segunda-feira, 30 de junho de 2014

Um pouquinho de...

"Ela se levanta e arruma o vestido. Oliver coloca as mãos na posição correta, como se fosse um dançarino profissional - uma nas costas dela, outra no ar. Sua postura é perfeita, o rosto sério, e ela se encaixa no abraço que a espera com um sorriso tímido.
- Eu não faço ideia de como dançar assim.
- Eu mostro - diz ele, mas não se mexe.
Eles ficam assim em pé, a postos, como se estivessem esperando que a música comece. Não conseguem parar de sorrir. A mão nas costas dela tem eletricidade, e estar ali daquele jeito, tão perto dele, é o suficiente para deixá-la tonta. É como se estivesse caindo, como se tivesse esquecido a letra de uma música."

(página 219, capítulo 18)

domingo, 29 de junho de 2014

Filmando #12 - Débi & Loide

Olá leitores! Hoje venho falar de um filme meio antigo, mas que eu adoro e que até hoje me faz rir horrores.


"Débi & Loide - dois idiotas em apuros" (Dumb & Dumbler, no original em inglês), foi lançado em 1994 e tem Jim Carrey e Jeff Daniels nos papeis principais.

No filme os dois amigos estão falidos e mal têm dinheiro para pagar o aluguel. Loide, vivido por Carrey, que trabalha como motorista de uma limosine, leva Mary até o aeroporto, e se encanta pelo moça. Quando ela embarca em seu avião esquecendo uma maleta no saguão, o rapaz corre para pegá-la e decide ir para Aspen devolvê-la à sua dona.



Débi aceita ir com ele e a partir daí começam as maiores confusões: desde viajar em um carro que foi transformado em cachorro para que eles pudessem trabalhar como um petshop, até matar por acidente um bandido que os estava seguindo.

Apesar dos percalços, a diversão é garantida, e é impossível não chorar de rir com algumas situações protagonizadas pela dupla. Muitas cenas são clássicas para mim, e, como já assisti ao filme centenas de vezes, até decorei a maioria delas.

Como não rir da dupla experimentando roupas ao estilo "Uma linda mulher" para ir a um evento chique em Aspen? Ou quando Débi (Jeff Daniels) gruda sem querer a língua num cano congelado enquanto está esquiando com Mary?



Acredito que duas das cenas mais engraçadas que já vi em filmes foram a da moto, quando Débi diz que precisa fazer xixi e a das luvas, quando Débi revela a Loide que suas mãos estão congelando, em sua primeira noite em Aspen.


Há toda uma trama em torno da bela Mary Swanson, e de repente os amigos se veem envolvidos numa disputa por dinheiro e poder. Além de serem muito inocentes e não possuírem nenhum tipo de maldade, Débi e Loide não são muito inteligentes, e é essa aura de bondade que deixa as situações ainda mais engraçadas, já que em algumas oportunidades essa pureza os leva a viver muitas dificuldades sem perder o bom humor.

E no final do filme, quando começamos a sentir pena da ingenuidade dos dois... vem mais uma piada!



O filme é incrivelmente engraçado e se vocês ainda não assistiram, não percam mais tempo! Deem um jeito de ver, pois a continuação vem ai: depois de 20 anos está sendo gravado um novo filme, com os mesmos atores, mostrando o que aconteceu com eles depois que deixaram Aspen. Imperdível!

Se vocês ficaram curiosos, não deixem de ver o trailer abaixo. E depois comentem!


sábado, 28 de junho de 2014

Game of Thrones e Futebol

Gente, que sofrimento! Foi por pouco, mas o Brasil conseguiu passar pelo Chile hoje. E eu que não gosto do Júlio César tive que admitir que ele foi bem demais nos pênaltis. Só espero que ele continue bem nos próximos jogos.

E para quem gosta de futebol, uma coisa que chama bastante a atenção são as camisas dos times. eu, particularmente, acho lindas as da Espanha, Itália e Alemanha. E a designer de roupas Nerea Palacios também gosta. Tanto que sonha em trabalhar para a Nike.

E para tentar conseguir o emprego de seus sonhos, ela abriu uma conta no Tumblr para divulgar seu portfólio, e aproveitou a série "Game of Thrones" para criar uniformes incríveis, com as cores de cada casa. Deem uma olhada em como ficaram os modelitos e escolham seu preferido:










Eu gostei do da Patrulha da Noite e da Casa Martell, e vocês?

É uma forma no mínimo inusitada de se pedir emprego, não é mesmo? Mas a moça é boa no que faz, merecia uma chance da Nike ;)

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Sexta de música #71 - Belo Casamento


Mais uma semana se passou e, para entrar com o pé direito nesse final de semana, que tal uma playlist para o último episódio da trilogia de Travis e Abby?

"Belo casamento", que foi resenhado aqui ontem, vem encerrar a estoria desses dois jovens confusos e apaixonados, que, aparentemente, não têm nada a ver um com o outro, mas que acaba se entendendo, de um jeito ou de outro ;)

Apesar de não ser tãooo fã dessa trilogia, estou botando fé que o spin-off que está sendo escrito pela autora vai ser bem interessante. Ela vai lançar um livro contando a estória de um dos irmãos de Travis, e parece que vai ficar legal.

Então, curtam a playlist, leias as resenhas dos três livros e não esqueçam de comentar no final do post, combinado?


1. Young folks - The Kooks
2. Feel so close - Calvin Harris
3. Are you gonna be my girl - Jet
4. With me - Sum 41
5. In love with you - Erikah Badu 
6. That girl - Justin Timberlake
7. Half of my heart - John Mayer
8. Longe de você - Charlie Brown Jr.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Belo casamento [Resenha]

 "Como num conto de fadas moderno, sabemos que Travis e Abby se casaram e foram felizes para sempre... mas quanto realmente conhecemos dessa história? Por que Abby fez o pedido de casamento? Que confidências eles trocaram antes da cerimônia? Onde passaram a noite de núpcias? Quem sabia que eles iam se casar e guardou segredo? Todos os detalhes sobre o casamento deles eram secretos, até agora. Nesse livro todas as perguntas serão respondidas, e a estória é contada pelo ponto de vista dos dois personagens."

De toda a trilogia da autora Jamie McGuire, esse acabou sendo o meu livro preferido. Talvez por ele ser mais breve e mais objetivo que os anteriores, que, como comentei nas resenhas, têm alguns diálogos meio confusos e acabam enrolando muito para resolver os conflitos da estória.

Depois de ler a mesma estória duas vezes, uma pela visão de Abby e outra pela perspectiva de Travis, aqui encontramos um spin-off de "Belo desastre" e "Desastre iminente", onde o casal revela como aconteceu seu casamento, em detalhes: desde a decisão que Abby teve que tomar para se casar de repente, e os motivos que a levaram a fazê-lo, até o durante e o depois da cerimônia.

Para quem gostou do estilo bad boy que Travis representava nos livros anteriores, vai se decepcionar com o novo comportamento do garoto aqui; ele tenta a todo custo controlar sua raiva e não espancar qualquer pessoa que pareça estar dando em cima de Abby. Ela, por outro lado, tenta de tudo para proteger seu amado, mesmo que para isso tenha que ficar contra tudo e contra todos.

É muito legal conhecer esse outro lado de Travis, mais carinhoso e mais próximo de um cara real. Também gostei da Abby mais madura, mas segura de si e disposta a começar uma nova vida ao lado de Travis.

O ponto forte do livro é a narrativa dupla: cada capítulo é contado por um dos personagens, sendo intercalado por um e por outro, proporcionando ao leitor uma ampla visão dos acontecimentos e dos sentimentos dos dois. Isso é legal porque, nos dois primeiros livros, eu não conseguia me adaptar com a terrível mania dos personagens não terminarem suas frases, não se abrirem um com o outro, e deixarem as coisas mal resolvidas por boa parte do tempo.

Gostei muito do livro, mas acho que ele era desnecessário. Me passou a impressão de se tratar apenas de uma parte do primeiro livro que acabou ficando de fora para não deixá-lo ainda mais longo. Apesar disso, ele é o meu preferido da trilogia.

Quem leu "Belo desastre" e "Desastre iminente", vai gostar de "Belo casamento" e vai conseguir ligar todos os pontos do enredo. Para aqueles que não leram, talvez não seja uma leitura indicada, já que seria complicado entender a trama por trás do casamento de Abby e Travis.

Belo casamento
Jamie McGuire
editora Verus 
126 páginas
nota do blog: 4
nota do Skoob: 4.3

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Sei Que Eu Sei News #14 - Atualizado



Mais novidades no universo do cinema: Ansel Elgort, que viveu Augustus Waters na adaptação do livro "A culpa é das estrelas", vai protagonizar outro filme interessante.



Ele vai interpretar o pianista americano Van Cliburn, que ficou muito conhecido ao ganhar o Prêmio Internacional Tchaikovsky de piano em 1958, quando tinha apenas 23 anos. Assim, o músico conquistou o público russo em meio a Guerra Fria e se tornou um dos artistas mais famosos no país naquela época.

Infelizmente, sua carreira terminou cedo: em 1978 Cliburn decidiu parar de tocar publicamente. No ano de 87 ele ainda fez uma apresentação na Casa Branca para os presidentes Ronald Reagan e Mikhail Gorbachev, como solista do Concerto nº 1 de Tchaikovsky.

A vida de Cliburn, que morreu em 2013, vítima de câncer nos ossos, foi biografada por  Howard Reich, e essa biografia agora será a base para o filme. A produção será de Wyck Godfrey e Marty Bowen, que já trabalharam com Ansel em ACEDE.

Além de bom ator, Ansel também é músico, e posta suas produções musicais aqui.



Outro ator muito conhecido do público deu o ar da graça nesses últimos dias.



Daniel Radcliffe, sim, aquele mesmo de "Harry Potter", disse numa entrevista ao portal americano BuzzFeed que gostaria de participar do novo filme do Batman, ao lado de Ben Affleck, como Robin. Segundo o ator, ele seria perfeito para o papel.

O filme chegará aos cinemas em 2016, e ainda está em fase de produção, o que dá aos fãs uma pontinha de esperança de que Dan esteja realmente no elenco. Vale lembrar que o site Buzzfeed costuma levar algumas entrevistas mais para o lado humorístico.

E só para não sair do assunto cinema, vou fechar o post com a primeira foto de Christian Grey, que foi divulgada há alguns dias.

A adaptação do best-seller "Cinquenta tons de cinza" tem estreia prevista para fevereiro de 2015, e conta com Jamie Dornan no papel principal, interpretando o milionário-bonitão-louco por controle Grey.


E olha que novidade boa! Assim que terminei esse post ontem, li no Twitter que "Quem é você, Alasca?", de John Green, também vai virar filme! uhu!


O próprio autor anunciou em seu perfil oficial que Sarah Polley (veja o perfil dela aqui), vai escrever o roteiro e dirigir o filme, que só deve chegar aos cinemas depois de "Cidades de Papel". Ainda não há informações sobre o elenco. Esperemos ;)

terça-feira, 24 de junho de 2014

Sei Que Eu Sei News #13



Hoje a organização da 23ª Bienal do Livro de São Paulo, que acontece entre 22 e 31 de agosto, no Anhembi, anunciou que a escritora americana Kiera Cass vai participar do evento!




A autora da famosa trilogia "A seleção" vai estar na Arena Cultural, espaço de encontro entre público e autores. Segundo nota da organização da feira, a autora começou a escrever para se recuperar da tristeza que a abalou depois do massacre ocorrido na Universidade Virgínia Tech, no ano de 2007, que acabou com 33 mortos, dentre eles o atirador que atacou a escola, e 21 feridos. Assim, a trilogia "A seleção" nasceu, como se fosse uma terapia literária para Kiera.

Seus livros são best-seller do New York Times, e a editora Companhia das Letras publicou no Brasil o primeiro volume da série em 2012.


fonte: G1



O prêmio Teen Choice Awards, realizado todo ano pela rede Fox, divulgou os indicados em todas as categorias, e algumas sagas queridinhas dos leitores, e suas respectivas adaptações para o cinema, estão entre os favoritos para levar os prêmios.

No site "Sobre Sagas", vocês podem ver a lista completa de todas as sagas que foram indicadas, e aqui, alguns destaques:

Melhor filme - Ação:
Divergent
Edge of Tomorrow
Godzilla
Maleficent
The Mortal Instruments: City of Bones

Melhor ator - Ação:
Jamie Campbell Bower, The Mortal Instruments: City of Bones
Kellan Lutz, The Legend of Hercules
Mark Wahlberg, Lone Survivor
Theo James, Divergent

Melhor atriz - Ação:
Emily Blunt, Edge of Tomorrow
Lily Collins, The Mortal Instrumens: City of Bones
Elle Fanning: Maleficent
Angelina Jolie: Melficent
Shailene Woodley, Divergent

Melhor filme - Drama:
American Hustle
Heaven is For Real
Million Dollar Arm
The Fault in Our Stars
Veronica Mars

Melhor ator - Drama:
Bradley Coooper, American Hustle
Russell Crowe, Noah
Jason Dohring, Veronica Mars
Ansel Elgort, The Fault in Our Stars
Jon Hamm, Million Dollar Arm

Para conhecer a lista completa, acesse o site "Sobre Sagas" clicando aqui. (fonte)

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Um pouquinho de...

"A pessoas falam sobre livros como meio de fuga, mas ali no metrô o livro faz o papel da própria linha da vida. Ela passa as páginas e todo o resto vai embora: o tocar de ombros e bolsas, a mulher de túnica, roendo as unhas, as duas adolescentes com música tão alta nos fones de ouvido que todo mundo consegue ouvir. O movimento do trem faz sua cabeça balançar, mas ela se concentra nas palavras como uma patinadora que encara um ponto fixo para girar. E põe novamente os dois pés no chão."

(página 146, capítulo 11)

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Sexta de música #70 - Oliver e Hadley



Como venho fazendo ao longo da semana, vou continuar falando hoje sobre "A probabilidade estatística do amor à primeira vista",  livro fofo que terminei recentemente e que entrou rapidamente para a minha lista de favoritos.


Vocês podem ler a resenha clicando aqui, e curtir a playlist de hoje, que foi baseada nos personagens Oliver e Hadley, dois adolescentes que se encontram no aeroporto e se apaixonam durante o pouco tempo que têm para se conhecer.



1. Under cover of darkness - Strokes
2. A sky full of stars - Coldplay
3. Antes de você - Titãs
4. One way or another - One Direction
5. I've got you - McFly
6. 7 things - Miley Cyrus
7. Constellations - Jack Johnson
8. Slow dancing in a burning room - John Mayer

E ai, gostaram das músicas? Não esqueçam de deixar seus comentários no final do post, ok?

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Capas pelo mundo + arte: A probabilidade estatística do amor à primeira vista

Olá leitores! Das minhas leituras mais recentes, com certeza "A probabilidade estatística do amor à primeira vista" foi uma das que mais me agradou. Elogiei bastante o livro na resenha de ontem, e ainda estou um tanto quanto envolvida no clima da estória. 

Por isso, comecei a pesquisar outras pessoas que também tinham gostado do romance entre Hadley e Oliver, e acabei encontrando leitores que, como eu, ficaram fãs desse livro. E se tem uma coisa legal que os fãs fazem é criar arte relacionada com personagens que eles curtem. 

Procurei desenhos bacanas feitos por leitores do livro de Jennifer E. Smith, mas achei pouquíssimos, infelizmente:








Também pesquisei algumas capas de "A probabilidade estatística do amor à primeira vista" que foram publicadas em outros países. Algumas são muito bonitas, mas as minhas preferidas são a brasileira e a italiana.

Alemanha                                                 Estados Unidos

China                                                    Estados Unidos

Grécia                                                        Dinamarca

Holanda                                                               Itália

Espanha                                                         França

Portugal                                                                 Sérvia

Noruega                                                         Suécia

Gostaram? Se você ainda não leu o livro, é uma estória muito legal, apesar da simplicidade, e eu super recomendo a todos. Que tal ler a resenha para conhecer um pouco do enredo? Clique aqui, acesse, e depois volte para me contar o que achou, ok?

quarta-feira, 18 de junho de 2014

A probabilidade estatística do amor à primeira vista [Resenha]


"Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em New York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver, um britânico fofo, que se sente a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles prova, que o tempo é, sim, muito, muito relativo."

Esse livro é fofo! Um romance daqueles que eu adoro, rápido, com diálogos inteligentes, linguagem simples, um menino que poderia ser o príncipe encantado de qualquer menina, e até um final um pouco previsível, mas que não deixa em nenhum momento de ser encantador.

A relação entre Hadley, uma jovem americana que está indo ao casamento do próprio pai em Londres, contra a sua vontade, quase obrigada pela mãe, e Oliver, um menino inglês, que faz faculdade nos EUA e também está viajando para Londres para comparecer a um evento, que ele não deixa bem claro qual é, vai se construindo ao longo da viagem, a bordo do avião, e eles logo descobrem que possuem gostos em comum, e a conexão entre eles é imediata.

Hadley está revoltada com o pai por ter se separado da mãe e a abandonado também, e agora está se casando com uma mulher britânica que ela ainda não conhece. A menina é uma das damas de honra do casamento, e está nervosa com essa situação, acreditando que toda a viagem será uma chatice sem fim. Após perder seu voo, com um atraso de apenas 4 minutos, ela se vê obrigada a ficar no saguão do aeroporto esperando o próximo embarque, e é ali que conhece Oliver.

Os dois acabam embarcando juntos e sentando lado a lado, e passam todas as sete horas de viagem falando sobre o que gostam ou não, sobre seus sonhos e suas frustrações, e Oliver cria um clima propício para que Hadley abra seu coração e coloque para fora toda a raiva que vem sentindo do pai há meses. Quando ela tenta fazer o mesmo com Oliver, ele desconversa e, no final da viagem, quando se separam ela percebe que não sabe quase nada sobre ele, apesar de parecer que o conhece há anos.

Entre surpresas e muito cansaço, Hadley se vêm em meio à cerimônia do pai, sem nenhuma vontade de estar ali, e com o pensamento todo voltado para Oliver, sem saber se o veria novamente. De repente, alguém comenta sobre outra solenidade que está acontecendo num bairro próximo, e Hadley sente que só pode ser onde Oliver está. E, como não poderia deixar de ser, ela sai a sua procura.

O encontro é rápido e confuso, e a menina fica ainda mais desiludida com a conversa que eles têm, e, quando retorna para junto do pai, acaba se entendendo com ele, seguindo alguns conselhos dados por Oliver. É por causa do encontro com o garoto que Hadley percebe o quanto a vida é curta e que o tempo pode passar rápido demais, sem que ela consiga dizer ao pai como se sente. 

Com os conflitos pessoais bem encaminhados, chega a hora do desfecho do romance, e essa é uma das partes mais fofas do livro. A magia do primeiro amor está presente e, mesmo sabendo que teremos um felizes para sempre, a estória é contada de uma maneira tão doce que é impossível não se apaixonar por Oliver e suas sacadas inteligentes. 

Gostei muito do livro, claro, pelo romance, que é muito meigo, mas também pelo enredo como um todo, já que a autora conseguiu mesclar a beleza do primeiro amor com as relações entre pai e filha e mãe e filha, mostrando que, apesar da rebeldia característica do adolescente, ele também pode ser compreensivo e carinhoso.

"A probabilidade estatística do amor à primeira vista"
Jennifer E. Smith
editora Galera Record
224 páginas
nota do blog: 4,5
nota do Skoob: 4,2

terça-feira, 17 de junho de 2014

TAG Moda e Literatura

 imagem: Flávia Kitty

Olá leitores! Hoje vou responder mais uma TAG pela qual não fui indicada, rsrs, mas que achei interessante quando vi no Fofocas Literárias. Originalmente criada pelo blog Expressão Moda & Literatura, aqui é necessário indicar um livro para cada categoria:

1) Um livro "pretinho básico" - aquele que, em qualquer época, todo mundo leu/tem e se não leu tem que ler:

Se você está sempre aqui pelo blog já deve estar cansado de me ouvir elogiar o Marcelo Rubens Paiva. Na maioria das vezes indico "Blecaute", que também é uma leitura obrigatória para todos, mas hoje escolhi "Feliz ano velho", porque é uma leitura NECESSÁRIA para qualquer pessoa. Se você ainda não leu, leia, e depois volte para me contar o que achou ;)

2) Um livro "alta-costura" - aquele pelo qual vale pagar caro, pela qualidade literária e/ou editorial:


Esse livro vale cada centavo, mas é muito caro! Tanto que ainda não o tenho. Já li "A casa dos espíritos", mas peguei na biblioteca, e quando fui comprar me assustei com o preço, mais de 50 reais! Enfim, apesar de ser caro, vale a pena ler, a estória é incrível.

3) Um livro "fast-fashion" - aquele que você leu quando estava todo mundo lendo e gostou, mas hoje já não leria:


Preciso fazer algumas ressalvas quanto a esta escolha: esse livro se encaixa na categoria fashion, já que sua capa é muito bonita, mas não é exatamente uma leitura que eu tenha gostado... todo mundo estava lendo, e ia sair o filme, então fui ler, mas não achei "Cidade dos ossos" tão legal assim. Devido a essa experiência, acho que hoje não o leria.

4) Um livro "calça jeans" - descontraído, que agrada a todos os estilos de leitores:


Esse é um livro muito descontraído, e, além de ser recheado de textos leves e inteligentes, de autores anônimos e famosos, tem 2 textos meus! *___* Por isso todo mundo deveria ler, rs.

5) Um livro "sapato bico fino" - muito bom, mas que foi difícil de ler; pode ter causado desconforto pela forma de escrita/narrativa ou por algum detalhe da estória, e mesmo assim, você leria outras vezes:


Eu adoro os livros sobre vampiro da Anne Rice, mas, esse do Lestat em certo momento fica meio lento, a estória não evolui, e eu fiquei um pouco decepcionada. No geral, ele é bom, por isso, acho que no momento certo vou ler de novo.

Vou deixar a indicação para dois blog legais que tenho lidos ultimamente: Estante da Ale e Clã de Leitores.

Gostaram das minhas escolhas? Deixem suas opiniões no final do post ;)

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Um pouquinho de...

"Hadley coloca a testa no vidro do táxi e se pega sorrindo por causa dele de novo. Oliver é como uma música que ela não consegue esquecer. Por mais que tente, a  melodia do encontro entre os dois fica tocando na cabeça repetidamente, cada vez mais agradável, como uma canção de ninar, como um hino; não tem como ficar cansada daquilo."

(página 109, capítulo 8)

sábado, 14 de junho de 2014

1, 2, 3... PIN!









Começou a Copa do Mundo 2014! E eu adoro! Se possível, vou assistir a todos os jogos. E também já completei meu álbum =)

Nessa imagem do Pinterest, os jogadores que são considerados os maiores craques dessa edição da Copa no Brasil: