quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Garoto encontra garoto [Resenha]

onde comprar: Submarino//Fnac//Americanas 

"Paul estuda numa escola nada convencional. Líderes de torcida andam de moto, a rainha do baile é uma quarterback drag-queen, e a aliança entre gays e héteros ajudou os garotos héteros a aprenderem a dançar. Paul conhece Noah, o cara dos seus sonhos, mas estraga tudo de forma espetacular. E agora precisa vencer alguns desafios antes de reconquistá-lo: ajudar seu melhor amigo a lidar com os pais ultrarreligiosos que desaprovam sua orientação sexual, lidar com o fato de a sua melhor amiga estar namorando o maior babaca da escola... Enfim, acreditar no amor o bastante para recuperar a confiança e o amor de Noah."

Esse livro é uma fofura só! Apesar de tratar de um tema delicado - homossexualismo -, ele consegue ser divertido e descomplicado. Paul é gay, já teve alguns relacionamentos, mas nenhum arrebatador, até que conhece Noah e se apaixona loucamente. Os dois vão se conhecendo aos poucos e construindo uma bonita relação, um romance digno de entrar para a história. O que facilita esse namoro é que, tanto a escola quanto a família de Paul têm a mente muito aberta e a sexualidade dos meninos é bem aceita e compreendida pela maioria das pessoas.

Paul tem um grupo de amigos muito singular, e cada um deles é importante num momento da estória: Infinite Darlene é uma transexual que joga no time de futebol americano, Tony, também é gay, mas ainda não se assumiu pois seus pais são muito religiosos e ele tem medo de não ser aceito pela família, Joni, a melhor amiga, está namorando um babaca chamado Chuck, e está deixando os amigos um pouco de lado, e Tony, ex namorado de Paul, que ainda não se decidiu se gosta de meninos ou meninas. Aliás, Tony é um dos responsáveis por separar Paul e Noah, numa tentativa desesperada de voltar com o ex.

Enquanto Paul tenta reconquistar Noah, ele tem que lidar com o afastamento de Joni, que agora só quer ficar com Chuck, os momentos de loucura de Infinite Darlene - que é um dos personagens mais marcantes que conheci recentemente - e apoiar o amigo Tony na decisão de assumir ou não sua homossexualidade para os pais. Além disso, ele é escalado para organizar um grande evento no colégio, que lhe consome o único tempo que ele teria para procurar Noah. Mas, numa jogada bastante inteligente ele envolve Noah nessa organização, e aproveita para ir se reaproximando do ex.

Tem muito romance nesse livro, mas não do tipo óbvio, que vemos em outras estórias; aqui é necessário que esse romance seja melhor trabalhado, para não afugentar os leitores despreparados, já que se trata de um relacionamento entre dois meninos. Algumas cenas entre Paul e Noah são de uma delicadeza tão grande que chega a emocionar. É um amor bonito e verdadeiro, que precisa ser respeitado.

O autor soube tratar muito bem nesse livro vários assuntos polêmicos, e integrá-los à estória naturalmente. David Levithan fala sobre preconceito, amor, família, aceitação, homossexualismo, violência, amizade, religião e tolerância, tudo junto, sem deixar a narrativa pesada. Há muitos momentos engraçados ao longo da estória, e o leitor vai rir muito com o humor inteligente de Paul. Mesmo com tantas sensações misturadas numa mesma trama, a leitura é descontraída e enriquecedora. É impossível terminar esse livro sem refletir sobre nossas próprias atitudes, como tratamos aqueles a nossa volta, e como nos relacionamos com família e amigos.

Em poucas páginas o autor conseguiu construir uma narrativa marcante, que diverte e faz pensar. Além de emocionar com tanto amor entre Paul e Noah. Livro mais que indicado para quem gosta de romance, daqueles que deixam um sorriso bobo no rosto do leitor.


Garoto encontra garoto
David Levithan
editora Galera Record
240 páginas
nota do Skoob: 4,1
nota do blog: 4,5


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
@joana_masen

15 comentários:

  1. Essa é uma utopia que eu com certeza amaria viver, eu quero um Noah gente <3

    Amo esse livro, amei a resenha

    Beijos

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiiii o Noah é tão fofo! Tbm quero! rsrsrs.
      Bjos!

      Excluir
  2. Oi, Joana.

    Eu sempre vejo resenhas positivas a esse livro e estou curiosa com a leitura. Nunca li um livro que tratasse de um relacionamento homossexual, não possui nenhum preconceito quanto a isso só acho que até o momento não aconteceu. Gostei de saber que é tratado com leveza as cenas e chega a emocionar. Com certeza em breve comprarei esse livro.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books BR // Sorteio de Carnaval

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paula, acho que esse tipo de literatura é bem restrito, talvez por isso vc não tenha lido nada ainda. Acho q vc vai amar!
      Bjos!

      Excluir
  3. Oi Jo,
    Os comentários sobre esse livros são tão bons que não tive coragem de lê-lo, por causa das expectativas. Pelas suas palavras David Levithan trata de assuntos polêmicos com uma leveza e emoção, quero lê-lo, que as expectativas diminuam rsrs.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Larissa, pode ler tranquila, acho que ele vai corresponder às suas expectativas.
      Bjos!

      Excluir
  4. Joana!
    Acho bem importante os autores inserirem temas polêmicos em seus livros, assim podem ser mais debatidos, como é o caso do homossexualismo.
    O Leviathan tem uma sensibilidade exacerbada para tonar temas polêmicos em algo mais leve e aceitável.
    O livro parece muito, muito interessante.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ainda não tinha lido nada do autor, mas gostei muito da forma como ele aborda assuntos delicados, e o livro ficou muito fofo!
      Bjos!

      Excluir
  5. Aiii menina, quero muitooo ler esse livro!
    A capa é lindíssima!!
    E o David Levithan (nunca o li) pelo que eu sei é muito sensível e ótimo escritor!
    Comecei ontem a ler Todo Dia, li 3 capítulos e amei, só parei porque tava com muitooooo sono, rsrsrs
    Quero ler tooooodoooos dele kkkkkkkkkk
    Eu tbm alguns amigos homossexuais, e são normais como qualquer outro, então, acho superdigno ter livros retratando-os com total naturalidade.
    Espero ler logo!
    bjãoo
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, os homossexuais são como qualquer pessoa, e o preconceito tá dentro da cabeça das pessoas mais ignorantes. Ainda bem que temos autores como Levithan, que nos presenteiam com essas estórias lindas, cheias de personagens fofos e apaixonantes!

      Bjos!

      Excluir
  6. Nunca li livros que abordassem este assunto, mas parece que David conseguiu abordar de uma forma leve os dramas vividos pelo personagem. Que bom que com o passar das páginas o autor mostrou o outo lado de Paul, pois todos nós temos nossas fraquezas...
    Falam muito bem do David,já li Will & Will, então espero rever sua escrita em breve com o livro Todo dia!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Todo dia" está entre as minhas próximas leituras, e estou bem ansiosa. Gostei muito do estilo do Levithan, e acho que vou ficar fã.
      Bjos!

      Excluir
  7. Nunca li nada do David Levithan e nem sobre o tema. Já li várias resenhas positivas sobre esse livro e também sobre o autor. Todo dia é um que está na minha lista faz tempo. Após ler essa resenha, Garoto encontra garoto também entrou na minha lista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico tão feliz de aumentar a lista de leitura de vcs, rsrs. Tomara q vc goste dos livros do Levithan ;)
      Bjos!

      Excluir
  8. Oi Joe!
    é polêmico? rsrsrs é um tipo de romance que não estamos acostumados a encontrar em muitos livros né?
    gostei! :)
    um beeijo!

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!