domingo, 23 de fevereiro de 2014

A banda da minha adolescência ainda existe!

A minha colega blogueira Virgínia escreveu um post sobre a banda que ela gostava na adolescência e que agora já não existe mais (leiam aqui). Inspirada nesse post, vou contar para vocês sobre a banda da minha adolescência. E eles ainda existem! Aliás, estive com eles na última sexta-feira num show incrível.

Única foto minha que ficou boa. Titãs tocando Cabeça Dinossauro.
Os Titãs estão na minha vida desde sempre. Quando eu era adolescente já cantava e dançava suas músicas na rua com os amigos. Lembro-me de quando ouvimos Miséria pela primeira vez, e ficamos tentando entender o que eles diziam naquele finalzinho, num dialeto estranho, que bem mais tarde descobri ser cantado por Mauro e Quitéria, repentistas de Pernambuco.

Show em Vinhedo - foto oficial
Bem antes disso, as tardes de sábado já eram embaladas pelos Titãs no Cassino do Chacrinha, programa da TV Globo, onde eles tocavam Sonífera Ilha, ainda com todos os integrantes originais da banda, vestindo aqueles roupas ridículas dos anos 80, e com cabelos ostentado cortes da mesma década.

Titãs no Chacrinha
Desde aquela época eu acompanho a carreira deles, curtindo cada fase e aprendendo a gostar de cada música nova. E quanto aos shows, o primeiro que assisti ao vivo foi em 1997, quando eles gravaram o Acústico MTV, em comemoração aos 15 anos de carreira. Ali ainda estavam presentes quase todos os integrantes, com a exceção de Arnaldo Antunes, que tinha deixado a banda em 91, depois do lançamento do disco Tudo ao mesmo tempo agora.

Imagem do Acústico MTV
Esse show foi memorável; eles tocaram quase todas as canções que estavam no CD acústico, que eu vinha ouvindo diariamente. E para ficar ainda mais inesquecível, eu estava grávida, e, como já contei pra vocês em outro post, eu tocava o álbum para meu filho ouvir ainda dentro da minha barriga. Depois que ele nasceu, colocava Comida para ele dormir. E dava certo ;)

Show em Vinhedo - foto oficial
Algum tempo depois, fui a outros shows deles: na Unicamp, quando atiraram num jovem do lado de fora do ginásio, no Rodeio de Americana, na Red Eventos e esse último, na Festa da Uva. E a cada show eu gosto mais deles. Não tem como não ficar arrepiada ao ouvir os primeiros acordes de Cabeça Dinossauro ou Comida.

Show em Vinhedo - foto oficial
Em 2012, os Titãs comemoraram seus 30 anos de carreira e fizeram vários shows tocando na íntegra o disco Cabeça Dinossauro, lançado em 86, e, atualmente, estão em estúdio gravando um novo álbum, com previsão para sair em maio desse ano. Por isso, o show que eles apresentaram em Vinhedo trouxe seus maiores sucessos, como Polícia, Bichos Escrotos e Flores.


Mesmo que agora os Titãs sejam apenas 4, continuam mandando muito bem no palco, com Mario Fabre na bateria, substituto de Gavin desde 2010. Aliás, a ausência de Charles é a que eu mais sinto, mesmo aceitando que Fabre é um ótimo baterista. A falta de Gavin nem é tanto pela parte musical, mas pela figura dele ali atrás dos outros integrantes. Para mim, ele é o cara da banda, e eu realmente sinto a falta dele nos shows.

Show em Vinhedo - foto oficial
Algumas pessoas dizem que os Titãs perderam a mão, que já não fazem rock como antigamente e que o último CD já não foi tão bom, mas eu discordo. Acho que eles continuam bons músicos, apenas estão mais maduros e com a idade tudo muda. Ninguém continua sendo um jovem rebelde a vida toda. Tanto que, em seus projetos individuais, cada um dos Titãs mostra esse lado mais maduro. Já falei de cada um dos integrantes da banda aqui no blog, com um post especial para cada, inclusive para os membros que já deixaram o grupo, e sobre suas carreiras paralelas, dando detalhes do trabalho que cada um faz quando não está encantando os fãs com seu rock'n'roll.

Show em Vinhedo - foto oficial
Enfim, ao contrário da Virgínia, a banda da minha adolescência ainda existe, e ainda está me fazendo feliz a cada vez que toca AAUU e Homem Primata. Sérgio Britto, Tony Bellotto, Branco Mello e Paulo Miklos são lindos, maravilhosos e carismáticos, cada um do seu jeito, e todos juntos, com suas guitarras, baixo e teclado, tocando Marvin, Televisão, Go Back, O Pulso ou Vossa Excelência.

Show em Vinhedo - foto oficial
Titãs é como Legião Urbana: é impossível escolher a melhor música, ou o melhor disco. Nem dá pra falar pra vocês apenas num post sobre todas as canções deles que eu amo, mas o importante é registrar que eles ainda fazem parte da minha vida, e farão sempre, ainda que, num futuro distante, deixem de gravar novos álbuns ou se apresentar ao vivo. E como disse Marisa Monte: salve Titãs!


Para quem quiser saber mais sobre a história da banda ou os próximos shows, basta visitar seu site através desse link.

Um comentário:

  1. E quem não gosta desses meninos? Sensacionais!!!
    Eu adoro Titãs e a banda também faz parte dos meus favoritos.
    Adorei o texto!!!

    Beijo, Vi

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!