quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Não li, mas ninguém precisa saber!







Queridos leitores, imaginem chegar numa roda de amigos e alguém começar a comentar sobre aquele livro que está na sua estante há tempos e vocês não conseguem ler. E pior, imaginem vocês fazerem a sua melhor cara de conteúdo e entrarem na discussão, como se fossem experts naquele livro. Isso é mais comum do que se imagina, e tenho que admitir que eu mesmo já fingi ter lido um clássico que não li.

Pensando nessa situação, analisei minhas atitudes, pesquisei e conversei com algumas pessoas que já passaram por algo parecido, e optaram por assumir conhecer um livro sem nunca tê-lo lido, e fiz uma pequena listinha com aqueles títulos que são comumente causadores dessa saia justa.



1. 1984, George Orwell: esse era a pedra no meu sapato! Durante muito tempo, inclusive na época da faculdade, ouvi comentários e fiquei à margem de discussões sobre o enredo, sem saber exatamente do que se tratava. Comecei a lê-lo uma vez, na época da primeira edição daquele reality show famoso do grande irmão, mas não consegui avançar, e por isso, toda vez que alguém falava dele comigo, eu fingia já ter lido. Recentemente isso foi corrigido e eu li o livro de verdade.







2. O apanhador no campo de centeio, J. D. Salinger: esse clássico da literatura mundial faz muita gente posar de intelectual,  e confesso que estou no grupo dos que ainda não o leram. Silvia, minha professora de literatura sempre elogiava essa obra, e até hoje estou procurando um tempo para conhecê-la.









3. Os sertões, Euclides da Cunha: acho que dá para contar nos dedos quem conseguiu chegar ao fim desse livro, mas tá cheio de gente por ai que não assume e jura que já leu. Talvez por querer garantir um certo status.










4. Crime e castigo, Fiódor Dostoiévski: admitam, só de saber pronunciar o nome do autor já dá uma alegria né, rs. Todo mundo gosta de dizer que já leu, mas a maioria só pegou um resumo ou uma resenha na internet para parecer mais inteligente. Eu tentei, mas a leitura não evoluiu, e desisti.










5. Orgulho e preconceito, Jane Austen: posso até não ter lido, mas vi o filme e é a mesma coisa, me dá bagagem para discutir a obra com qualquer pessoa. Ou não. Acho que muita gente tem esse mesmo pensamento, mas uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa, certo? O filme é bom, mas tenho certeza de que o livro é bem mais interessante. Estou lendo, depois conto para vocês o que achei.







Vejam bem, não quero criar polêmica com esse post, já que estou incluída na turma dos leitores fakes de obras clássicas, mas isso realmente acontece mais do que imaginamos. Não é vergonha pra ninguém não ter lido todos os livros do mundo, muito menos admitir que não o fez. Prometo que da próxima vez que alguém me perguntar, vou falar que não li e pronto. 




Quem sabe depois desse post eu não tente novamente encarar "Cem anos de solidão"?




Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
@joana_masen

11 comentários:

  1. Oi Jo
    Nunca fingi ter lido algo que não li, mas acho até mesmo bastante compreensível essa atitude de algumas pessoas. Tenho certa vergonha ao admitir que não li os grandes clássicos, mas prefiro admitir isso do que passar vergonha tentando me fazer de entendida kkkk
    Beijos

    Vidas em Preto e Branco 

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkkkkkkkk - me diverti.

    eu já fingi ter lido "Orgulho e preconceito" e "Grande sertão: veredas", o segundo até que deu certo, porque eu já o li mais da metade, mas o primeiro, eu ouvia o que a pessoa comentava e comentava por cima com palavras diferentes, mas nada mais do que havia acabado de ouvir dizerem - kkkkkkkkkkk
    não faço mais isso - hoje tenho até orgulho de dizer "vix, esse livro ai eu não li".

    gabryel fellipe - quimeras mirabolantes

    ResponderExcluir
  3. Oi Jô, não me lembro de já ter feito isso (memória curta aqui)
    Nunca li nenhum desses aí inclusive, tenho Crime e Castigo e Cem Anos de Solidão aqui, mas fico enrolando... morro de vontade de ler 1984, mas nem tenho o livro ainda (presentes bem-vindos :p)

    Grande abraço!!!

    PS: Tá tendo sorteio de livro autografado lá no blog viu ;)
    http://leitorantissocial.blogspot.com.br/2015/02/divagacoes-sobre-essa-sexta-feira-13.html

    ResponderExcluir
  4. Oi Jo,
    Haha, polêmico sim, mas sempre tem um livro que faz isso conosco. Um dia espero ter coragem de ler Dostoiévski, ele já foi muito bem recomendado, já Jane Austen me dá vontade mesmo de ler.
    Beijocas ^^
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  5. Oi, Joana.

    Eu me pego assim as vezes, me cobro por conta de alguns livros que não li, mas nunca tive vergonha de falar que não li tal obra. Quero ler algo da Jane este ano e estou afim de 1984, os outros eu deixo passar. Adorei o post.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books BR // Sorteio de Carnaval

    ResponderExcluir
  6. Joana!
    Sabe o que acho? Não vejo motivo para dizermos que lemos um livro sem ter lido. Claro que não quero ser melhor do que ninguém, longe disso...fato é que não vejo sentido, embora entenda até a situação (ninguém gosta de ficar por baixo, né?). E sabe do que mais, não somos obrigados a ter lido todos os clássicos só porque todo mundo leu, concorda? Nós temos de dar satisfação só a nós mesmos quanto as nossas leituras, é o que penso.
    Eu por exemplo nunca li Sheakespeare, e não tenho vergonha em dizer, mas espero um dia poder ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Não existe vergonha em não ter lido (ainda) os grandes livros. O embaraço geral acontece quando você leu um livro lixo quando poderia ter lido um clássico.

    Por exemplo: eu li 50 Tons de Cinza, mas nunca li Dom Quixote

    ResponderExcluir
  8. Eu tenho uns 10 livros encalhados aqui em casa, não nego que não os li, mas tbm não consigo ler kkkkkk to começando a lê-los agora porque não tenho grana pra comprar nova, então... kkkkkkkk
    Eu já li Orgulho e Preconceito, e ameeeei é um dos meus preferidos, se vc não quiser o seu, dá pra mim!!!! kkkk
    O do Selinger eu quero ler, porém, ouvi dizer que é meio zoado, sabe? kkkk Aquele menino que se mete com tudo fora da lei kkkkkkkkk
    AAAH, e o 1984 tbm quero! Li A Revolução dos Bichos e ameeei demais, depois quando estudava inglês, li em inglês tbm! Amooo demais, então quero conhecer mais sobre o Orwell!
    Eu acho que a gente tem que ler o que ama, gosta, combina, se começou e não deu certo, ok, vai pra outra, não perca o tempo precioso com o que não te acreescentará, porque sim, tem livros uós, que não valem a pena, poucos mas tem!
    bjooos

    ResponderExcluir
  9. Se eu fosse fazer o meu "Nunca Li , mas ninguém precisa saber" seria um tanto que vergonhoso. Porque "PASMEM", nunca li "O Pequeno Príncipe". Todos meus amigos falam que é o livro de infância deles, e eles acham lindinho até hoje. E eu fico calada kkkkkkk Nunca li.
    "Orgulho e Preconceito" também entraria para a minha lista. Tem alguns livros da sua lista que eu li, só porque a escola obrigava a ler. Mas se fosse por mim, não leria também, pois o assunto não me interessava.
    Adorei a sua seleção de livro ali em cima.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  10. Acho que nunca disse que li um livro sem ter lido, justamente por medo de um debate e eu não ter o que falar. E também não acho vergonho não se ler clássicos. Acho que gênero literário é muito pessoal, nunca se deve ser imposto, para que a leitura não seja massante.
    Desses clássicos, só li Orgulho e preconceito (sou super fã da Jane Austen, já li quase todos os livros dela) e Os Sertões na época do colégio.

    ResponderExcluir
  11. Oi Joe!
    viiiisshhh! não li quase nenhum dessa sua lista hahahahahahaha mas tbm não me lembro de ter dito que li sem ter lido pq eu fico pensando na vergonha de alguém perguntar algo que eu não saiba responder hahahaha tipo isso.
    um beeijo!

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!