sábado, 28 de março de 2015

Momento HQ - Astronauta, Magnetar

Mais uma semana regada a Graphic Novels Turma da Mônica. Hoje é dia de viajar pela estratosfera, romper a barreira magnética da lua e conferir o que há de novo no plano astral do Astronauta.




Talvez essa seja a mais aclamada saga dos personagens de Maurício de Souza, onde o nosso velho amigo Astronauta percorre galáxia após galáxia deixando sua marca, que foi entregue a Danilo Beyruth para moldar a vida no espaço de acordo com sua visão.

A estória começa com uma lembrança dos tempos de garoto do personagem, quando passava as férias na fazenda de seu avô, um lugar humilde onde o contato com a natureza era revigorante. Astronauta percebe que, apesar de ter uma vida confortável na fazenda, o avô tinha uma grande curiosidade para saber o que havia além daquilo, e ensinou seu neto a se arriscar.

Nos dias de hoje, Astronauta está a procura de um efeito chamado Magnetar, que, em uma super síntese, ocorre no estágio final de uma estrela de nêutrons. É como uma massa de energia comprimida capaz de causar um terremoto estelar. Faz a bomba Tsar parecer uma bombinha que crianças compram em quermesses.


Estrela de Neutrons em formação. O Magnetar é a explosão dessa estrela, que contém energia de milhões de supernovas. O poder destrutivo dos magnetares é incalculável.

Nosso herói encontra esse fenômeno e pousa num dos asteroides que formam o anel magnético em torno do Magnetar. Acontece uma interferência em seu computador devido ao magnetismo, então, depois de plantar todo seu equipamento de estudo e conseguir estabelecer contato, o computador avisa que esse local está prestes a sofrer uma descarga mortal. O tempo passa a correr contra o Astronauta, que precisa salvar a si e a sua nave, único meio de sair dali. Porém, os segundos passam rápido demais e um dos destroços lançado pela fúria do magnetar atinge uma parte da nave.

Agora a missão é descobrir uma maneira de sair dali, e também como sobreviver enquanto estiver preso no asteroide. Então, como um naufrago, ele sai em busca de água, comida, ferramentas, e descobre uma maneira de seguir uma rotina. Mas como o passar dos dias, essa rotina se torna desgastante, e seu psicológico passa a ser um inimigo a ser enfrentado.

Astronauta lembra de sua infância, dos motivos pela qual escolheu essa profissão, começa a ouvir vozes e a procurar intrusos que supostamente estão acabando com a sua comida. Com a saúde mental afetada, nosso heroi intergaláctico precisará de mais que sorte para sair dessa enrascada.

Sinceramente, eu não consigo escolher minha MSP preferida, mas em inúmeros lugares eu li que essa estória é, sem sobra de dúvidas, a melhor Graphic Novel da Turma da Mônica. Danilo Beyruth surpreendeu com os traços, cores e com o roteiro dos quadrinhos. Confesso que vi aqui uma incrível semelhança com o Tintim.





































A forma intensa com que a estória prende o leitor é incrível. O momento em que o personagem entra numa prática diária constante, faz o leitor entender exatamente o porquê dele perder a razão. Então você se vê naquele mesmo lugar, com os mesmos problemas e tenta arrumar a sua própria saída. Imagina se o mesmo poderia acontecer com você e passa a pensar se realmente isso já não está acontecendo.

Esta pode não ser a melhor HQ dentre as Graphic MSP, mas com certeza é a que você vai ler com mais ferocidade, e ela vai fazer cada leitor pensar em sua rotina, refletir sobre sua vida. Poderíamos até chamá-la de HQ terapêutico.

Então, saia da rotina, pegue um ônibus espacial, quebre a atmosfera, aterrisse no asteroide mais longe possível de seus problemas e ajude o Astronauta a recuperar sua sanidade.

















João Oliveira, jornalista, aficionado por quadrinhos, livros e cinema. Mochileiro em busca de sua próxima aventura.
@oliveira_jh

6 comentários:

  1. Já quero ler! Li a resenha da maioria dos MSP e essa foi a que conseguiu me convencer. Parece realmente um trabalho impecável e bem reflexivo.
    Tudo que Motiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Feliz em conseguir te convencer. Leia essa MSP e conte-nos como foi a experiência.

      Excluir
  2. Oi João,
    Essa foi a que eu achei mais fraquinha (das que li), gostei muito quando li mas achei as outras que vieram depois bem melhores, tá que a sequência (o Singularidade) dá uma certa vergonha alheia mas enfim... reconheço que é boa, mas não está entre as minhas favoritas....
    Grande abraço!!!!

    http://leitorantissocial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rudi.
      Cara, eu gostei demais dessa história e passei a gostar mais ainda quando li Singularidade. huauhahuhua...
      Magnetar faz referência à solidão que o Astro tem que enfrentar e suas consequências. Em Singularidade é como se o autor explicasse o porquê tem que ser assim. Ele precisa ser solitário para cumprir seu dever.
      Achei muito boa.
      Abraços...

      Excluir
  3. Menino! Nunca li Graphic Novel, comecei a de Crepúsculo mas parei kkkkkkkkk
    Sempre leio resenhas dela aqui, e estou morrendo de vontade de ler!!!!
    Principalmente essas da Turma da Moniquete!!!
    Vou procurar essa semana ainda!!
    bjãooo
    Ana
    elvisgatao.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por favor, não tome Crepúsculo como referência. kkkkkk
      Leia essas MSP e você vai gostar, tenho certeza.
      Se não gostar, volte aqui nas resenhas e desfira injurias como se não houvesse amanhã.

      Excluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!