quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Momento HQ: Tartarugas Mutantes Adolescentes Ninjas

Olá leitores! É uma alegria enorme apresentar hoje para vocês uma nova coluna e o novo colaborador do blog, João Oliveira, que vai aparecer sempre por aqui para falar um pouquinho sobre os quadrinhos que ele anda lendo. Eu espero sinceramente que nossa parceria seja muito longa, e que vocês curtam os comentários dele.

Seja bem vindo João e DFTBA!


Quase 30 anos depois das primeiras edições, o retorno das Tartarugas Ninjas às bancas causou um certo frisson entre o público saudosista que acompanhou os quadrinhos na década de 80, e naqueles que gastaram horas jogando "TMNT - Turtles in Time" no Super Nintendo, as novas HQs vêm conquistando a nova geração de leitores. Afinal de contas, ler quadrinhos não é infantil, é um estilo de vida.

As novas edições foram lançadas pela Panini no Brasil em setembro de 2012, com periodicidade mensal. Sem muito sucesso, as publicações chegaram perto de um cancelamento, mas a editora retomou as máquinas à todo vapor e, com a estreia do filme se aproximando, mais amantes de quadrinhos estão embarcando com os quatro répteis renascentistas e o velho mestre Splinter em suas aventuras.

Destaque para o criador Kevin Eastman, criador dos personagens e que continua como roteirista principal da nova saga.

Falando sobre o conteúdo, as quatro primeiras edições se referem aos quatro tartarugas, cada um em uma diferente situação e desacompanhados dos irmãos: a tiragem de lançamento mostra Raphael com seu amigo Casey Jones nas ruas de New York perseguindo perigosos assaltantes, que se revelam muito mais que isso; no segundo volume é a vez da apresentação de Michelangelo, que entra de penetra numa festa e passa a fazer parte de um roubo.

Donatelo figura a terceira edição como o mesmo nerd viciado em tecnologia de sempre. Em uma feira de ciências ele reencontrará um velo inimigo de internet, enquanto Leonardo, na quarta HQ, passa por maus momentos enfrentando milhões de inimigos, correndo atrás de Splinter e relembrando histórias de sua infância.

Ao chegar na quinta edição, a estória mostra duas linhas temporais: o passado, quando as tartarugas ainda viviam dentro de um aquário num laboratório, e o presente.

Kevin Eastman não mudou a fórmula das originais tartarugas ninjas: a personalidade marcante de cada um ainda é bem forte e o humor está presente em praticamente todas as páginas. Kevin ainda faz piadas com fatos que marcaram os personagens no passado, como o famoso 'cawabunga'.

Apesar das semelhanças, não se esqueçam de se trata de um reboot, então, tudo o que era sabido sobre a estória pode ser mudado. Aliás, uma das primeiras surpresas é em relação a jornalista e fiel amiga April. Os cenários também sofreram algumas mudanças para manter atual os aspectos de New York.

O que mais gostei foi o ritmo da estória. Por serem revistas curtas (apenas 24 páginas por edição), a trama prende o leitor como poucos quadrinhos conseguem. Tudo acontece depressa, então não há tempo para enrolação. As Tartarugas Ninjas não abrem espaço para multiversos, e isso deixa a estória bem direta.

O ponto negativo dos quadrinhos é a carte em cada revista. Nas primeiras cinco edições são cinco artistas diferentes que fizeram a arte, e isso deixou as sequências estranhas. A partir do quinto volume, Dan Duncan assume a arte e segue até o fim. Antes disso, Franco Urru, Ross Campbell e Valerio Schiti (para mim, o melhor), dividiram as edições individuais. Fato que pode ser relevado sem problemas, meus caros.

Renda-se às Tartarugas Mutantes Adolescentes Ninjas e sinta a ação e o humor se misturando em doses radioativas!

Recomendado para velhos e novos leitores.


João Oliveira, escreve aqui sobre quadrinhos, e mantém o blog NBA Time, onde fala sobre sua paixão pelo basquete.
@oliveira_jh

4 comentários:

  1. "Afinal de contas, ler quadrinhos não é infantil, é um estilo de vida." ganhou meu respeito com essa frase...
    Adoro quadrinhos mas nunca fui um grande fã das tartarugas ninja, talvez eu dê uma chance e elas me conquistem... quem sabe ^^
    Grande Abraço!

    Leitor Antissocial

    ResponderExcluir
  2. Oi Rudi!
    O João vai ficar contente de saber que você curtiu a frase dele!
    Olha, eu tbm não li, mas pretendo. Talvez seja bonzinho, rsrs.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  3. Li muitos quadrinhos mas essa é a primeira vez que leio uma resenha sobre o assunto, gostei muito, parabéns João!
    Nossa paixão literária vem com os quadrinhos, e ela certamente nunca acaba!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que ela nunca acabe mesmo! Só acaba com nosso dinheiro, mas tudo bem, rsrsrs.

      Excluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!