quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Dois lados de um coração [Resenha]

onde comprar: Editora Arwen


"Dor. Nunca uma palavra fez tanto sentido na vida de Elizabeth Campbell. Quando a felicidade parece finalmente estar caminhando junto a ela, esse outro sentimento vem e toma o seu lugar. A tentativa de ser feliz novamente poderia ser conquistada se não fosse o fantasma de suas antigas dores que volta a atormentá-la. Elizabeth jamais imaginou que a vida seria capaz de lhe tirar sem permissão a pessoa que ela mais amava. Após perder seus pais de maneiras diferentes, ela passou a acreditar que nunca mais passaria por algo parecido. A vida, no entanto, preparava-lhe uma surpresa em silêncio... Quando Campbell se vê presa dentro de si mesma, mergulhada em uma tristeza sem fim e incapaz de seguir em frente, Thomas Hunter, um rapaz que nunca acreditou no amor, tenta tirá-la do chão, embora ele também precise que alguém o tire de lá. Juntos, eles descobrem que são capazes de superar as perdas e frustrações que a vida lhes deu."

Essa é uma estória emocionante, daquelas que te pegam e não te soltam por vários dias depois de terminar de ler.

A protagonista, Elizabeth Campbell perdeu a mãe, está afastada do pai, e só tem como companhia o noivo, William Hunter, com quem pretende se casar e viver feliz para sempre. Mas, infelizmente o destino não tem os mesmos planos para ela, e Will morre num acidente de carro. Perdida e sem saber para onde ir, Elizabeth se aproxima do irmão gêmeo do noivo, Thomas Hunter, de quem até então, não era muito amiga. Os dois compartilham o sofrimento e buscam conforto um no outro para tentar superar a perda de Will.

A princípio parecia que tudo não passaria de mais um triângulo amoroso entre os gêmeos e uma linda mulher, mas o livro é muito mais profundo que isso. A autora explora os sentimentos mais profundos dos personagens, mantendo o leitor sempre ligado na estória, esperando para saber se eles conseguirão se recuperar ou se vão se afundar cada vez mais na tristeza da perda.

Se de um lado temos Eliz, a garota apaixonada que estava prestes a se unir com seu príncipe encantado e perdeu tudo, do outro vemos Thomas, o eterno playboy, baladeiro,  aquele filho de família rica que não quer nada sério, mas que vê sua vida ser alterada pela morte do irmão. Ao mesmo tempo que eles parecem não ter nada a ver, e ainda se desentendem muito, às vezes eles conseguem se tratar bem e se ajudar mutuamente. É na companhia um do outro que eles acabam percebendo que a vida continua, apesar da grande perda que tiveram.

O leitor vai torcer para que os dois fiquem juntos, como um casal, mas vai ter que lidar com a indecisão de ambos, e com a teimosia que eles insistem em manter. Mas há que se considerar que eles não são acostumados a se abrir ou se entregar com facilidade, e por isso, demoram a perceber que podem sim ter um relacionamento, mesmo que isso soe estranho.

Entre idas e vindas, encontros e desencontros de Eliz e Thomas, outros fatos levam a jovem a acreditar no destino, e que uma força maior que tudo e todos está agindo para guiá-la até a verdadeira felicidade. O final é bastante emocionante, e autora foi muito hábil ligar a história de cada um dos personagens de maneira tão delicada e comovente.

A única coisa que me incomodou, e muito, durante a leitura, foi o uso dos nomes e sobrenomes dos personagens sem critério algum: num primeiro parágrafo ela se refere a protagonista como Elizabeth, no próximo como Eliz, e depois a chama por Campbell, seu sobrenome, o que não é comum para nós aqui no Brasil - poucas pessoas são tratadas pelo último nome. O mesmo acontecia frequentemente com Thomas, que várias vezes era só Hunter. Pode parecer preciosismo de minha parte, mas acho que ainda tem um agravante: para não se tornar repetitiva, a autora usava (inúmeras vezes) adjetivos como 'a morena' para Elizabeth e 'o loiro' para Thomas, como se fosse um codinome para os dois.

Fora esse pequeno detalhe, o livro é realmente impressionante,  vale a pena dar uma chance para a autora. A narrativa é inteligente, os personagens são bastante reais e o enredo é encanta e emociona ao mesmo tempo.


Dois lados de um coração
Marcela de Luca
editora Arwen (Facebook da Arwen)
328 páginas
nota no Skoob: 4.0
nota do blog: 4.0
livro cedido pela editora em parceria


Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

3 comentários:

  1. Oi Joe!
    eu acho q não se trata de preciosismo da sua parte não viu? existem várias "coisinhas" q me incomodam também em determinados livros.
    não conhecia o livro, achei bacana. A resenha, como sempre muito bem elaborada :)
    um beeijo!

    ResponderExcluir
  2. Nunca tinha lido sobre esse livro, mas amei sua resenha, sou louca por romances beeeeem romÂnticos, e ainda mais quando morre alguém, claro que fico triste, mas a maioria desses livro sempre trazem grandes ensinamentos, curto muito.
    E achei o máximo a Liz namorar o irmão do noivo falecido, vou querer ler o quanto antes!!
    bjos

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia esse livro, mas gostei pois curto bastante romance pois da para parar e refletir (melhor que auto ajuda), vou colocar na lista1

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!