domingo, 1 de fevereiro de 2015

Filmando #13 - Birdman

É chegada a temporada do Oscar, e todo mundo corre para assistir aos filmes indicados. Eu também estou nessa, e ontem fui ver o aclamado "Birdman ou A inesperada virtude da ignorância".


Dirigido pelo mexicano Alejandro Gonzáles Iñarritu, que também filmou Babel e 21 gramas, Birdman faz uma crítica à indústria cinematográfica atual, em que as estrelas são instantâneas e desaparecem na mesma velocidade com que surgem.


Michael Keaton representa Riggan Thomson, um ator que fez imenso sucesso com uma trilogia de super herói chamada Birdman, e que depois disso acabou caindo no esquecimento e nunca mais fez um filme ou peça de destaque. Vinte anos depois de deixar do homem pássaro, ele resolve encenar uma peça na Broadway, da qual também é o roteirista e o diretor. Pouco antes da estreia, Riggan não está contente com a atuação de um colega de cena, e o substitui pelo badalado Mike Shiner (interpretado brilhantemente por Edward Norton), ator adorado pelo público e pela crítica e que arrasta multidões para assistir a qualquer um de seus trabalhos.

O detalhe dessa parceria é que Riggan vê na peça sua última chance de voltar a brilhar, e está arriscando tudo o que tem e o que não tem para que ela dê certo, enquanto Mike é um cara pedante, cheio de si, que não se dá bem com os colegas de elenco e acha que não tem nada a perder.


Paralelo ao drama de Riggan para cair novamente nas graças do grande público, vemos seus problemas pessoais que a todo momento o impedem de se dedicar àquilo que realmente deseja: sua filha (Emma Stone) acaba de sair da reabilitação, por uso de drogas, sua ex mulher quer que Riggs seja mais próximo da menina, e sua atual namorada exige atenção e carinho que ele dispensa aos personagens que interpreta,

Como se não fosse o suficiente sofrer no plano da realidade, Riggs ainda é atormentado pelo fantasma de seu antigo personagem, Birdman, que fica o tempo todo falando com ele, o impelindo a agir intempestivamente e a questionar sua própria capacidade como ator.


A trama é muito bem construída, e todos esses elementos juntos dão não só o clima de tensão ao filme, mas também rendem alguns momentos engraçados, que reforçam a crítica ao showbis.

Todos os atores estão incríveis no longa, e acredito que tenha sido difícil para eles encontrar o tom exato de cada personagem, já que eles são bastante intensos. Além disso, a forma como foi filmado, como se fosse uma única cena, uma longa tomada em plano sequência, aproxima o espectador da estória; em alguns takes parece realmente que estamos entrando pelos corredores e camarins do teatro. A proximidade das câmeras nos rostos dos atores aumenta a exigência de uma atuação perfeita, e eles conseguem ser convincentes.


Michael Keaton, que já foi o Batman de Tim Burton e depois demorou a emplacar outro sucesso nos cinemas, certamente sabe bem qual a sensação vivída por seu personagem, e o mesmo acontece com Norton, que, dizem, é difícil de se trabalhar. Talvez por isso eles tenham feito tão bem Riggs e Shiner.

Quando fui ao cinema não sabia do que se tratava o filme, e fui surpreendida positivamente por uma obra diferente, única, com ótimo roteiro e atuações precisas. O filme é digno de todos os prêmios que já recebeu e dos que ainda está concorrendo, mas não será um blockbuster e não atingirá o grande público. Para apreciar Birdman é necessário um olhar mais apurado, delicado, e uma sensibilidade muito específica, mas vale muito a pena passar duas horas em frente a telona para apreciar o final mágico e poético dessa obra de arte. Confiram pelo trailer:



Birdman ou (a inesperada virtude da ignorância)
Birdman or (The unexpected virtue of ignorance), EUA, 2015, Fox Filmes
Diretor: Alejandro Gonzáles Iñarritu
Michael Keaton, Edward Norton, Emma Stone, Zach Galifianakis, Naomi Watts.









Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
@joana_masen

20 comentários:

  1. Eu assisti Birdman e achei a edição impecável e sensacional. Apesar disso, não foi um filme que amei, apesar das atuações valerem a pena. Acredito que ele vá ganhar bons prêmios no Oscar deste ano, mas de um modo geral achei um pouco arrastado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandy, tenho essa mesma opinião, em alguns momentos ele é meio lento mesmo, o que não tira suas qualidades, e com certeza não está entre os meus preferidos da vida, rsrs.
      Bjos!

      Excluir
  2. Apenas aguardando o Oscar <3

    bibliotecacolorida.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu queria ver todos os indicados antes do Oscar, mas acho q não vai dar tempo ;)

      Excluir
  3. Um homem pássaro? kkkkk' me parece divertido.
    Não assisti esse filme, não tenho uma crítica sobre ele, porém, pelo trailer, acho que é um filme bem bacana.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gi, o filme é legal, vale a pena assistir.
      Bjos!

      Excluir
  4. Oi Joana,
    Apesar de todos os comentários positivos e da produção bem feita, não é um filme que eu pretendo assistir haha.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ele não faz o seu tipo, acho que não tem problema não ver, rsrs.
      Bjos!

      Excluir
  5. Joana!
    Não assisti Birdman ainda, mas gostei de saber que filme faz uma crítica a indústria cinematográfica.
    Gosto de Michael Keaton desde Os fantasmas se divertem e gosto do Edward Northon também.
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy!
      Qdo vi o trailer, fiquei curiosa com a estória, mas o q mais me chamou a atenção foram os atores mesmo. Keaton é muito bom, mas andava meio sumido, e Norton e Emma Stone são ótimos.
      Bjos!

      Excluir
  6. Nunca tinha ouvido falar nesse filme, mas me deu vontade de assistir por conta desse Riggan, quantos problemas deu dó viu!!! Torço por ele, rsrsrs
    Mas gosto mesmo de comédias românticas, daquelas com mtooooo açúcar kkkkk
    bjooos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Ana, eu tbm adoro uma comédia romântica, mas sempre é bom variar um pouco né, rsrs.
      Bjos!

      Excluir
  7. Olá, Joana.

    Esse é um tipo de filme que não me atraí. Pra falar a verdade ultimamente quase não assisto filmes. Mas pra quem curte Birdman é uma excelente pedida.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books BR // Sorteio de Carnaval

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paula,
      triste saber q vc quase não tem vistos filmes... cinema é tão bom!
      Bjos!

      Excluir
  8. Quando li a sinopse desse filme ele não me atraiu, não fiquei com vontade para assisti-lo. Mas agora, depois de ler sua resenha, ver quantos prêmios ganhou e ver também as estrelas que estão no filme, fiquei curiosa para assistí-lo. Continuo achando achando que não é muito meu gênero, mas resolvi dar uma chance.

    ResponderExcluir
  9. Até 5 minutos atrás, antes de ler essa "indicação", nem mesmo me passava pela cabeça assisti-lo. Birdman está longe dos filmes que almejo, achei a estória crua, mas vou dar uma chance, pois a crítica me parece interessante (o meio utilizar o próprio meio).
    Provavelmente não tenho esse "olhar mais apurado" do qual você fala, logo, me agradar vai ser um tanto quanto difícil. Chaplin foi brilhante em sua crítica, vejamos Birdman...

    http://leitordameianoite.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joicy eu discordo de vc, só uma pessoa com bom gosto para cinema e olhar apurado poderia citar Chaplin para falar desse filme. Se vc assistir, me conta o q achou?
      Bjos!

      Excluir
  10. Eu achei o filme meio esquisito e acho que do meio para o final ele começa a engrenar. Com relação às atuações estão ótimas. Norton (adoro tudo que ele faz!! ô menino bom!! rss!) e Michael Keaton (na minha opinião - é um papel pra ele e somente pra ele). Sim, o filme é uma crítica a tudo isso. Aos rótulos, ao sucesso em função de um único personagem e seu eterno "aprisionamento", ao papel da crítica, ao fracasso, sucesso e tentativa de superação. Emma Stone (nunca tinha reparado que tinha olhos tão grandes. rss!!) está ótima também. Mas acho que o que me incomodou foram as cenas meio "viajantes". Tem licença poética demais pro meu gosto. Cheguei a pensar até que Riggan fosse esquizofrênico ouvindo aquelas vozes , depois pensei que poderia ser o seu subconsciente. Acho que fui com muito expectativa na verdade... porque, na verdade, não achei incrível. Bjs!!Parabéns pela crítica do filme, super concordo, beijo!

    ResponderExcluir
  11. eu tinha feito um comentário gigante, mas não foi ¬¬'
    então, esse não é o tipo de filme que me atrai.... sei lá, mas ele ganhou o oscar né? então deve ser bom rsrsrs
    se eu assistir comento com vc ;)
    um beijo!

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!