quinta-feira, 14 de maio de 2015

Breakable [Resenha]


"Landon Maxfield teve uma infância privilegiada, levando uma vida tranquila com os pais e tendo um futuro promissor à sua frente, até que uma tragédia impensável destruiu sua família e o fez duvidar de tudo que um dia pareceu tão certo. Agora que é um intenso e enigmático homem adulto, ele só quer deixar o passado para trás. Quando conhece Jacqueline, é fácil desejar ser tudo aquilo de que ela precisava. Mas se há uma coisa que a vida lhe ensinou, é que a alma é frágil e que todos os seus sonhos podem ser destruídos em um piscar de olhos."

Em Easy (que tem resenha aqui), nosso primeiro contato com a estória de Jacqueline e Landon, vemos todos os acontecimentos através da narrativa dela: o final de seu namoro de 3 anos, a dificuldade da separação, o medo e a sensação de impotência ao ser quase estuprada na saída de uma festa até o momento em que conhece Lucas, e vai, aos poucos, descobrindo que amor não era aquilo que ela conhecia antes.

Aqui, todos esses fatos são narrados por Lucas, e o que era bom consegue ficar ainda melhor. A autora conferiu ao personagem uma voz quase feminina em alguns momentos, mas isso não prejudicou a narrativa de forma alguma. Pelo contrário, deixou tudo mais atraente, principalmente para as leitoras que gostam de um homem romântico, devotado, porém, cheio de medos e defeitos como uma pessoa normal, e não um príncipe encantado inalcançável.

Mas o que torna a leitura tão interessante não é somante o ponto de vista de Lucas sobre os acontecimentos do primeiro livro, mas sim, o retorno às origens dele: como foi sua infância e sua adolescência ao lado do pai distante e do avô que tentava de tudo para se aproximar do neto. Depois de perder a mãe de forma trágica, Landon se fechou dentro de si mesmo, e passou a agir de forma violenta, sendo bem rebelde às vezes. Sua relação com o pai se tornou muito complicada, e os dois quase não se falavam, e Lucas por muito pouco não se perdeu  nas drogas e nas bebidas.

Da época do colégio até a faculdade, vamos descobrindo como foi a evolução de Landon até ele se tornar o homem responsável e inteligente que é hoje, e isso vai sendo feito aos poucos no livro, em capítulos alternados entre o passado e o presente, quase como se fossem contados por duas pessoas diferentes, e, na verdade, é como se eles realmente fossem dois. Gosto muito dessa variação na linha temporal, e acho que a exigência de distinguir a mudança rápida de um período para o outro dá um charme especial a estória, e prende a atenção do leitor.

Enquanto Landon vai contando como se apaixonou por Jacqueline e como sofreu enquanto não conseguiu convencê-la de que ele não lhe faria mal, vamos conhecendo detalhes de sua personalidade e de seu dia a dia que ainda não tinham sido revelados. Ver esse lado maduro de Landon é o máximo, e é impossível não se apaixonar por ele.

O foco da narrativa é mesmo Landon, e todos os detalhes de sua vida antes de conhecer Jacqueline são revelados ao leitor. Aliás, a garota é quase uma coadjuvante nessa estória, ainda que tenha importância no desenrolar dos acontecimentos. Tammara Webber se dedicou a nos apresentar cada um dos pensamentos confusos de Landon, e nos brindou com momentos emocionantes e delicados desse personagem tão encantador. Tenho certeza que as leitoras vão passar dias e dias sonhando com um Landon para chamar de seu.

Não é obrigatório ler Easy para entender Breakable, mas é interessante conhecer os dois lados da estória, já que cada um deles tem seus próprios detalhes, e juntos eles formam uma bela história de amor e superação. Indico a leitura dos dois livros, e aviso às leitoras mais sensíveis que Landon pode ser viciante.


Breakable
Tammara Webber
editora Verus
364 páginas
nota do Skoob: 4.4
nota do blog: 4.7

5 comentários:

  1. Não estava dentro dos meus planos ler Easy, então, mesmo não havendo obrigatoriedade, também não estava nos meus planos ler Breakable, mas lendo resenhas e comentários, me senti querendo dar uma chance para eles.
    Ando com planos demais e ações de menos, não posso culpar o tempo, mas me sinto quase tentada a fazer isso =P.
    Em todo o caso, já estava saturada de livros narrados pela versão feminina, dar uma variada vai ser bem legal (assim espero).
    A história, ainda que siga uma linha conhecida, pareceu-me interessante, divertida e reflexiva...Agora é ver se vou continuar pensando isso depois de ler ><.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joicy, concordo com vc, ler algo na versão masculina pode ser bom para fugir da mesmice. E eu tbm sou assim, planos demais, ações de menos, rsrsrs. Mas se puder, leia, é bem legal =)

      Excluir
  2. Oi Joe!
    olha o milagre, eu gostei da história, mas acho q seria melhor eu ler o Easy primeiro... mas nem vou prometer nada pq a minha meta de leitura tá mais atrasada do q não sei o q :/
    um beijo!

    ResponderExcluir
  3. Sou louca para ler Easy!!!
    Tem cara de ser aquelas histórias fascinantes, de amadurecimento, sofrimentos, reviravoltas, problemas difíceis mas superáveis!! Quero muitooo ler!!
    bjãooo

    ResponderExcluir
  4. Pelo o que li da resenha, não é o tipo de livro que goste. Não sei se é porque não li o primeiro livro, mas talvez me desperte um interesse em ler o Easy algum dia, porque já aconteceu isso comigo uma vez com outros livros.

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!