terça-feira, 4 de novembro de 2014

Primeiro filme de Harry Potter era lançado há 13 anos

É isso leitores, o tempo passa e a saudade dos livros e dos filmes continua conosco. Ainda bem que Harry Potter nunca foi e nunca será uma modinha, e as estórias de J. K. Rowling estarão sempre aqui para nos fazer companhia.


Em 4 de novembro de 2001, em Londres, foi exibido pela primeira vez a adaptação do livro "Harry Potter e a pedra filosofal" para os cinemas, apenas o primeiro de uma série de produções baseadas nos romances de Rowling, e que marcaria para sempre a vida dos fãs do bruxinho.

Foi emocionante poder atribuir um rosto de verdade aos personagens que só existiam nas nossas cabeças, e mais incrível ainda foi ver que os atores eram perfeitos para interpretá-los: Daniel Radcliffe, Rupert Grint e Emma Watson, se transformaram em Harry, Rony e Hermione, respectivamente, e conquistaram a todos nós com suas atuações. Não há um fã de Harry Potter que não os considere parte da família.

Os atores no dia da Premiére, com J. K. Rowling

O filme foi dirigido por Chris Columbus, com teve roteiro de Steve Kloves, e mostrava como Harry se descobre um bruxo e entre nesse estranho universo, vivendo seu primeiro ano na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Ali ele conhece aqueles que viriam a ser seus melhores amigos, e, juntos enfrentam situações muito perigosas (além de estudar magia, claro).

O filme foi rodado em vários locais históricos do Reino Unido, como a Universidade de Oxford, e faturou mais de US$ 974 milhões no mundo. A produção foi indicada para vários prêmio, incluindo o Oscar de Melhor Trilha Sonora Original, Melhor Direção de Arte e Melhor Figurino.

Ainda tenho guardada a edição da revista Veja que anunciava a estreia do filme no Brasil, e me lembro da sensação de olhar pela primeira vez para o rostinho infantil de Daniel e imediatamente me apaixonar por aquele Harry, que parecia traduzir a imagem que eu tinha em mente enquanto lia o livro.



Desde então o fandom só cresceu, e, mesmo quem ainda era muito pequeno (ou nem nascido) naquela época, hoje conhece e gosta de Harry Potter, o que só prova o quanto a criação da tia Jo é especial.

4 comentários:

  1. Olá, Srta. Masen!

    "Harry Potter" é eterno.

    Eu também tenho esta edição da revista Veja — e não encontro mais em minhas bagunças aquela sobre o lançamento do segundo filme!

    Gostei da sua publicação! ;)

    -------
    "Ele não podia saber que neste mesmo instante, havia pessoas se reunindo em segredo em todo o país que erguiam os copos e diziam com vozes abafadas.

    A Harry Potter, o menino que sobreviveu."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vinícius!
      Legal saber q vc tbm tem essa revista, mas a outra eu não tenho =(
      Com certeza, Harry Potter é eterno, e estará para sempre conosco.
      Bjos!

      Excluir
  2. Oi Jô,
    Acredita que eu nunca li HP, nem tenho muita vontade... não gosto muito de fantasia, e apesar de saber que o foco da história não é na bruxaria e sim na relação de amizade deles (pelo menos é o que chegou até mim de diversas fontes) não é uma história que chame minha atenção, vi o primeiro e o terceiro filme na época de escola porque a professora passou pra minha turma, vi uns pedaços salteados do segundo e do... quarto ou quinto, não sei (o do príncipe) zapeando os canais da TV, como disse, não é uma coisa que me interessa muito, apesar de ter consciência que é bom, não teria tantos fãs se não fosse né?!
    Grande abraço!!!

    Leitor Antissocial

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entendo que cada pessoa tenha seu próprio gosto e seus interesses, mas acho que vc não deveria se basear pelos filmes apenas. A minha dica é que vc comece o primeiro livro, dê uma chance, e depois, se não gostar mesmo, tudo bem ;)
      Bjos!

      Excluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!