sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Sexta de música #48 - Partido Alto

Já falei aqui  sobre Chico Buarque, suas canções e o quanto ele foi importante no cenário musical brasileiro. Além disso, também falei da minha adoração por seu trabalho musical e literário. Hoje vou destacar apenas uma música dele, e suas muitas versões, nas vozes de outros cantores, assim como fiz na playlist de "Aluga-se", de Raul Seixas.


Com uma letra carregada de ironias, "Partido Alto" faz referência à visão que o brasileiro tem de si mesmo e de sua condição de vida. Fazendo graça com as desventuras do povo e realçando suas dificuldades, Chico diz: "Deus me fez um cara fraco desdentado e feio/pelo e osso simplesmente, quase sem recheio...", verso que aparentemente pode demonstrar que essa pessoa estaria conformada com seu corpo modesto, mas que apenas mostra alguém consciente de sua imagem e feliz apesar dela. Logo em seguida, o cantor faz um contraponto esclarecendo que mesmo sendo desprovido de recursos e de força, esse brasileiro é capaz de lutar por aquilo que quer com valentia, usando mais uma vez um tom cômico que reforça a coragem e a malandragem desse personagem: "... mas se alguém me desafia e bota a mãe no meio/eu dou pernada a três por quatro e nem me despenteio." 

Vale lembrar que essa canção foi escrita por Chico durante a ditadura militar, e que também teve que passar pela censura antes de ser liberada para o público: o cantor teve que fazer pequenas alterações na letra, como trocar a palavra titica por coisica e brasileiro por batuqueiro. Seu conteúdo é basicamente mais uma das críticas que Chico fazia ao governo da época, tão brilhantemente que nem a própria censura foi capaz de entender seu real significado. Não é a toa que Chico Buarque conseguiu emplacar tantos sucessos durante o regime, em sua maioria com ironias e metáforas inteligentes que cumpriam o seu papel de oposição à ditadura.

"Diz que deu, diz que dá
diz que Deus dará
não vou duvidar ô nega
e se Deus não dá
como é que vai ficar ô nega?

Diz que deu, diz que dá
e se Deus negar ô nega
eu vou me indignar e chega
Deus dará, Deus dará

Deus é um cara gozador
adora brincadeira
pois pra me jogar no mundo
tinha o mundo inteiro
mas achou muito engraçado
me botar cabreiro
na barriga da miséria nasci brasileiro
eu sou do Rio de Janeiro

Deus me fez um cara fraco
desdentado e feio
pele e osso simplesmente
quase sem recheio
mas se alguém me desafia e põe a mãe no meio
eu dou pernada a três por quatro
e nem me despenteio
que eu já tô de saco cheio

Deus me deu mão de veludo
pra fazer carícia
Deus me deu muita saudade
e muita preguiça
Deus me deu perna comprida
e muita malícia
pra correr atrás de bola 
e fugir da polícia
um dia ainda sou notícia.

Jesus Cristo ainda me paga
um dia ainda me explica
como é que pôs no mundo
essa pobre titica
vou correr o mundo afora
dar uma canjica
que é pra ver se alguém se embala
ao ronco da cuíca.
E aquele abraço pra quem fica."

Também é interessante ver como Chico usa repetidamente a figura de Deus para se referir ao governo brasileiro, maliciosamente responsabilizando  os militares pela situação social imposta aos brasileiros da época. Ressaltando a impotência dos cidadãos perante os governantes, que prometiam um grande desenvolvimento para o país mas não conseguiam alavancar a economia, o compositor se coloca na pele de um brasileiro atingido por toda essa falta de cuidado dos governantes e ilustra o sentimento de abandono vivido pelo povo da época: "Diz que deu, diz que dá/diz que Deus dará/não vou duvidar ô nega/e se Deus não dá/como é que vai ficar ô nega?..."

Os subterfúgios usados por Chico para fugir da censura deixaram a canção mais leve e bastante divertida, talvez por isso algumas pessoas que a ouvem hoje não consigam alcançar todo o significado por trás de seus versos. Então, depois de brevemente explicado o conteúdo da letra, vamos ouvir "Partido Alto" e passear pelas diversas vozes que já interpretaram essas obra prima de Chico Buarque, começando com o próprio:


1. Chico Buarque
2. MPB4
3. Caetano Veloso
4. Ney Matogrosso
5. Cássia Eller



6 comentários:

  1. Chico Buarque é vida. Uma das minhas músicas preferidas é Atrás da Porta e Tira As Mãos de Mim, ambas são viscerais e por isso curto muito :)

    Um abraço,
    oepitafio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Atrás da porta" tbm está entre as minhas preferidas, é perfeita!

      Excluir
  2. Chico sempre rende belas postagens! Não é à toa que ele é ele. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, ele é o mestre de todos nós, rs.

      Excluir
  3. chico hoje, chico amanhã, chico sempre.

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!