Talvez pela falta de amigos, Jessica está sempre mantendo contato com sua melhor amiga, Mindy, que esteve em seu casamento, mas voltou para os Estados Unidos.

 Quando um dos vampiros anciões é misteriosamente assassinado, Lucius decide seguir todas as leis à risca, a fim de descobrir quem cometeu o crime e condená-lo, mas, como uma ironia do destino, ele acaba sendo o principal suspeito de matar Claudiu e todas as provas estão contra ele, já que sua estaca foi encontrada suja com o sangue do morto e ele não tem como explicar por quê.

Então Jessica se vê obrigada a prender o próprio marido numa masmorra e mantê-lo sob um regime severo sem se alimentar de sangue até que seja julgado, mesmo sabendo que isso iria enfraquecê-lo e quase levá-lo a loucura. Enquanto ela sofre com o distanciamento de Lucius e tenta a todo custo encontrar alguma coisa que possa inocentá-lo das acusações, ainda tem que se fortalecer para que os anciões a respeitem como a princesa que é, e consolar a amiga Mindy, que veio ficar com ela, e está vivendo um impasse: apaixonada pelo vampiro Raniero, ao mesmo tempo que gosta e quer muito ficar com ele, luta contra esse sentimento pois o rapaz é o contrário de tudo aquilo que ela sempre esperou encontrar num amor.

Seguindo a mesma linha do primeiro livro, a inseriu vários momentos engraçados ao longo da estória, sem deixar infantil demais. O livro continua muito voltado ao público teen, apesar de abordar alguns assuntos mais pesados que no anterior, como morte e traição, só que de uma forma quase descontraída, e muito inteligente.

O romance é sim capaz de envolver o leitor, que, mesmo que venha a desvendar a trama antes do final do livro, como aconteceu comigo, ainda pode se divertir com os e-mails trocados entre Lucius e Raniero, ou com as dúvidas e indecisões de Mindy e sua paixão pelas revistas femininas.

Tem um mistério envolvendo a história de Raniero que vai sendo desvendado aos poucos, e do outro lado as descobertas feitas por Jessica que vão contribuindo para seu crescimento como pessoa, enquanto ela aprende que não pode confiar em todas as pessoas que se dizem suas amigas.

Assim, como o primeiro, eu adorei esse livro, e quando a leitura acabou, fiquei novamente com vontade de saber mais sobre a vida de Lucius e Jessica, e senti falta deles por vários dias. Será que rola uma continuação?

Como salvar um vampiro apaixonado
Beth Fantaskey
editora Arqueiro
264 páginas
nota: 4.8
nota no Skoob: 4.1
onde comprar: Skoob, Submarino e Americanas.  

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Bolsas e sacolas mágicas



Alguns personagens marcaram o cinema e a TV com seus objetos mágicos, que estavam sempre a disposição para ajudá-los nos momentos mais difíceis ou até para acompanhá-los nas horas mais felizes. E hoje vamos falar de suas imbatíveis bolsas mágicas:


Mary Poppins, a babá criada por P. L. Travers, chega à casa da família Banks voando com a ajuda de seu guarda-chuvas mágico, já carregando sua bolsa. Mais tarde, ela usa a sacola feita de tapete para decorar o quarto, tirando dela todo o tipo de objeto: um abajur, um mancebo e até um vaso com flores. Para ilustrar o tamanho do interior da bolsa, em certo momento Mary enfia o braço inteiro lá dentro, dando profundidade à sacola, nos fazendo acreditar que ela pode realmente tirar qualquer coisa dali:


No desenho dos anos 20, ainda em cinema mudo, um gatinho preto chamava a atenção do público com suas aventuras, e muitos anos depois, "O Gato Félix" ganhava seu espaço na televisão, já de posse de sua sacola mágica, que podia se transformar em qualquer objeto que seu dono precisasse.

Já na década de 20, quando o desenho era sucesso, todo mundo conhecia os poderes da bolsa de Félix, e ninguém parecia achar estranho que aquela pequena sacola amarela e preta (nada fashion) se transformasse num foguete que conseguia ir para o espaço sem problemas.




Eu adorava o desenho e sempre torcia para que Félix conseguisse escapar de seus inimigos, que queriam a todo custo pegar a sacola mágica. A música de abertura ainda está na minha cabeça =)


E quem não se lembra da sacolinha feita por Hermione para carregar tudo o que ela, Harry e Rony poderiam precisar enquanto procuravam as Relíquias da Morte?


Naquela pequena bolsa de contas a jovem bruxa guardou de roupa a remédios e, como se fosse a cartola de um mágico, Hermione vai tirando de lá tudo o que eles precisam para continuar sua busca pelos objetos deixados por Aquele-que-não-deve-ser-nomeado com um pedacinho de sua alma.

Aplicando na bolsinha um feitiço de extensão, Hermione conseguiu carregar facilmente os livros mais pesados, uma barraca, e até objetos pessoais. Essa bolsa, como as dos personagens citados anteriormente, era essencial para salvar os amigos das situações mais complicadas. Uma bolsa desejada por muitas mulheres por ai...


E qual é sua bolsa mágica preferida? Faltou falar de alguma sacola encantada? Não deixem de comentar, quero saber a opinião de vocês.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Sei Que Eu Sei News #6



A cantora Rita Lee é muito querida por seus seguidores no Twitter, já que lá ela deixa a imaginação correr solta e inventa estórias impagáveis, que deixam todos impressionados com sua inventividade. 


Iniciando as comemorações pelos seus 50 anos de carreira, que serão completados em 2014, a cantora se juntou ao cartunista Laerte para lançar um livro com essas estórias criadas no Twitter. O livro está sendo lançado pela editora Cia. das Letras e contará com 76 'storynhas', as mais populares da página de Rita, como por exemplo, a do secador made in brazil fabricado no paraguay, e ilustrações de Laerte.

Quer conhecer um pouco mais sobre a carreira da Rita Lee? Acesse o post especial com ela aqui. E se quiser segui-la no Twitter e acompanhar suas loucuras pela rede social, basta acessar LitaRee_real. 


Outra novidade para o próximo ano é a volta de Josh Holloway às séries de TV. Ele vai ser um agente especial que possui um comando cibernético implantando no cérebro em "Intelligence", produção da CBS que teve sua data de estreia confirmada para 7 de janeiro nos EUA.


De acordo com o próprio bonitão de "Lost", essa série será "um thriller dramático, com mulheres fortes e que traz uma mistura de personagens de Bourne, James Bond e Missão Impossível, bastante ligado com tudo o que está acontecendo no presente."

Assista ao trailler da série:


E os fãs ingleses de Harry Potter não deixam de reverenciar a obra de J. K. Rowling. Enquanto não chega aos cinemas nenhum filme novo sobre o universo HP, eles fizeram um curta-metragem contando como foi a épica batalha entre Alvo Dumbledore, diretor de Hogwarts, e seu amigo bruxo Gellert Grindewald, que, obcecado pelo poder, queria tomar posse de uma das três Relíquias da Morte, a Varinha das Varinhas.

  

Foi durante essa luta que Ariana, irmã do diretor, acabou morrendo, e sua morte foi o pivô da briga entre os irmãos Dumbledore, Alvo e Aberforth (que também está no filme). 

No curta podemos conhecer os dois bruxos ainda jovens e entender como foi que aconteceu tanto a batalha quanto o acidente que matou Ariana, apesar desse evento só ter sido citado por Rowling no último livro da salga Harry Potter. 


Apesar de nunca ter sido explicado pela autora dos livros, o cenário foi criado pelos fãs, que capricharam na produção do filme. Mesmo sendo amador, o curta ficou muito bem feito, confiram:

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Um pouquinho de...

"É estranho como o amor é uma fonte de poder - ele consegue provocar o desejo de lutar até a morte, ou de lutar para sair de algo que se assemelha à morte, por tempo suficiente para poder escrever um bilhete coerente -, mas também é uma fonte de fraqueza. Quase abandonei todos os valores sobre os quais pretendo basear meu reinado, isso sem mencionar minha melhor (única?) defesa, só para compartilhar alguns instantes com ela. E agora não consigo pensar, a não ser para me lembrar do rosto dela..."


(página 186, capítulo 83)

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

A filosofia de Tyrion Lannister - resenha



"'A filosofia de Tyrion Lannister' é o presente perfeito para os fãs da série da HBO, Game of Thrones. Uma coleção de frases espirituosas de um dos mais sagazes e carismáticos personagens de todos os tempos. Os invejosos dos Sete Reinos podem chamá-lo de 'meio homem', mas ninguém jamais acusou Tyrion Lannister de ter uma inteligência pela metade. Sua língua afiada salvou sua pele mais vezes do que o colocou em perigo. Esta edição especial e totalmente ilustrada guarda seus mais profundos ensinamentos para as gerações futuras, trazendo todo seu conhecimento sobre os mais variados temas, como: a arte da persuasão, as delícias da mesa, saúde, a política real e, claro, os atrativos do sexo oposto."

Como bem resumiu a sinopse acima, esse livro é inteiramente dedicado aos fãs de GoT e, principalmente, aos admiradores da sagacidade do personagem Tyrion Lannister, o anão renegado pelo próprio pai e famoso entre as mulheres. Ele não mede as palavras e é muito inteligente, e como ele mesmo gosta de dizer, ele tem que se destacar com a inteligência, já que não é respeitado por sua altura, nem tampouco por seguir as tradições de sua família.

O livro é uma compilação das melhores frases do Imp, separadas por tema - aqueles preferidos do pequeno Lannister: sabedoria, família, comida, bebida, mulheres, música e até como salvar sua pele.

Quase no mesmo estilo que o "Minutos de sabedoria", de Carlos Torres Pastorino, esse livro parece conter uma frase de efeito perfeita para cada situação vivida por Tyrion na saga de George R. R. Martin; com sua perspicácia e petulância, o anão consegue se safar das situações mais complicadas e até ajudar aqueles que gosta apenas usando a oratória.

Alguns exemplos de sentenças registradas nesse livro, e que poderão se tornar frases célebres se usadas corretamente pelos leitores e fãs de Tyrion:

"Todos os anões são bastardos, mas nem todos os batardos têm de ser anões."
"Palavras são vento."
"Assassinar familiares é um trabalho duro. Dá sede."
"Todo tolo gosta de ouvir que é importante."
"Dizem que sou meio homem. O que isso faz de vocês?"




O destaque desse livro é sem dúvida o projeto gráfico: impecável, com capa dura, ilustrações de página inteira abrindo cada novo tema, com um toque de humor e outras pequenas em cada rodapé; algumas páginas têm em sua borda um estilo pergaminho e algumas são marrons, alternando com a cor branca das demais. Tudo isso dá ao livro um ar de item de colecionador, seguindo o cuidado que a editora Leya sempre tem com suas publicações.



Cada página traz uma frase, como pequenas gotas de sabedoria, algumas cômicas, outras nem tanto, mas todas legitimamente criações de Tyrion Lannister.



Como o livro é curtinho, a leitura é bem rápida, dinâmica e prazerosa. Imperdível para os fãs da série, e bastante interessante para quem ainda não está 100% envolvido com Game of Thrones e quer conhecer um dos personagens mais envolventes da trama.

A filosofia de Tyrion Lannister
George R. R. Martin
editora Leya
160 páginas
nota: 5
nota no Skoob: 3.9