sábado, 30 de agosto de 2014

Momento HQ: Nova Marvel, Ponto de Partida

Os fãs hardcore de quadrinhos não se sentem bem com essa popularização das grandes sagas pela indústria do cinema, porém, à medida que filmes fazem sucesso, a venda de revistas aumenta proporcionalmente.


Desde que acabou a "Crise Infinita", a DC buscou alternativas para refazer os universos, literalmente destruídos. Foi então que, em 2011, "Os novos 52" surgiram: um reboot das 52 tiragens do Universo DC. A ideia não agradou a todos os fãs, e a atitude foi vista mais como comercial do que criativa. Falaremos sobre "Os novos 52" nas próximas semanas.

Ocupada com o excelente trabalho que vem fazendo em Hollywood, a Marvel assistiu a DC lançar a reedição dos quadrinhos e fazer sucesso. Inclusive, todos nós vimos o Aquaman chutando bundas em sua edição de "Os novos 52", e é claro que o primeiro pensamento da Marvel foi: palhaçada tem limites.

Na edição de lançamento, os roteiristas deixam claro que a Nova Marvel não é um reboot, e sim, um grande relançamento de novas histórias, novos personagens, novas sagas e parcerias, mas tudo de acordo com a cronologia atual. Nada foi apagado, apenas redirecionado.

Em "Ponto de partida", Nick Fury protagoniza um interrogatório de um especulador da bolsa de valores e viajante do tempo. Durante a conversa, o desconhecido não diz exatamente o que quer, apenas fala sobre um aviso que ninguém ouvirá, e começa a contar algumas histórias sobre novos heróis, e o que está acontecendo nesse exato momento em suas vidas. Loki pede ajuda à Miss América para recrutar jovens vingadores; Nova dá uma surra em Diamante e recebe o chamado de Thor; e o Homem Formiga tem o passado  martelando suma mente por culpa do Dr. Destino. Entre as histórias a melhor é, sem dúvida, a vida do índio Forge, que, aparentemente, se encontra longe de sua sanidade mental, e encontra Cable para uma suposta reconstrução.

Ao final, uma simples palavra sai da boca do desconhecido e muita coisa acontece. E não estamos falando de "Rosebud", e sim, "Kobik". Ainda assim, Orson Welles ficaria orgulhoso.

Para os velhos leitores, o recomeço pode ser bem vindo: novos artistas, novos autores, novas histórias. Mente aberta e paciência com a "Nova Marvel", gafanhotos.

Para os novos leitores é realmente um ponto de partida: o início de uma nova era para a Marvel.

Para os alienados: retomem o seu "Fantastic Four #1" (1961) e se tranquem na torre mais alta!

O futuro começa agora!
Junte-se à revolução!


João Oliveira, escreve aqui sobre quadrinhos, e mantém o blog NBA Time, onde fala sobre sua paixão pelo basquete.
@oliveira_jh

2 comentários:

  1. Cara, pelo amor de Deus, written é Kobik? Consigo achar em lugar nenhum

    ResponderExcluir
  2. Cara, pelo amor de Deus, written é Kobik? Consigo achar em lugar nenhum

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!