domingo, 31 de janeiro de 2016

Fala, Rafa! - O apreço da rotina


Acenei e entrei no taxi branco, sentei no banco de couro e reparei que o motorista ouvia jazz e tinha no tapete do carro um ingresso de show - talvez algum outro passageiro tenha deixado por lá. 
Olhando na janela, começo a enxergar as pessoas como vultos, não sei se o gorro amarelo da menina loira foi comprado em uma loja barata ou ganhado de alguém especial, mas caiu super bem.
Recebo um sms no meu celular, era um "Boa noite" do meu atual pretendente, quem sabe aquilo foi da boca pra fora ou apenas do coração?
Levitei minha sobrancelha ao olhar uma criança no farol, me oferecendo uma rosa. O vidro estava fechado.
O barulho das buzinas estressadas incomodam minha mente, acho que os faróis altos impedem todos os juízos das pessoas.
Mais tarde, chegando em casa vejo que todos estão concentrados em smartphones, e então cumprimento o grupo da família.
Já deitada em minha cama, minha mãe pergunta como foi meu dia, e então eu conto que presenteei um motorista com um ingresso e não gastei um centavo, confessei que não deveria mesmo ter comprado o gorro amarelo porque a partir daquela promoção, muitas pessoas iriam o adquirir, ela sorriu e disse "Eu bem que avisei, os brincos de pétalas seriam melhor". Também disse que liguei para o Fred (meu namorado) três vezes e ele não atendeu, só não me ignorou mais que minha própria família que só me avistou depois de um "Olá" com voz ardida, assim que cheguei em casa. Mencionei que hoje consegui dizer a frase "Tome aqui um trocado garoto" a propósito mãe, coloque essa rosa na água por favor?! Ah, após essas desventuras liguei meus fones de ouvido, e me embalei em uma música gringa. Tudo que ela consegue me responder é um "Uau que dia intenso, chegou esse envelope pra você, tenha bons sonhos querida" nos despedimos com um beijo recíproco na testa.
Abri o envelope e era Fred dizendo "Amor, estou embarcando e provavelmente ficarei sem sinal, obrigada por abrir o vidro do táxi e receber a minha rosa, paguei aquele menino para fazer isso por mim, o observei do outro lado da calçada, e moça, obrigada por não mudar a sua rota, e parar sempre naquele semáforo, só pra constar você estava linda hoje. Te amo!"
Me senti uma tola por ter esquecido a data da ida dele até a cidade da avó, e uma traíra por duvidar de um simples "Boa Noite".
Fechei os olhos e sintonizei fortemente uma vontade de acordar amanhã, melhor do que hoje. E o melhor que eu digo, é o de saber declarar considerações.
O abajur desligou sozinho, após eu interligar meus pensamentos com meus sonhos.




Este post é válido para o Top Comentarista, participe!



Rafa Peres, resenhista e crônista, mantém o blog Minha Versão das Coisas, onde publica todos os seus textos.
Twitter: @Raafaperes

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Sexta de música #106 - Novos vídeos do Coldplay

Olá leitores! Há tempos não falamos de música por aqui, e talvez por isso tenha sido difícil escolher sobre o que comentar hoje, já que eu tinha dois assuntos que queria postar... tive que optar por um deles e adiar o outro pra semana que vem, mas adoro ambos. Espero que vocês gostem também ;)

Vocês sabem que eu sou muito fã do Coldplay, e estou super empolgada com o novo trabalho da banda. Além disso, estou fazendo uma contagem regressiva para o show deles em abril (no blog Ideias Absurdas tem post diário!).











Hoje foi lançado o terceiro vídeo oficial de uma das músicas do novo álbum do Coldplay, o A head full of dreams, do single Hymn for the weekend, que tem a participação da Beyoncé (linda, linda, linda!).  A música não tinha me conquistado logo de cara, mas agora curti e consigo sentir que ela tem potencial para agitar o show. Veremos.

Então amigos, confiram os vídeos oficiais que já foram lançados, e como bônus uma apresentação ao vivo onde eles cantam a minha  preferida do CD, Everglow. E não percam o show que a banda fará durante o intervalo do Superbowl no próximo dia 7 (domingo de carnaval), com participação especial da própria diva Beyoncé.


 


1. Adventure of a lifetime
2. Birds
3. Hymn for the weekend
4. Everglow


Antes de ir, confiram o making off do vídeo Adventure of a liftime, que mostra um pouco como foi a transformação dos meninos em macacos:






Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Diários de extermínio: a guardiã [Resenha]

onde comprar: Editora Arwen 

"Descubra, sobreviva, deseje. O crepúsculo de todas as batalhas se dá nos momentos mais tenebrosos que existem. Assim como as noites mais obscuras, o mundo é um lugar sombrio, cheio de segredos. Quando o universo estava afundando em seu momento de maior lástima, os Guardiões surgiram para trazer o alvorecer, a luz e a paz de volta ao universo, ao nosso mundo e à Terra. Meu planeta natal, Zodark, foi destruído pela ganância de meu povo, e a Terra está prestes a ser destruída também, pelo mesmo motivo. Mas eu não permitirei. Meu nome é Lilian Moore, eu sou uma Guardiã, a que salvará a Terra e Zodark. Pelo menos é isso que eu espero!"

E se você, de repente. descobrisse que sua vida toda foi uma mentira, e que você é a responsável por salvar um planeta estranho, que até então você nem conhecia? Lilian, a protagonista de Diários de extermínio está nessa situação: depois de perder os pais num acidente e passar a infância e a adolescência num internato, ela enfim está livre para viver como quiser. Mas, quando se muda para o Rio de Janeiro, e conhece o jovem Douglas na faculdade, sua vida pode estar correndo um grande risco.

Lilian é sequestrada durante um encontro com Douglas, e é levada para um lugar escondido no meio da Amazônia, onde ficam os outros guardiões, que ela descobre, mais tarde, possuírem cada qual um poder específico. O lugar onde estão é totalmente equipado com o que há de melhor em tecnologia, tendo, inclusive, um robô, que opera com inteligência artificial.

Depois de conhecer todos os guardiões, Lilian vai descobrindo aos poucos que também tem uma missão: ajudar a salvar seu planeta natal, Zodark, de uma ameaça iminente, e que também coloca em risco a Terra. Como guardiã, ela deve lutar para proteger os dois planetas, e, mesmo tomando conhecimento de seu próprio poder, que é controlar a energia, ela não pode usá-lo, pois poderia ser perigoso.

Mas, o que Lilian e os outros guardiões não sabiam, é que tem um agente duplo entre eles, e que está empenhado em destruir o planeta Terra antes mesmo que eles possam fazer alguma coisa. A descoberta de quem é o traidor foi um dos pontos altos do livro, e mesmo achando que já tinha desvendado o mistério, fui surpreendida com o desfecho dessa trama.

Outro destaque é que o autor usou o eu lírico feminino para contar a estória, e o fez com excelência; em geral é mais fácil, para o escritor trabalhar com um personagem do seu próprio gênero, por alguns detalhes serem mais complicados de desenvolver, como por exemplo, saber como funciona a cabeça de uma mulher apaixonada. Aqui o autor soube muito bem explorar esse sentimento da protagonista, e conseguiu criar um clima de romance autêntico, apesar de usar a voz feminina para isso.

Lilian é uma personagem encantadora, seja pela infância difícil ou pela capacidade de se renovar e enfrentar seu destino com bravura, ela conquista o leitor. Durante toda a narrativa, ela vai registrando os acontecimentos num diário, e por isso é possível entrar na mente de Lilian, saber exatamente tudo o que ela pensa e acompanhar suas reações às adversidades, além de dividir com ela seus momentos mais felizes.

Diários de extermínio é um livro dinâmico, a leitura flui e tudo se desenrola rapidamente, não permitindo que o leitor abandone a leitura antes do final. Há influências claras de 1984, Star wars, X-man, O exterminador do futuro e até Matrix, mas ele não é uma cópia de nenhuma dessas obras: cada influência foi aplicada de forma inteligente na construção de uma narrativa vibrante. Leiam, tenho certeza que você não vão conseguir parar até descobrir se Lilian vai conseguir salvar o planeta.

O livro está em pré-venda no site da Arwen, com um preço imperdível (link no início da resenha).


Diários de extermínio: a guardiã
B. R. Peruzzo
editora Arwen (página no Facebook)
212 páginas
nota do blog: 4.0
livro cedido pelo autor em parceria 


Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Projeto de leitura Anne Rice





















Mais uma projeto de leitura à vista! Como o projeto do ano passado flopou (Saramago), dessa vez vou tentar um tema que me atrai mais: vampiros.

Estou incluindo na minha meta de leitura de 2016 dez livros da Anne Rice, que vão ser o meu próprio projeto de leitura. Caso algum leitor amigo queira participar, fique a vontade ;)

Serão eles:

- Entrevista com o vampiro - a história de Cláudia
- Entrevista com o vampiro
- A hora das bruxas
- A punição da Bela
- A libertação da Bela
- Príncipe Lestat
- Violino
- Tempo dos anjos
- Pandora
- Merrick

Como vocês puderam ver, os livros vão muito além de vampiros; vão de anjos até erótico. Eu não tinha intenção de terminar a trilogia adulta da Anne Rice, mas agora vou retomar a estória de Bela e ver quanto sofrimento ela ainda aguenta (já li o primeiro livro, Os desejos da Bela Adormecida, para acessar a resenha clique aqui).

Então, embarquem comigo nessa nova loucura, ou me desejem boa sorte, rs. E aguardem as resenhas!



Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Um pouquinho de...

"Antes de tomar banho e me arrumar, coloquei música para tocar. Eu me sentia cheia de energia e essa sensação só podia ter a ver com o sangue do Mestre. Tinha vontade de correr um a maratona, mas extravasei a energia dançando. 'I knew you were trouble', da Taylor Swift, começou a tocar e eu cantei o mais alto que pude. Victor bateu na minha porta e pediu para que eu parasse de ouvir música ruim, mas ignorei o Adotado. Eu adorava Taylor Swift! Ainda ouvi mais algumas faixas do álbum Red antes de pular para o próximo artista. Justin 'tesudo' Timberlake - como eu gostava de me referir a ele - invadiu meu quarto cantando Sexyback. De olhos fechados, movi  meu corpo no ritmo da música, desejando ter Mikhail ali na minha frente. Acho que ele ia gostar de uma dancinha particular."

(página 67, capítulo 7)





Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

domingo, 24 de janeiro de 2016

Fala, Rafa! - Chuchu vava, lava chuva



No asfalto espelhado, a menina detalhista pula a poça e enxuga o sapato, com o poste iluminando o garotinho ajeita o cabelo molhado e continua se ensopando, já a senhora espera a chuva passar.
- Olha o guarda chuva pendurado no seu pulso! - Grita de longe a mãe do menino
A coitada não entende que chuva não se guarda, a chuva afoga quem sabe aproveitar.
"Chuchu vava","lava chuva" cantava o garotinho, girando no asfalto.
Ahh... Sortudo.... A chuva que o molha já molhou Cícero e Ester em seu primeiro beijo, a água que cai em seus ombros já banhou a rosa do jardim de Dona Silva, e cada pingo que escorre em seu rosto, já deixou tio Juca bravo; o humor de Juca era igual o da mãe do menino.
Índio dança na chuva, criança brinca na chuva, gente grande corre da chuva, a graça dá trabalho e o tempo corre.
- Deixa o menino, Nastacia. - Fala o pai do garoto (responsável coerente, contente).
De longe a mãe do rapazinho viu ele ralando o joelho, e correu pra ajuda-lo a levantar, o pai correu atrás da mãe, alguém no telefone queria falar com ela. A ligação se encerrou de repente, e a família? Se inundou de gotas mas se regou de alegria.
A chuvarada é boa quando não é dilúvio, feliz também foi a viúva que se casou no sol e na chuva, e quem mais se deu bem foi o espanhol que se casou na chuva e no sol.
Em um casamento de dizeres e palavras contadas, todos são reféns das gotículas umedecidas, mas só alguns sabem a granjear.
E você? Concorda que se está na chuva é pra se molhar?

imagem: rodrigovp 

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

A fada madrinha [Resenha]

onde comprar: Arwen

"Uma princesa mal humorada. Um príncipe nada encantado e uma fada pra lá de atrapalhada. Isso vai terminar em casamento ou em uma grande confusão? O sonho da fada Emily sempre foi ser responsável por um 'Felizes para sempre', e ela está disposta a tudo para realizar esse sonho. A princesa Cate nunca quis o seu 'Felizes para sempre', e não está nada conformada com seu destino. O príncipe Harry não está nem aí para o 'Felizes para sempre', e só quer se livrar da chata da Cate. Quando todos eles precisam trabalhar juntos para restaurar a ordem no mundo das fadas, o que era importante torna-se insignificante e grandes verdades são reveladas. Tudo com muito humor e diversão."

Minhas últimas experiências com livros sobre fadas não foram muito empolgantes, mas resolvi dar uma nova chance a essas criaturinhas, e deu super certo!

A fadinha Emily vive num mundo encantado onde convivem pacificamente fadas, gnomos e elfos, onde cada um tem a sua função bem definida. Algumas fadas são responsáveis por realizar o desejo dos humanos, e o sonho de Emily é fazer com que o 'felizes para sempre' de alguém seja realizado por ela. Seu sonho é fazer com que uma verdadeira princesa encontre o seu príncipe encantado.

Quando finalmente chega a sua vez, ela encontra Catarina, uma princesa de verdade, que está de casamento marcado com o príncipe Harry, mas não quer ficar com ele. Então ela usa toda a sua rebeldia adolescente para irritar tanto sua mãe quanto o próprio prometido, que, por sua vez, também não quer ouvir falar em casamento - tudo o que ele quer é curtir a vida e viajar pelo mundo.

O problema é que nenhum dos dois deu o primeiro passo para se conhecerem de verdade, e por isso, simplesmente pensam que se odeiam. É ai que entra o trabalho de Emily: ela tem que convencê-los de que foram feitos um para o outro e que devem sim se casar. Não será nada fácil.

Pode parecer mais um conto de fadas com final super feliz e fofinho. E é! Mas ele é realmente encantador, com personagens divertidos e criaturas mágicas criadas com inteligência, e todas elas fazem sentido dentro da estória. O mundo mágico criado pela autora é muito original: ela conseguiu unir o fantástico com coisas reais contemporâneas, como as redes sociais, por exemplo, sem deixar que tudo fique absurdo. O mais legal é que ela transformou um parque da Disney na verdadeira entrada para o mundo das fadas, e, diferente de outros livros, isso tem tudo a ver com o enredo, e não parece que ela incluiu o lugar apenas para mostrar que já esteve lá.

Além de Catarina, Harry e Emily, também temos William, que é apaixonado pela fada e acaba entrando com ela numa aventura incrível para tentar salvar seu mundo, que está sob ameaça de ser descoberto pelos humanos. Apesar do drama, o leitor vai se divertir muito com esse livro: a narrativa da Kate é muito fluida e os personagens têm momentos muito engraçados, que fogem um pouco daquele roteiro dramático.

A fada madrinha é um livro mágico, que vai te convencer de que as fadas existem - além de outras criaturas fantásticas. E também vai provar que o amor, em todas as suas formas, é capaz de unir todos os seres. Leiam e se encantem também.


A fada madrinha
Kate Willians
editora Arwen
264 páginas
nota do Skoob: 4.8
nota do blog: 4.6
livro cedido pela autora em parceria


Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen



quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Editora Arwen - Lançamentos de janeiro

Olá leitores! Prontos para conhecer os lançamentos incríveis da Editora Arwen? Vamos a eles:


O sol Perdido - As lendas de Illusa

Em O Sol Perdido, primeira parte das Lendas de Illusa, somos apresentados à uma ficção fantástica onde o mal se esconde no coração da terra e os homens não são o que parecem ser. Quando a terra dominada pela ganância e onde a população precisa lutar para conquistar a próxima refeição, o mal é libertado. Por isso, os problemas estão apenas começando. No centro do conflito estão os guerreiros mais improváveis que já se imaginou, unidos com o único objetivo de salvar seu reino e livrar o mundo do mal que o assola.

Luiz Mazzaron narra a história onde nobres e plebeus se unem sobre presságios malignos e um destino desconhecido. Disputas pelo poder, tragédias, mortes, traições e romance, marcam o caminho de cada um dos aventureiros nessa ficção fantástica.




As faces da Luz - Trilogia Arcantatys

Ao ser forçada a atravessar um portal por um imenso lobo, Tayara se depara com um mundo que jamais imaginara. Elfos e bruxas passam a fazer parte de sua realidade, mas o que ela não sabe é que seu destino foi traçado muito antes de seu nascimento.
Agora ela terá que escolher entre a razão e o coração, pois ao se apaixonar por um elfo, descobre que uma forte maldição a prende a ele. Em busca de se conhecer melhor, Tayara inicia uma aventura repleta de magia e descobertas, fazendo com que o leitor perca o fôlego a cada página.






A chama da Esperança - parte I - A princesa Renegada

Movidos pelo preconceito, pela sede por poder e pela perda, humanos e feiticeiros eram inimigos desde os primórdios de Yuan, gerando guerras e destruição.
Durante uma terrível guerra, que ficou conhecida como a Grande Guerra de Willford, Kaira perdeu o seu lar e sua família. Quando uma nova guerra se inicia, ela não faz ideia do que está por vir, mas a jovem feiticeira recebe a difícil tarefa de reunir os cinco clãs de feiticeiros da nova República em um único e poderoso exército. Será que ela vai conseguir?
Em uma aventura que percorre as planícies de Ghennas, a montanha gelada de Liore, os desertos de Rockaxe e as margens do rio Armon, Kaira, seu melhor amigo Garo e dois companheiros mais do que improváveis descobrem que há muitos segredos que alimentaram o ódio entre os dois 


Impossível escolher apenas um, não é mesmo? Então aproveitem os preços especais de lançamento e adquiram todos agora mesmo, acessando a loja virtual da Arwen. É muito fácil, cliquem aqui e comprem ótimos livros com preços imperdíveis!



Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Jogos mentais [Resenha]


"Em um mundo futuro, viver entre o universo real e o virtual é cotidiano. Todos os dias, as pessoas se plugam a uma realidade virtual, criada por uma poderosa empresa do governo, onde podem fazer tudo: se divertir, ir às compras ou estudar. Tudo sempre perigosamente controlado. Luna, diferentemente de seus amigos e de sua família, não consegue se conectar por inteiro a essa dimensão, por isso, permanece ao mesmo tempo nos dois mundos, real e virtual. Ser diferente nesse sentido, no entanto, acaba levando-a a fazer descobertas surpreendentes e assustadoras sobre essas realidades, que mudarão por completo os rumos de sua vida."

Mais uma distopia? Sim, porém, com um diferencial muito importante: aqui não temos apenas um novo mundo, com pessoas divididas em grupos e controladas por um grande irmão, mas sim, todo um universo com tecnologia avançada, que faz o leitor querer viver sempre conectado, como os personagens do livro.

Luna vive nessa época em que todo mundo tem como única diversão - e até forma de vida - se plugar a um mundo virtual, onde pode jogar, estudar, criar novos cenários, enfim, fazer tudo o que quiser. Mas ela não é como todo mundo, ela é uma Recusadora, ou seja, não quer viver plugada, quer continuar no mundo real. Diferente das outras pessoas, não ela não tem um implante, que além de monitorar o que todos fazem, ajudam a acessar os mundos virtuais mais modernos. Por isso, ela é considerada estranha.

A empresa que toma conta de tudo isso é a PareCo, criadora dos mundos virtuais, responsáveis pelos implantes e gerenciadora das pessoas. Eles criaram um sistema em que o povo acredita que estar plugado é muito mais seguro e divertido do que viver no mundo real, e todo mundo acredita cada vez mais nisso. Mas, como em toda boa trama, aquele que tem muito poder vai querer conquistar cada vez mas, e é ai que os problemas começam.

A PareCo não é 100% honesta, mas como já tem todos na mão, não precisam se justificar e podem manipular as pessoas como bem entender. Por isso Luna acaba se tornando uma ameaça para eles. Enquanto ela for uma recusadora e não admitir viver virtualmente como os outros, ela pode ver e descobrir coisas que as outras pessoas não conseguem. Ou seja, ela pensa por si própria.

Se isso não bastasse, Luna também é filha da hacker mais famosa do mundo, Astra, que, dizem, morreu durante um jogo virtual. Luna não sabia que sua mãe também foi parte da resistência, e que, por isso, seu legado é seguir seus passos, ainda que ela demore a perceber. Acontecimentos estranhos e a descoberta de um grupo que quer lutar contra o domínio da PareCo, fazem Luna questionar suas ações até então.

Quando Luna é chamada para um teste, conhece Genko, uma hacker bonito e inteligente, por quem ela logo se encanta. Genko é um tipo especial de hacker, chamado de Phacker, que pode manipular o vácuo, uma parte do mundo virtual onde as pessoas normais não vão. Depois de conhecê-lo, Luna começa a se plugar com mais frequência e está sempre no mundo virtual, onde passa momentos incríveis com Genko.

Seu teste revelou que ela iria trabalhar na PareCo, numa divisão chamada Tanque de Pensamento, que ela acaba descobrindo, com a ajuda de Genko, se tratar de um centro de controle onde a PareCo faz diversas experiências para novos jogos. A coisa se complica, e Luna tem que lutar contra o comando da empresa para tentar libertar o mundo da opressão da PareCo.

Não é possível falar mais sem dar spoiler da estória, mas posso garantir que o livro tem ação do começo ao fim. O universo criado por Terri Tery é eletrizante, e desafio vocês a lerem e não imaginarem como seria poder viver num mundo virtual, onde tudo é possível. Todos os elementos de uma boa distopia estão presentes aqui, mas nada daquilo que já conhecemos se repete. Apesar de ser possível identificar alguns elementos de Divergente e 1984, a autora soube trabalhar essas influências e desenvolver algo totalmente original, que não vai decepcionar os fãs do gênero.

Aconselho que todos leiam Jogos Mentais, e embarquem nesse universo incrível, onde tudo é possível, e lutar pela própria vida e pela manutenção da humanidade é um desafio. Os leitores não vão conseguir se desplugar enquanto não chegarem à última página.


Jogos mentais
Teri Terry
480 páginas
editora Farol Literário (Facebook: FarolLiterario)
nota do Skoob: 4.1
nota do blog: 4.2
(livro cedido pela editora em parceria)


Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Um pouquinho de...

"Por minha exposição no mundo exterior sinto que, lá fora, as pessoas não expressam seus sentimentos e aqui, em Vila Serena, posso ser exatamente como sou (e tento ser lá fora, mas lá não existe interesse e estão todos apavorados e carentes, e são quase todas pessoas ignorantes, quando não burras - existe uma diferença!). Eu me adoro, eu não gosto é do mundo."


(página 31 )

sábado, 16 de janeiro de 2016

Projeto fotográfico

Olá leitores! Esse ano vou encarar mais um desafio (em 2015 foi o Reading Challenge), mas dessa vez não será de leitura, e sim fotográfico.




Conheci o Book Photo Challenge através do Instagram do blog O Diário do Leitor, idealizador do projeto, e, por se tratar de um desafio mensal, me empolguei em participar.

Basicamente, o desafio consiste em fazer uma foto temática por mês, de acordo com as especificações do blog. E deve-se seguir algumas regrinhas básicas:

- postar uma foto por mês, respeitando a ordem indicada;
- seguir o blog @odiariodoleitor no Instagram;
- colocar na descrição da foto a hashtag #bookphotochallenge2016ddl

Simples, não? E a ordem das fotos deve seguir os parâmetros abaixo:




Janeiro é fácil, e eu adoro fotografar a minha estante! Então que tal participar também? Basta que vocês sigam as regrinhas que mencionei acima, e fotografar loucamente, rsrs.

Me acompanhem lá no IG para ver as fotos do Projeto - e todas as outras também. Espero vocês lá!


Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Só por hoje e para sempre [Resenha]

onde comprar: Extra//Saraiva//Submarino//Fnac 


"Entre abril e maio de 1993, Renato Russo passou vinte e nove dias internado numa clínica de reabilitação para dependentes químicos no Rio de Janeiro. Durante esse período, o músico seguiu com total dedicação os Doze Passos, programa criado pelos fundadores dos Alcoólicos Anônimos, que incluía um diário e outros exercícios de escrita. É este material inédito que vem à tona depois de mais de vinte anos nesse livro, graças ao desejo de Renato de ter sua obra publicada postumamente. Entremeando as memórias do líder da Legião Urbana com passagens de autoanálise e um olhar esperançoso para o futuro, este relato oferece a seus fãs, além de valioso documento histórico, um contato íntimo com o artista e um exemplo decisivo de superação."

Quando soube da existência desse livro, fiquei muito curiosa para lê-lo, porém, com uma certa desconfiança de que seria apenas um relato triste e deprimente sobre os sofrimentos de Renato Russo, algo que quisesse apenas explorar o sucesso do cantor para vender livros. Graças ao céus, eu estava errada.


O livro é uma compilação dos escritos que Renato reuniu durante os vinte e nove dias que esteve internado na clínica de reabilitação Vila Serena, como parte de seu tratamento. Além das reflexões acerca de sua própria vida, ele também escrevia sobre a esperança que tinha em sua recuperação e os planos para seu futuro, como a vontade que tinha de se tornar cineasta no final da vida, quando estivesse mais velho. Todos os seus defeitos e qualidades estão expostos aqui, e, como sabemos, a convivência com ele deveria ser extremamente difícil: ele se considerava muito especial, acima de qualquer outra pessoa, como o gênio que ele realmente era. Pedante, egocêntrico e esnobe, porém, um dos maiores artistas de todos os tempos.

Os Doze Passos que deviam ser seguidos durante o tratamento, incluíam manter um diário - de onde saiu a maioria do material para o livro - e o preenchimento de algumas fichas de atividades, onde Renato registrava tanto suas opiniões sobre os encontros com outros internos quanto as descobertas que fazia sobre si mesmo. Essas descobertas seriam o alicerce para sua recuperação, e incluíam reconhecer seus pontos fracos e defeitos, trabalhá-los e tentar melhorá-los de forma que essa melhora o fortificasse e lhe desse confiança para enfrentar o dia a dia sem o subterfúgio das drogas e da bebida.

Aqui é possível conhecer um pouco do lado genial de Renato, e toda a dor que isso lhe causava. Sua dependência química também o fazia sofrer, e ele se arrastava cada vez mais para o fundo do poço, até que decidiu mudar. A reabilitação iria ajudá-lo a lidar com seus sentimentos mais perturbadores e o fazer encarar a realidade: ele não era melhor que ninguém e tinha que encarar isso. Durante a leitura de suas anotações nas fichas de atividades, dá para perceber que ele, apesar de ser visto como um deus pelos fãs, era apenas humano, como qualquer um de nós.

É uma leitura essencial para os fãs da Legião e de Renato: desperta sentimentos intensos no leitor, e traz de volta aquela saudade do cantor, que sentimos desde a sua morte em 1996. Saber que tudo aquilo foi escrito por ele, nos coloca um pouquinho mais perto da pessoa por trás do ídolo. Além disso, o livro nos obriga a repensar nossa própria vida, nossa relação com aqueles que amamos, e nossos planos para o futuro, lembrando que não devemos ter medo de viver.

Em cada página do diário, Renato Russo está de coração aberto, exposto, sensível. E é latente a evolução psicológica do paciente durante o tratamento: de início ele está arredio e desconfiado, sempre mal humorado e ainda considerando as outras pessoas como idiotas e irritantes, e mais para o final, em suas últimas anotações, é visível que ele aceita mais o outro, compreende sua existência num todo e sua importância no grupo. Como ninguém é perfeito, ele tem consciência de que não conseguirá alcançar êxito em todos os pontos exigidos, mas também sabe que tudo o que conquistou durante a internação é o início da mudança definitiva que ele buscava (e precisava) para sua vida.

Cada passo dado por Renato na reabilitação é emocionante, e se você é fã da banda, irá sentir ainda mais. Ainda que não seja fã, certamente você conhece alguém que busca recuperação de dependência química, e sabe o quanto essa situação é dolorosa, não só para o dependente, mas para todos em sua volta. Leia o livro como um incentivo para refletir sobre suas atitudes diárias, e até como uma dica para ajudar quem precisa.

O que eu mais gostei no livro foi conseguir entender melhor algumas letras das músicas do álbum O descobrimento do Brasil, lançado em 1993, como Vinte e nove e Só por hoje, que tiveram influência clara de sua passagem pela clínica. Perder Renato Russo há quase vinte foi um duro golpe, mas, como todo grande poeta, ele nos deixou uma obra imensa, que poderá ser reverenciada por um longo tempo. Leitura emocionante e edificante, super recomendada para todos. 


Só por hoje e para sempre - diários do recomeço
Renato Russo
editora Companhia das Letras
168 páginas
nota do Skoob: 4.1
nota do blog: 5


Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Sorteio de férias: O livro de marcar livros

A Joana está está férias, e os leitores do blog é que comemoram! Tem sorteio para vocês!!!























O presente é o Livro de marcar livros, essa agenda fofa, onde vocês podem tanto registrar as leituras que já fizeram quanto planejar as próximas, além de interagir com ele participando dos desafios divertidos que ele propõe.

Suas metas de leitura ficarão super organizadas e ao alcance de sua mão. O livro tem um tamanho bom, e por isso pode ser levado sempre com você, em sua bolsa ou mochila, além do design lindo! Com para dura e bastante espaço para suas anotações, ele é um livro apaixonante.

Para participar do sorteio é simples e certamente vocês já estão acostumados às regras, não?

- ter endereço de entrega no Brasil;

- cadastrar um e-mail válido para que possamos entrar em contato caso você seja o ganhador;

- seguir a página do blog no Facebook - essa opção é obrigatória, e tudo será conferido, portanto, se o sorteado não cumprir essa regra, será desclassificado e o sorteio será refeito;

- seguir o perfil do blog no Twitter (opcional);

- twittar a frase que está no formulário (opcional).

As primeiras entradas são obrigatórias, e as opcionais ajudam a acumular mais pontos e aumentam suas chances de ganhar. Participem e boa sorte!




a Rafflecopter giveaway

domingo, 10 de janeiro de 2016

Fala, Rafa! - Doce Mariola Disposta



Célula verdadeira, cliente mau humorado, será que não dormiu bem ou brigou com o namorada?
Olhar seco, mãos ásperas, a senhora estava só com a alma jovem, pois me disse bom dia e obrigada.
Blusa apertada, talvez fossem os quilos a mais, mas isso não vale de nada, já que aquele ser estava feliz.
Pele escura, cabelo bem preso, cheiro único, lábios grossos, nem precisou de troco, minha admiração foi de graça.
-Tia vou querer duas balinhas, minha mãe não deixa eu comer antes do almoço mas ela nem vai saber.
-Tome aqui suas balinhas menino, mas lembre-se, a gente sempre descobre as coisas, mesmo que tarde.
-Pensando bem.... Vou deixá-las para a sobremesa.
E quando o menino chegou em casa, um saco de jujuba o esperava. Não sou vidente, só tenho a certeza que a vida presenteia quem se ousa a seguir boas ações.
Pão e farinha na esteira....
-Vai fazer bolo seu Almir?
-Pão minha querida, pão.
Incrivelmente os ingredientes é que ditam o sabor, e a receita importa mais que a apresentação. Não interessa quem você seja, se conseguir ser o que você realmente é, até quem não é você vai aplaudir. Tudo é questão de ponto de vista, só por favor, não deixe a massa passar do ponto, excessos causam danos na essência.

Amo ser balconista, posso sempre estar vendendo e compreendendo, o segredo é o amor ao achegado.
Ahhh falando do seguinte,

-Próximo da fila, por favor!



Este post é válido para o Top Comentarista, participe!



Rafa Peres, resenhista e crônista, mantém o blog Minha Versão das Coisas, onde publica todos os seus textos.
Twitter: @Raafaperes

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Dois lados de um coração [Resenha]

onde comprar: Editora Arwen


"Dor. Nunca uma palavra fez tanto sentido na vida de Elizabeth Campbell. Quando a felicidade parece finalmente estar caminhando junto a ela, esse outro sentimento vem e toma o seu lugar. A tentativa de ser feliz novamente poderia ser conquistada se não fosse o fantasma de suas antigas dores que volta a atormentá-la. Elizabeth jamais imaginou que a vida seria capaz de lhe tirar sem permissão a pessoa que ela mais amava. Após perder seus pais de maneiras diferentes, ela passou a acreditar que nunca mais passaria por algo parecido. A vida, no entanto, preparava-lhe uma surpresa em silêncio... Quando Campbell se vê presa dentro de si mesma, mergulhada em uma tristeza sem fim e incapaz de seguir em frente, Thomas Hunter, um rapaz que nunca acreditou no amor, tenta tirá-la do chão, embora ele também precise que alguém o tire de lá. Juntos, eles descobrem que são capazes de superar as perdas e frustrações que a vida lhes deu."

Essa é uma estória emocionante, daquelas que te pegam e não te soltam por vários dias depois de terminar de ler.

A protagonista, Elizabeth Campbell perdeu a mãe, está afastada do pai, e só tem como companhia o noivo, William Hunter, com quem pretende se casar e viver feliz para sempre. Mas, infelizmente o destino não tem os mesmos planos para ela, e Will morre num acidente de carro. Perdida e sem saber para onde ir, Elizabeth se aproxima do irmão gêmeo do noivo, Thomas Hunter, de quem até então, não era muito amiga. Os dois compartilham o sofrimento e buscam conforto um no outro para tentar superar a perda de Will.

A princípio parecia que tudo não passaria de mais um triângulo amoroso entre os gêmeos e uma linda mulher, mas o livro é muito mais profundo que isso. A autora explora os sentimentos mais profundos dos personagens, mantendo o leitor sempre ligado na estória, esperando para saber se eles conseguirão se recuperar ou se vão se afundar cada vez mais na tristeza da perda.

Se de um lado temos Eliz, a garota apaixonada que estava prestes a se unir com seu príncipe encantado e perdeu tudo, do outro vemos Thomas, o eterno playboy, baladeiro,  aquele filho de família rica que não quer nada sério, mas que vê sua vida ser alterada pela morte do irmão. Ao mesmo tempo que eles parecem não ter nada a ver, e ainda se desentendem muito, às vezes eles conseguem se tratar bem e se ajudar mutuamente. É na companhia um do outro que eles acabam percebendo que a vida continua, apesar da grande perda que tiveram.

O leitor vai torcer para que os dois fiquem juntos, como um casal, mas vai ter que lidar com a indecisão de ambos, e com a teimosia que eles insistem em manter. Mas há que se considerar que eles não são acostumados a se abrir ou se entregar com facilidade, e por isso, demoram a perceber que podem sim ter um relacionamento, mesmo que isso soe estranho.

Entre idas e vindas, encontros e desencontros de Eliz e Thomas, outros fatos levam a jovem a acreditar no destino, e que uma força maior que tudo e todos está agindo para guiá-la até a verdadeira felicidade. O final é bastante emocionante, e autora foi muito hábil ligar a história de cada um dos personagens de maneira tão delicada e comovente.

A única coisa que me incomodou, e muito, durante a leitura, foi o uso dos nomes e sobrenomes dos personagens sem critério algum: num primeiro parágrafo ela se refere a protagonista como Elizabeth, no próximo como Eliz, e depois a chama por Campbell, seu sobrenome, o que não é comum para nós aqui no Brasil - poucas pessoas são tratadas pelo último nome. O mesmo acontecia frequentemente com Thomas, que várias vezes era só Hunter. Pode parecer preciosismo de minha parte, mas acho que ainda tem um agravante: para não se tornar repetitiva, a autora usava (inúmeras vezes) adjetivos como 'a morena' para Elizabeth e 'o loiro' para Thomas, como se fosse um codinome para os dois.

Fora esse pequeno detalhe, o livro é realmente impressionante,  vale a pena dar uma chance para a autora. A narrativa é inteligente, os personagens são bastante reais e o enredo é encanta e emociona ao mesmo tempo.


Dois lados de um coração
Marcela de Luca
editora Arwen (Facebook da Arwen)
328 páginas
nota no Skoob: 4.0
nota do blog: 4.0
livro cedido pela editora em parceria


Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Livros que ficaram de 2015

Olá leitores! Como estão? Ganharam muitos livros de Natal? Eu ganhei vários no meu aniversário, e estou muito feliz!

Mas fiquei ainda mais feliz quando percebi que consegui concluir minha meta de leitura (mas com algumas modificações). Em números, a meta foi cumprida: dos 56 livros planejados, consegui ler 57, mais 2 no Wattpad, que não estavam inicialmente previstos.


Livros Coloridos - GIFMANIA



Da lista original, alguns títulos foram substituídos por outros, e acabaram ficando para trás:

- Entrelinhas, Tamara Webber
- Bela redenção - Jamie Mcguire
- Grey, E. L. James
- Facing the music and living to talk about it, Nick Carter
- Destinado, Carina Rissi
- Ainda estou aqui, Marcelo Rubens Paiva
- Entrevista com o vampiro - a história de Claudia, Anne Rice
- A menina mais fria de Coldtown, Holly Black

Infelizmente, na nossa trajetória como leitor, nem sempre é possível prever e organizar futuras leituras, pois sempre acabamos passando na frente alguns livros que nos conquistam por algum motivo, livros de parceria, ou até aquele lançamento super aguardado e que não pode ficar na estante por muito tempo.

Mas, apesar de tudo, fiz poucas substituições na meta inicial, e estou muito satisfeita com minhas quase 60 leituras em 2015. Pretendo aumentar essa meta para 2016, já que ela vem crescendo a cada ano, desde que comecei a cadastrar tudo no Skoob. E vou incluir esses encalhados na próxima lista de leitura.

Esses foram os livros lidos no ano passado:








































Mais A fada madrinha, de Kate Willians, que li quando ainda não estava cadastrado no Skoob, e Mais leve que o ar e ICK Perspectiva, de Felipe Sali, que li na plataforma Wattpad.




Antes de terminar esse post, preciso perguntar a vocês: o que estão fazendo que ainda não conhecem Mais leve que o ar????? Façam seu cadastro agora no Wattpad e comecem a ler esse super livro, vocês não vão se arrepender.

Podem me dizer nos comentários como ficou a meta de leitura de vocês, se é que vocês tinham uma, e quais são os livros que vocês queriam ler, mas não leram em 2015.



Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen