domingo, 14 de dezembro de 2014

O presente de Natal de J. K. Rowling para os fãs de Harry Potter #2

O universo Harry Potter é tão rico que é possível escrever sobre ele para sempre! Será que é essa a intenção de Rowling? Talvez, mas por ora, comemoramos esses pequenos contos que ela vem publicando como presente de Natal para seus fãs. E entre ontem e hoje, foram 4 textos, todos através do Pottermore, e traduzidos pela equipe do Potterish.

No sábado os textos foram sobre O Caldeirão Furado, o pub preferido da maioria dos alunos e professores de Hogwarts, e Flores Fortescue, dono de uma loja de sorvetes no Beco Diagonal:



- O Caldeirão

"Algumas pessoas discutem que o pub mais velho em Londres é o White Hart na Alameda Drury; outras que é o Angel, na Rua Bermondsey Wall, ou o Lamb and Flag na Rua Rose. Todas essas pessoas são trouxas, e todas elas estão erradas. O pub mais velho em Londres , como qualquer bruxo irá lhe dizer, é o Caldeirão Furado, na Rua Charing Cross.
O Caldeirão Furado estava ali muito antes da Rua Charing Cross ser planejada; seu verdadeiro endereço é o número um, Beco Diagonal, e acredita-se que ele foi construído em algum momento no começo do século XVI, juntamente com o resto da rua bruxa. Criado cerca de dois séculos antes da imposição do Estatuto Internacional de Sigilo em Magia, o Caldeirão Furado era inicialmente visível aos olhos dos trouxas. Embora o pub fosse, de início, um lugar para bruxos e bruxas se reunirem - tanto londrinos quanto estrangeiros que passavam o dia na cidade para comprar os últimos ingredientes ou equipamentos mágicos lançados - trouxas não eram expulsos ou mal recebidos, apesar de quel algumas das conversas, sem mencionar os animais de estimação, faziam com que muitos clientes desprevinidos saíssem do pub sem terminar suas refeições.
Quando o Estatuto do Sigilo foi imposto, o Caldeirão Furado, que havia se tornado uma grande instituição bruxa britânica, recebeu uma permissão especial para que pudesse continuar a funcionar como um porto seguros e refúgio para a comunidade bruxa na capital. Apesar de insistir em vários poderosos feitiços de ocultamento, e bom comportamento de todos os clientes, o Ministro da Magia, Ulick Gamp, foi compreensivo em relação à necessidade dos bruxos relaxarem devido aos novos desafios. Ele também concordou em dar ao proprietário do pub da época a responsabilidade de deixar as pessoas entrarem no Beco Diagonal através de seu quintal, uma vez que as lojas que se localizam além do pub também necessitavam de proteção mágica.
Em honra ao apoio de Gamp ao pub, o proprietário criou uma nova marca de cerveja, a Velha Gregária de Gamp, cujo sabor era tão desagradável que ninguém jamais conseguiu beber uma pinta inteira (há um prêmio de cem galeões para qualquer um que esteja disposto a fazê-lo, mas ninguém obteve sucesso na tarefa ainda).
O Caldeirão Furado enfrentou um de seus desafios mais difíceis no final do século XIX, com a criação da Rua Charing Cross, que requeria a demolição do pub por inteiro. O Ministro da Magia da época, o tedioso falante Faris Spavin, deu um melancólico discurso na Suprema Corte dos Bruxos, explicando por que o Caldeirão Furado não poderia ser salvo desta vez. Sete horas mais tarde, quando Spavin se sentou depois de ter terminado seu discurso, foi-lhe apresentado um memorando por seu secretário, explicando que a comunidade bruxa tinha se mobilizado e realizado uma quantidade massiva de feitiços de memória (alguns dizem, até os dias atuais, que a Maldição Imperius foi usada em vários trouxas urbanistas, embora isso  nunca tenha sido provado) e o Caldeirão Furado foi acomodado nos planos revistos para a nova rua.
O Caldeirão Furado pouco mudou ao longo dos anos; ele é pequeno, sombrio e acolhedor, com alguns quartos acima do bar, para viajantes que vivem muito longe de Londres. É o lugar ideal para se por em dia as fofocas do mundo bruxo, caso você viva muito longe da vizinhança mais próxima."

- Florean Fortescue:

"Florean Fortescue, dono de uma loja de sorvetes no Beco Diagona, é o protagonista de um enredo fantasma (uma narrativa que nunca chegou aos livros finais). Harry o conhece durante 'O Prisioneiro de Azkaban', onde descobre que Florean sabe muito sobre bruxos medievais. Mais tarde, Harry descobre que um ex-diretor de Hogwarts se chamava Dexter Fortescue."

Observações de Rowling sobre esse personagem: "Florean é um descendente de Dexter, e eu tinha originalmente planejado que ele fosse o condutor das pistas que eu precisava dar a Harry durante sua procura pelas Relíquias, e é por isso que estabeleci uma familiaridade logo cedo. Nessa época, eu imaginava que a mente histórica de Florean poderia ter muitas informações sobre assuntos diversos, como a Varinha das Varinhas e o Diadema de Corvinal, tendo essas sido passadas para a família Fortescue por seu solene ancestral. Quando fui me aproximando do momento em que essa informação seria necessária, fiz  Florean ser sequestrado, com o objetivo de que ele fosse encontrado por Harry  e seus amigos.
O problema foi que quando eu fui escrever as partes mais importantes de 'As relíquias da morte', decidi que Fineus Nigellus Black era um meio muito mais satisfatório de dar pistas. As informações de Florean sobre o Diadema também me pareceram redundantes, já que eu podia dar ao leitor tudo o que ele precisava ao entrevistar a Mulher Cinzenta. No fim, eu acabei o sequestrando e o matando sem motivo. Ele não foi o primneiro bruxo a ser morto por Voldemort porque sabia demais (ou muito pouco), mas ele é o único que me deixa culpada, porque a culpa foi minha."

No domingo Rowling falou um pouco sobre caldeirões e poções, confiram:


- Caldeirões:

"Caldeirões já foram usados tanto por trouxas como recipientes para cozinhar, grandes e de metal, que podem ser suspensos sobre o fogo. Em tempo, pessoas mágicas e não-mágicas passaram a usar fogões; panelas passaram a ser mais convenientes e caldeirões passaram a ser de domínio unicamente dos bruxos e bruxas, que continuaram a preparar poções neles. Uma chama viva é essencial para o preparo de poções, o que faz do caldeirão o recipiente mais prático de todos.
Todos os caldeirões são encantados para ficarem mais leves de se carregar, já que são mais comumente feitos de chumbo ou ferro. Invenções modernas incluem variedades de caldeirão como o auto-flexível e o desmontável, e recipientes de metais preciosos também estão disponíveis para o especialista ou aquele que quer aparecer."


- Poções:

"É comum o questionamento se um trouxa conseguiria criar uma poção, se tivesse um livro de Poções e os ingredientes certos. A resposta, infelizmente, é não. Sempre é necessário algum elemento de trabalho com a varinha para preparar uma poção (adicionar meramente moscas mortas e asfódelo em uma panela sobre o fogo não vai te dar nada que não uma sopa com gosto desagradável, além de venenosa).
Algumas poções produzem os efeitos de feitiços e encantamentos, mas algumas outras (por exemplo, a Poção Polissuco e  a Felix Felicis) têm efeitos impossíveis de se alcançar de outra forma. De um modo geral, bruxos e bruxas escolhem o métodos que consideram mais fácil, ou mais satisfatório, para produzir o fim desejado.
Poções não são para os impacientes, mas seus efeitos são difícies de reverter por qualquer um que não um preparador de poções habilidoso. Esse ramo da magia carrega certo ar místico e, por conseguinte, status. Tanbém tem o diferencial sombrio de manipulação de substâncias que são altamente perigosas. A ideia popular de um expert em poções na comunidade bruxa é a de alguém com personalidade comtemplativa e controlada: Snape, na verdade, se encaixa perfeitamente no estereótipo."

Gostaram? Aguardem por mais novidades ao longo da semana, e acessem o site Potterish para ler as observações de J. K. sobre cada um contos. Prestigiem o trabalho da equipe, eles merecem ;)

6 comentários:

  1. Puxa, não sabia que já tinha saído tudo isso. Tudo o que li foi o da cidade onde a Lily e o Snape cresceram. E acho meio estranho chamar esses textos de "contos", acho que eles são mais informações adicionais, como se houvesse um glossário do mundo de Harry Potter.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nina, vc tem toda razão, conto pra mim é algo bem diferente, mas se o Pottermore diz que é conto, a gente reproduz ;)
      Estou adorando tudo isso, e espero q vc tbm!
      Bjos!

      Excluir
  2. Eae, Joana!
    Acho que a J. K. Rowling não consegue sair do universo Harry Potter, não importa quanto tempo passe! AINDA BEM!
    Quando vi a notícia de novos contos fiquei super empolgado! Confesso que fiquei meio desanimado quando vi as publicações, esperava alguma história nova qualquer! Mas mesmo assim estou acompanhando e adorando!
    =D

    http://osdragoesdefogo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem! A galera que curte HP não se cansa, e com certeza é um universo que ainda tem muito para ser explorado.

      Excluir
  3. e você foi uma linda! trouxe os contos traduzidos e juntou os três num post só!
    rápido, eficiente e criativo!
    vlw, masen!

    gabryel fellipe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E vc é um fofo Gabryel! Que bom que gostou, acompanhe todos por aqui ;)

      Excluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!