terça-feira, 4 de março de 2014

Carnaval literário: Pântano de sangue - resenha


"A turma dos Karas luta contra o crime organizado que está agindo no Pantanal de Mato Grosso, sob liderança do implacável Ente. Em um enredo fascinante, repleto de suspense do começo ao fim, os Karas envolvem-se na trama criminosa que leva à dramática destruição dos jacarés, dos índios e da natureza."

Os Karas estão de volta, e, dessa vez, numa aventura ainda mais arriscada que a primeira. Um professor do Colégio Elite é misteriosamente assassinado numa rua de São Paulo, e o responsável por sua morte faz a polícia acreditar que se trata apenas de mais um assalto seguido de morte, parte da violência da grande cidade. Mas o jovem Crânio, que não tem esse apelido à toa, pois é o melhor aluno da escola, não deixa a investigação terminar assim, e acaba descobrindo algumas pistas que o direcionam ao Pantanal.

Ao lado do corpo do professor havia uma pequena maleta com alguns slides. Crânio foi até a casa da vítima e falou com sua esposa, que lhe mostrou os slides das fotos tiradas pelo antigo professor. Todas estavam na ordem em que foram tiradas, mas no meio delas havia três que não se encaixavam na sequência, o que levantou as suspeitas de Crânio, que conhecia a mania de organização do professor.

Diante desse fato estranho, o líder dos Karas convoca uma reunião extraordinária e comunica ao grupo suas descobertas, e também avisa que quer investigar as circunstâncias do assassinato. Para descobrir o real motivo desse crime ele pretende ir até o Pantanal e refazer os passos do professor, de acordo com a ordem dos slides. Crânio acredita que ali deve haver alguma informação crucial para descobrirem quem assassinou o dono das fotos.

Os demais membros do grupo são contra a investigação particular de Crânio, mas o rapaz não muda de ideia, e parte para o Mato Grosso, onde tem uma tia muito rica que vai recebê-lo por alguns dias. Mas as coisas não saem como ele planejou e Crânio acaba caindo direto nas mãos dos maiores criminosos do Pantanal.

Miguel, Magri, Calu e Chumbinho vão com o detetive Andrade ao encontro de Crânio, já sabendo que algo deu errado, e eles passam a seguir algumas pistas deixadas pelo amigo, que levam ao misterioso chefe do crime organizado local, conhecido como Ente.

Entre planos que dão errado, sequestros e um grande segredo em torno do Ente, os cinco amigos vão entrando cada vez mais fundo no Pantanal e descobrindo que nem só de turismo vive a região.

Além da grande reviravolta do enredo, Pedro Bandeira também aproveita para passar um aviso aos leitores: é preciso cuidar da natureza enquanto ainda possuímos uma flora e uma fauna incomparável.

Pântano de sangue
Pedro Bandeira
editora Moderna
190 páginas
nota do blog: 3.5
nota do Skoob: 3.8

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!