segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Ovelha, memórias de um pastor gay [Resenha]

onde comprar: Casas Bahia//Ponto Frio//Amazon 


"Este livro, estreia impressionante de um jovem talentoso escritor, é o relato pecaminoso de um decadente. A história de um homem religioso e carismático, temente a Deus, mas amante insaciável de sua própria carne exótica, a carne de outros homens. Um pastor gay, casado com uma ex-prostituta, filho de uma fanática religiosa. Neurótico e depravado. E agora condenado. Internado no hospital, debilitado e com um segredo de uma tonelada nas costas, este personagem atormentado decide libertar-se de seus demônios e relatar seu drama. Num relato cru e sem censura, ele literalmente vomita seus trinta anos de calvário e charlatanice na cara da congregação (e de qualquer um que se interesse por um bom inferno). Sexo, paranoia, corrupção e destruição são os ingredientes tóxicos dessa obra provocante, polêmica e inovadora."

Esse livro pode ser chocante para algumas pessoas. Mas também pode ser visto por alguns leitores como uma narrativa ousada, mas que não assusta. Claro que o assunto é polêmico: um pastor evangélico que se descobre gay e que narra suas desventuras em busca da satisfação pessoal e a dúvida sobre se o que faz é certo ou errado. Só isso já daria uma boa discussão, mas o autor vai além, e conta em detalhes algumas das situações mais intensas vividas por seu personagem.

O protagonista escancara todos os seus sentimentos mais íntimos, enquanto questiona o posicionamento da igreja frente a natureza humana, ao ser diferente e tentar ser aceito sem transgredir suas regras. O próprio autor em algumas entrevistas revelou que passou um longo período de sua vida dentro da igreja, bastante atuante, até que começou a perceber que, em alguns casos, a única coisa que importava para a instituição igreja era que o fiel seguisse suas ordens, agisse sob seus termos, e anulasse sua verdadeira identidade para viver de acordo com o que a igreja prega. Foi que ele passou a questionar se isso era certo.

É possível identificar no personagem essa insatisfação com a igreja, e uma tentativa de alinhar aquilo que ele acredita, ou seja, sua fé em Deus, com aquilo que ele precisa fazer, que é assumir seus desejos mais primitivos, e só assim ser totalmente feliz. Esse medo de estar vivendo em pecado enquanto sente que está se satisfazendo plenamente martiriza o pastor o tempo todo, e faz com que ele questione suas próprias escolhas. Mas também não o impede de buscar o prazer a qualquer preço.

Mas certamente o que vai chocar o leitor são os detalhes mínimos da vida sexual do pastor: desde o descobrimento da sua homossexualidade até a primeira vez que ele tem uma relação com outro homem. Ele também fala sobre as dificuldades em manter um relacionamento com a esposa, sem que ela perceba que ele é gay. Com ela o pastor teve filhos e passou alguns anos tentando viver como manda a sociedade, mas como não conseguia fugir de sua natureza homossexual, ele mantinha casos extraconjugais.

O ponto forte do livro é sem dúvida o estilo narrativo adotado pelo autor: ele escreve no estilo diário, fazendo registros sem uma linha temporal definida, ou seja, hora ele usa o tempo presente, falando sobre como está o pastor naquele exato momento em que escreve suas memórias, sentindo que seus dias estão chegando ao fim, hora ele afla no passado, contando coisas que já aconteceram, desde a sua infância até agora. Intercalando os tempos, aparentemente sem critério algum, o autor conseguiu construir sua própria linha temporal, amarrando  um capítulo no outro, de forma que eles façam sentido entre si e que a estória vá se desenvolvendo até o que seria o fim da linha para o pastor.

Por ser um livro de estreia, ele merece respeito. A narrativa é inteligente e dá para perceber que o autor teve grande cuidado ao conceber essa obra. A polêmica maior fica por conta de quem segue uma religião e pode discordar das atitudes do pastor, o que não é o meu caso. Talvez por isso eu tenha conseguido enxergar a estória com o olhar de um leitor, e não de um membro atuante desse ou daquele seguimento religioso. Cada leitor vai perceber a estória de uma perspectiva própria, e por isso é recomendado que todos o leiam, independente da sua crença, e que tenham a mente aberta, sabendo que se trata de uma obra literária.


Ovelha, memórias de um pastor gay
Gustavo Magnani
editora Geração Editorial
232 páginas
nota do Skoob: 4.1
nota do blog: 3.5


Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Um pouquinho de...

"- Becky, você... acredita em vampiros?
- Não.
- Não?
- Não!
- É isso? Você nem vai pensar no assunto?
- Você poderia ter me perguntado pelo telefone. Deixei de repetir o prato de macarrão com queijo!
- Isto é de máxima importância!
- Tá brava? Quer que eu acredite em vampiros?
- Bem... 
- Raven, você acredita?
- Durante anos eu quis acreditar. Mas quem vai saber? Eu não acreditava que Rock Hudson fosse gay.
- Quem é Rock Hudson?
- Deixa pra lá..."

(página 103, capítulo 11)


obs.: eu não sabia quem era Rock Hudson, então fui pesquisar: ele era um galã do cinema norte-americano entre os ano 50 e 60, e foi um dos primeiros a morrer de AIDS, em 85. Ele era homossexual, e durante muito tempo conseguiu manter isso em segredo.



Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

sábado, 20 de fevereiro de 2016

1, 2, 3... PIN!

De volta com as imagens do Pinterest! Essa é para convidar vocês a darem uma passadinha no Ideias Absurdas, onde estou fazendo uma contagem regressiva para o show do Coldplay no Rio. Tem muita música, muita foto, entrevista e mais música. Passem lá ;)

imagem do Pinterest



Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Sexta de música #108 - Novidades da semana (ou não)

A nossa coluna musical de hoje será rápida e rasteira. Quero compartilhar com vocês algumas músicas que conheci essa semana, e outras que voltei a ouvir depois de algum tempo.

Depois de bombardear meus leitores queridos com tantas boybands, voltei a ouvir muito rock, e um pouco de música mais romântica, como as de John Legend e John Mayer, além de uma banda independente, da qual falarei com mais detalhes outro dia.

Se vocês me acompanham pelo Twitter, devem ter percebido que eu sou uma daquelas pessoas que gostou demais do novo álbum do Justin Bieber, e não consegue explicar o por quê disso. Então ele é parte da playlist de hoje com a minha música preferida do CD Purpose, juntamente com Nathaniel Rateliff & The Night Sweats, banda diferentona que eu conheci no talk show americano The Tonight Show, apresentado por Jimmy Fallon.

Ouçam as músicas e depois me digam o que acharam nos comentários, combinado?





1. Love yourself - Justin Bieber
2. Speakers - Sam Hunt
3. Counting on love - Matt McAndrew
4. Heaven - Matt Bomer (trilha do filme Magic Mike XXL)
5. S.O.B - Nathaniel Rateliff & The Night Sweats

Quer faixa bônus? Então fique com a parceria entre Dead Company e John Mayer, para se preparar para o lançamento do novo trabalho do John em setembro:





Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Até que eu morra [Resenha]



"Kate e Vincent estão finalmente juntos em Paris, a cidade das luzes e do amor. Mas esse amor carrega uma questão que não pode ser ignorada: como eles poderão permanecer juntos se Vincent não resistir a se sacrificar para salvar outros mortais? A promessa de levar uma vida normal com Kate significa deixar que pessoas inocentes morram? Quando um novo e inesperado inimigo se revela, Kate descobre que há muito mais coisas em risco... e que até mesmo a imortalidade de Vincent pode estar ameaçada."

Depois de conhecer Vincent e sua tribo, Kate não poderia estar mais envolvida. Num intervalo de meses, sua vida mudou completamente: perdeu os pais num acidente nos EUA, mudou-se para Paris para viver com os avós e se apaixonou por Vincent, um revenant. Agora ela está mergulhada no sobrenatural, convivendo com seres imortais que ela nunca imaginava existir.

Como revenant, Vincent tem a missão de salvar humanos à beira da morte, mas, para isso, ele mesmo tem que passar por um processo de morte e ressuscitação, que apavora Kate, e, em nome do amor que estão vivendo, ele busca uma solução para fugir da sua própria natureza e conviver com a garota sem precisar morrer e reviver a todo momento.

Claro que tudo isso tem um preço alto a pagar, mas ele está disposto a piorar pra depois melhorar. Por outro lado, Kate não aguenta vê-lo se torturar tanto, e sai em busca de saída diferente esse problema. Nessa pesquisa, Kate acaba se envolvendo com poderes maiores do que ela esperava, e rivais dos revenants, os numa, que são criaturas extremamente perigosas. Isso pode colocar em risco não só sua vida, mas também de sua irmã e de Vincent.

Enquanto Kate fica cada vez mais preocupada com o estado de seu namorado, ela encontra apoio em Violette, uma revenant muito mais velha que os outros e que veio de longe para ajudar os imortais a resolver uma situação complicada. A pequena Violette se mostra muito amiga de Kate e a ajuda a aprender muita coisa sobre os revenants, que podem lhe ajudar no relacionamento com Vincent.

Claro que todos esses fatores se juntam e quase terminam em tragédia. E o final deixa uma situação tensa para ser resolvida no próximo livro. Isso é ao mesmo tempo um ponto positivo e negativo na estória: enquanto o desfecho cria uma expectativa enorme no leitor para descobrir o que vai acontecer com Vincent, ele também pode decepcionar os mais curiosos e ansiosos, pois tudo fica em aberto, e, aparentemente, não conseguimos ver uma saída para a situação de Kate e os revenants.

Por ser o volume dois de uma trilogia, o ritmo é bastante lento, e as coisas demoram demais a engrenar. Se no primeiro foi necessário explicar todo o universo dos revenants, aqui a autora poderia ter aproveitado para explorar mais esse assunto, com mais agilidade e inserindo novos elementos. Eu achei que faltou um pouco de dinâmica na escrita da autora, e, ainda que isso torne a leitura mais cansativa, a vontade de saber como vai terminar a disputa entre revenants e numas mantém a atenção do leitor.

A estória como um todo é muito interessante, e tenho certeza que no próximo volume da série tudo vai se acertar de forma convincente. E também espero que o ritmo narrativo mude e as coisas aconteçam mais rapidamente, sem grandes intervalos entre uma decisão e outra. Ah, e também torço para que o romance de Kate e Vincent esquente um pouco mais. Leiam e descubram o que estou querendo dizer.


Até que eu morra
Amy Plum
editora Farol Literário
429 páginas
nota do Skoob: 4.3
nota do blog: 3.9


Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Editora Arwen - lançamentos de fevereiro

Gente, pensa numa editora super-hiper-mega-incrível, que está dando oportunidade para novos nomes da literatura nacional, com livros de uma qualidade impressionante, e que tá cheia de novidades. Essa editora é a Arwen! Vocês precisam conhecer os lançamentos desse mês, são estórias mágicas e que vão conquistar vocês:


Stânix - a fúria dos dragões - Éder Traskini (vol.II da série)
Depois de descobrir que uma profecia o proclama como o único capaz de salvar todo o reino, Aaron se vê com responsabilidades que nunca imaginou ter na vida. Iniciando o treinamento com Alice, começa a finalmente dominar seu elemento base: o fogo. Mas será isso suficiente para quando a hora chegar? Enquanto os elfos partirão para as Terras Desconhecidas para encontrar a raça ancestral dos dragões – os Askan – Joe, Sora e Terek têm a missão de descobrir o paradeiro dos outros dois elfos aos quais a profecia se refere. No entanto, eles descobrem muito mais do que isso. Traições e surpresas espreitam pelo caminho com consequências fatais. Podem os dragões ficar de algum lado nesta guerra ou sua fúria milenar voltará para destruir o reino todo? Teriam Aaron e Alice trazido a desgraça a Stânix? Eles estão de volta.




Deixe-me Entrar - Letícia Godoy (vol. I da série)
Julianne Ipswich cresceu confinada no internato Le Rosey, afastada de sua família com o pretexto de receber uma educação de qualidade. Este fato sempre a incomodou e o maior desejo de Julianne era descobrir a verdade para que a família tenha a afastado, uma vez que não ficou convencida de que a preocupação com os seus estudos seria o único motivo. Ao completar 15 anos, ela retorna para Stone Forest, a cidade de seus pais, e, aos poucos, acaba descobrindo mais do que gostaria de saber. Cercada por muito mais perigos e desafios do que ela jamais pôde imaginar que surgiriam em sua vida, Julianne precisará desvendar os mistérios de seu passado e preparar-se para os desafios do futuro rapidamente se quiser sobreviver. As vozes se misturam, os olhos sedentos nunca param de espreitar e o perigo está onde ela menos imagina. Será que Julianne conseguirá enfrentar tudo isso?



Ele não é isso - Rodrigo Moreira
Em pleno marco zero de São Paulo e escondida entre as paredes do edifício Nazareth, uma história, que antes fora de amor, vai se tornar sofrimento, tortura e medo. Em uma noite tranquila, Matias e sua esposa, Felícia, grávida de 6 meses, são atacados por um cão. Para ele, havia sido apenas um susto. Para ela, uma dolorida, mas curável, ferida na perna. No entanto, a ignorante certeza de que tudo acabará bem, desprezando a necessidade de cuidados médicos, causará sérias consequências. O que tal negligência ocasionará às vidas dessa família? Que destino um simples acidente revelará para o mundo? Matias, enclausurado em seu apartamento com seu filho, Júnior, viverá momentos tenebrosos e sombrios que mudarão para sempre a sua história e das pessoas à sua volta. Um pai, um filho e um destino amedrontador. Uma história de terror, drama? Quem sabe! Pode-se dizer que este é, apenas, um relato sobre um ser que, há muito tempo, deixou de viver, mesmo que a função fisiológica denominada respirar diga o contrário.


Ninho de fogo - Camila Deus Dará (vol.I da série)
Melane, uma garota de 16 anos que vive com a avó, descobre não apenas ser uma mestiça de bruxa e dragão, como também uma princesa em um mundo chamado Ninho de Fogo. Com ajuda de seu fiel guardião David, e o pequeno Jack, o garotinho de quase 300 anos de idade, ela volta para sua terra natal, descobrindo que o lugar está se despedaçando. Em um mundo de dragões, fadas e sereias, Melane terá que ser forte para a batalha que colocará em risco o mundo onde nasceu, enquanto tenta descobrir a quem pertence seu coração. Uma mistura de romance, aventura, guerra e salvação é o que te espera em Ninho de Fogo!






A substituta - Clara Brandão
Nathan Robins é um cara de sorte. É famoso, rico, bem apessoado e casado com Park Jihyun, uma mulher adorável e bem-sucedida que o ama muito. No entanto, todas essas coisas não impedem que Jihyun seja diagnosticada com um câncer em estágio terminal meses após o casamento dos dois. A vida de Nate passa por uma grande reviravolta.  Sem perspectivas, ele toma decisões erradas que o levam cada vez mais para baixo. Ele não consegue aceitar que existe uma razão para tudo o que está acontecendo. Nathan conta, junto com tantas outras coisas, o que é enxergar a luz quando se está na escuridão.







Não sei vocês, mas eu estou pirada nessa capa de Deixe-me entrar! Quero esse livro agora!

Todos os lançamentos estão demais, e vocês podem comprar já no site da Arwen com preço mais que especial. Basta escolher e clicar aqui =)

Boas compras e boas leituras a todos!

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Um pouquinho de...

"Fantasmas são essas lembranças fortes demais para serem esquecidas, ecoando ao longo dos anos e se recusando a serem apagadas pelo tempo. Não imagino que quando Saltonstall pintou 'A menina submersa', quase cem anos antes de eu vê-lo pela primeira vez, tenha feito uma pausa para considerar todas as pessoas que poderia assombrar. Essa é mais uma característica dos fantasmas, uma característica muito importante: você tem de tomar cuidado porque assombrações são contagiosas. Assombrações são memes, em particular, transmissões de ideias  perniciosas, doenças contagiosas sociais que não precisam de hospedeiro viral nem bacteriano e são transmitidas de milhares de modos diferentes. Um livro, um poema, uma canção, uma história de ninar, o suicídio da avó, a coreografia de uma dança, alguns quadros de filme, um diagnóstico de esquizofrenia, o tombo fatal de cima de um cavalo, uma fotografia desbotada ou uma história que você conta para sua filha."

                                           (páginas 23 e 24)

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Fala, Rafa! - Conto sem fada


A Disney é realmente um lugar encantador, que arranca suspiros da galerinha do mundo. Hoje em dia até a Branca de Neve é princesa! Mas escolher entre as mais bonitas é que é difícil. Se tratando de príncipe então, é com um pedacinho de cada um que todas as meninas sonham em se casa., Aliás, quase todas. Eu, por exemplo, não me encaixo ai. 

Gostaria de contar agora a minha mais leve e profunda confissão. 

Melhor que guardar o sapatinho de uma moça, escalar suas tranças, morrer pela amada, ou com um beijo desfazer algum feitiço é SABER TOCAR A ALMA DAS PESSOAS COM AS PALAVRAS.

E só o Pequeno Príncipe entende disso.

O meu arrancador de sorrisos confortáveis. Aquele que me enche de sentimentos bons, sem que eu precise entrar em um conto de fadas.

Depois que li a frase abaixo, nunca mais a esqueci.

Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.

E foi inspirada por ela que resolvi escrever, em forma de conto, uma jornada que combina:

"Em uma noite decidi ir sentir o vento, que estará afora... Acabei voando, e dentre as nuvens pulei, ao invés de sentar só corri. 
Contei as estrelas e guardei no bolso a menor, taquei nela um desejo.
Fiz do céu uma piscina e junto com os bons pássaros cantei.
Encontrei uma andorinha má que tentou me arrastar para baixo, botou na minha bagagem ambição, depois disso cai no chão, levantei após trocar toda a mochila por madeiras, que foram necessárias para a construção de uma ponte em cima de um lago escuro.
Andei o monte e escalei, só não desisti por que dentro do meu bolso tinha algo guardado que era além da dor, por ser motivador assim bem de repente, me deixei cativar...
Fechei a janela e voltei a dormir.
No dia seguinte a minha estrela guardada deixou de ser apoio e passou a ser um sonho.''


Sonho este que ficará solto na sua imaginação. Janela, noite, manhã. Abra a sua, sonhe o seu, e não se esqueça da responsabilidade do amanhecer, que é breve.





Este post é válido para o Top Comentarista, participe!



Rafa Peres, resenhista e crônista, mantém o blog Minha Versão das Coisas, onde publica todos os seus textos.
Twitter: @Raafaperes

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Inverso [Resenha]


"E se do outro lado do espelho estivesse a vida que você sempre desejou? Lá no fundo, Megan não quer ser quem é e nem viver essa vida triste, exatamente o inverso daquela que sempre sonhou para si. Tudo começa com a morte de sua mãe. A sensação terrível de que algo nunca mais vai ser como antes. E não será mesmo. O seu único alento é o carinho da irmã, que a vê como o que gostaria de ser quando crescer. Mas há um novo mundo do outro lado dos espelhos. Um mundo igual ao seu, só que ao contrário. Um mundo perfeito onde as pessoas que morreram estão vivas e Megan é exatamente a garota que deveria ser. Entrando nessa realidade pelo avesso, Megan começa uma perigosa busca por si mesma, onde o reflexo de tudo que há de ruim tentará detê-la. Enquanto seguem em frente, ela deverá garantir a segurança das pessoas que mais ama. Em um labirinto de escolhas, sem poder sequer distinguir a própria imagem, Megan deverá lidar com a perda, enquanto descobre quem é a garota que a encara no espelho."

A jovem Megan vem sofrendo há meses com a morte da mãe, e tenta de todas as formas dar suporte para a irmã mais nova, e não causar nenhuma preocupação para o pai, que também está sentindo a perda precoce da esposa. Ela se comporta bem, a não ser por alguns desentendimentos com professores, mas isso é normal. Seu único amigo é Daniel, companheiro para todas as horas, que é um nerd assumido e não é nem um pouco popular na escola. Juntos, eles são a parte esquisita dos alunos.

Tudo na vida de Megan parece caminhar bem, apesar da falta que sente da mãe, até o dia em que ela e o pai resolvem mexer nas coisas que foram da progenitora para ver o que pode ser doado e reaproveitado por outras pessoas e o que realmente querem manter como lembrança. Dentre alguns objetos pessoais, Megan encontra um diário, muito bem fechado, com um aviso: não leia este diário. Claro que essa mensagem só aguça a curiosidade da menina, que decide manter o item em segredo, para ler depois e descobrir o que a mãe escondia.

Num momento em que ficou sozinha no quarto dos pais, ela se vê em frente a um espelho que, aparentemente, é normal, mas, que com um olhar mais demorado, se mostra um objeto estranho e curioso: Megan vê uma imagem muito parecida com a sua refletida nele, mas com alguns detalhes diferentes. Seu primeiro impulso e tocar no espelho para ver se tem algum problema, e é ai que tudo acontece: o espelho começa a se liquefazer e puxa Megan através dele. Ela cai numa casa idêntica à sua, porém, com tudo ao contrário. Ali ela descobre que a mãe está viva, o pai quase não fica em casa e a irmã não gosta dela. E pior, ela é tão popular no colégio que suas melhores amigas são aquelas que ela mais quer evitar na vida real, e Daniel, seu confidente, está muito distante e magoado com suas atitudes.

A confusão está armada. Megan percebe que está ocupando o corpo de outra adolescente, sua cópia, que se chama Megami, e que não se entende com a mãe. Isso é demais para Megan, já que tudo que ela queria era ter a mãe de volta. Na convivência com Megami, ela percebe que a garota é seu oposto, tem a personalidade forte e é muito briguenta. Ambas passam a dividir o corpo e a mente de Megami, e Megan vê e sente tudo o que a outra pensa ou faz, sem poder fazer nada para evitar que ela magoe as pessoas que ama.

Entre idas e vindas e muito desentendimento entre as meninas, Megami convence Megan a atravessar o espelho para que ela veja como a outra vive, e quando está no mundo de Megan, toma o controle do corpo dela e ameaça acabar com tudo o que ela tem.

Em alguns momentos o livro deixa o leitor apavorado, querendo interferir na relação Megan/Megami e resolver aquele impasse de vez, deixando cada qual em seu próprio mundo. O mais interessante é que o leitor consegue se colocar no lugar de Megan e sentir a alegria que ela sente ao ver a mãe viva, sabendo que, se ficasse naquele universo paralelo, ela poderia voltar a ter a mãe ao seu lado.

Da mesma forma que Megami é irritante e provoca o leitor a todo instante, pois sabemos o que Megan teve que passar sem a mãe, e torcemos para que ela tome a decisão certa no final. Megami é cruel e vingativa, e na primeira oportunidade que tem, magoa as pessoas que Megan mais gosta apenas para desafiá-la a trocar de lugar permanentemente.

Gostei demais desse livro, e adorei poder compartilhar os pensamentos das duas personagens, conseguindo facilmente sentir o que elas sentiam. A autora trabalhou muito bem as características marcantes de cada uma delas, facilitando a identificação das protagonistas durante a leitura, mesmo nos momentos em que elas ocupavam o lugar uma da outra sem aviso prévio. Com uma linguagem simples e coesa, Karen conseguiu criar dois universos distintos e bem construídos, que dão ao leitor a impressão verdadeira de que ele também está atravessando o espelho e passando de um mundo para o outro.

O final é corajoso, e me agradou bastante. Mas, apesar do desfecho inteligente, achei o último capítulo um pouco corrido, como se tudo tivesse que acontecer rapidamente. Essa foi a minha única ressalva, e só por isso o livro não ganhou nota cinco. Indico fortemente a leitura, para que todos possam ter a dimensão do que é poder escolher o seu próprio futuro, optar por ter aquilo que se deseja muito, ou manter aquilo que te faz feliz.


Inverso
Karen Alvares
editora Draco
136 páginas
nota do Skoob: 4.6
nota do blog: 4.5
livro cedido pela editora em parceria


Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

O que eu li em janeiro



Como estão meus queridos leitores? Hoje é dia de fazer o balanço mensal das leituras, então, vamos a ele:


Foram quatro HQs, com estilos totalmente diferentes: o primeiro voluma da continuação/crossover de O espadachim de carvão, uma das primeiras estórias da Mônica, uma Graphic MSP com Chico Bento, e a versão de Cláudia para os acontecimentos de Entrevista com vampiro.


E cinco livros (ohhhhh!!!!!!). As férias ajudam a ler bastante, então aproveitei e li até Sylvia Day, que estava totalmente fora das minhas metas (em breve eu posto a resenha desse livro).

Esse ano entrei em outro desafio literário, que será contabilizado mensalmente, a exemplo do que fiz com o Reading Challenge no ano passado. Dessa vez, o desafio será o Alfabeto Literário, proposto pelo blog Leitura Compulsiva (conheçam clicando aqui), e que consiste em encaixar as leituras feitas em três categorias diferentes: títulos dos livros, nomes dos protagonistas e autores.




As instruções para preenchimento da lista são as seguintes:

- títulos dos livros: artigos devem ser desconsiderados, por exemplo, se o livro se chamar "O amor", ele deve entrar na letra A. Para as letras K, W, X e Y serão válidos títulos que contenham essas letras em qualquer lugar do título - no início de qualquer palavra ou no meio delas;

- nomes dos protagonistas: preencher com nomes dos protagonistas dos livros lidos, de acordo com as iniciais de seus nomes. No caso de sobrenomes, só serão aceitos se eles forem relevantes para a estória, como por exemplo Christian Grey, que é chamado de Sr. Grey e de Christian. Mas não vale colocar nas duas letras;

- autores: preencher a lista com nomes de autores dos livros lidos, de acordo com as iniciais de seus nomes ou sobrenomes, tais como se encontram nas capas dos livros, desde que não estejam abreviados. Por exemplo: George R. R. Martin pode entrar na letra G (George) ou na letra M (Martin), mas não pode entrar na letra R.

Acho que as regras ficaram claras. Então, por enquanto, a minha lista ficou assim:

Título
A- Amor vampiro
E- Espadachim de carvão
J- Jogos mentais
L- Loving the band
M- Mônica é daltônica
P- Pavor espaciar

Nome de protagonista
C- Cláudia (Entrevista com vampiro)
E- Eva (Somente sua)
L- Luna (Jogos mentais)

Autores
A- Anne Rice
S- Sylvia Day
T- Terri Tery

Nos próximos resumos mensais essa lista vai sendo atualizada. Vejo vocês nos próximos posts. XO.


Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Um pouquinho de...

"Eu era um homem paciente. Sobrevivi a surras e palavrões e a um cretino que não media esforços para transformar minha vida em um inferno. Suportei o rótulo de encrenqueiro, quando tudo o que eu queria era ser invisível. Fiz o que tinha de fazer sem drama, e me recusei a sentir remorso pelas coisas que não podia mudar. Minha vida era simples. Pescava um pouco e bebia um pouco. Trabalhava duro e transava bem. Não brigava, mas, se a situação exigisse, podia chutar a bunda de alguém de um jeito inesquecível.
Eu era um cara que amava essa garota desde o momento em que ela voltou à vida e não viu ninguém além de mim. Agora ela estava mais próxima do que jamais havia estado, justamente quando eu corria o risco de perder tudo que passei anos construindo e me tornando. Era a mudança de enredo mais cruel que a vida já havia me proposto."


(página 195, capítulo 18)



Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Fala, Rafa! - A ironia de cada matrimônio



Os olhos dela tropeçaram no dele assim que o carro bateu. Sem receio, estava tudo numa boa, apenas um arranhão.
- Prazer, Carlos!
- Laura.
- Podemos fazer o orçamento na cafeteria da rua?
- Podemos.
Ele queria ter dito "Não me arrependi não senhora". Mas só disse: Pago tudo sim senhora.
Ela esqueceu a carteira em cima da mesa. Quando ele a entregou, as mãos demoraram para se soltar.
Casa comigo? Não. A sua casa é a sua casa e a minha casa é a minha casa.
Ela passou a acreditar em amor à primeira vista, toda vez que reparava no retrovisor arranhado. As flertadas dele não foram em vão.
Casa comigo? Não. A sua casa é a sua casa e a minha casa é a minha casa.
Todos os dias eram bonitos, ele abria a porta do carro pra ela e não reclamava quando ela entrava em uma loja de roupas.
Casa comigo? Não. A sua casa é a sua casa e a minha casa é a minha casa.
O jantar de sexta era tudo por conta dele, ela só tinha trabalho em escolher qual batom usar.
Casa comigo? Não. A sua casa é a sua casa e a minha casa é a minha casa.
O cinema de quinta não era clichê, nariz com nariz e delicadeza no toque era tão bom quanto o escuro da sala que cheirava a pipoca.
Casa comigo? Não. A sua casa é a sua casa e a minha casa é a minha casa.
Eu poderia ressaltar mais lembranças mas acabei de lembrar do meu pai dizendo "É meu filho, eu só queria que ela estivesse aqui, para vocês ouvirem o sim que eu ouvi. Sua mãe nos deixou saudades"
Isso é tudo o que só eu lembro do meu pai, o Alzheimer prejudicou suas memórias mais lindas.
- Amor?!
- Fala Fabi
- Solta o porta retrato dos seus pais e me dá ele aqui, preciso tirar o pó dele.
- Aqui está querida, e depois faz um favor? Tire a gelada do freezer.
- Mas você não pode fazer isso?Estou ocupada com a faxina!
- Vem tirar essa toalha molhada de cima da cama!
- Olha a pasta de dente fora do armário.
- Porque você botou a forminha de gelo pra gelar se ela está vazia?
- Abaixa esse tevê.
- Querida a minha casa é a sua casa também, saiba lidar.
- Se você repetir isso, peço o divórcio.
Fabi aceitou se casar e talvez não viveu feliz para sempre mas, assim como Laura, teve inúmeros minutos eternos.


imagem:  mighty5cent


Este post é válido para o Top Comentarista, participe!



Rafa Peres, resenhista e crônista, mantém o blog Minha Versão das Coisas, onde publica todos os seus textos.
Twitter: @Raafaperes

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Top comentarista fevereiro + resultado janeiro










Meninas e meninos do meu coração, é chegada a hora de presentear o leitor que mais comentou aqui no mês passado, e, como novamente a adesão foi baixa, as chances para quem participou aumentaram. Não fico muito feliz em constatar que apenas 2 leitoras comentaram em todos os posts de janeiro, mas, por outro lado, só tenho a agradecer a essas queridas que ficaram por aqui durante todo o mês.

Depois de compilar os dados e conferir um número para cada uma, o sorteio foi realizado pelo site random.org, e a ganhadora foi...




Ana Carolina, do blog Mais um trecho!!!!!! Sei que ela está pulando de alegria nesse exato momento, então, parabéns Carol, logo logo você receberá o e-mail para confirmar seus dados de envio.

E abrindo os trabalhos de fevereiro, vamos logo saber qual será o prêmio para o comentador mais lindo?



A herdeira, último livro da série A seleção de Kiera Cass. Para participar tem regras, sim, sim, sim:


Comentar nesta postagem com nome de seguidor, e-mail válido e perfil no Facebook ou Twitter  para validar sua participação. É importante que esse dados estejam corretos, pois serão usados para contato com o vencedor. 

Curtir a fanpage do blog no Facebook clicando aqui;

- E claro, comentar em todas as postagens do mês.

Lembrando que:
  • Os posts de sorteios ou resultados de sorteios não valem para o TC;
  • Somente um comentário por post será validado, e ele precisa ser coerente com a postagem: não serão contabilizados comentários do tipo "gostei" ou "participando";
  • O ganhador deverá ter endereço de entrega no Brasil;
  • A promoção começa sempre no dia primeiro e vai até o último dia de cada mês. Mesmo que o post com o TC ainda não tenha sido publicado, valem comentários em postagens anteriores.
  • Se houver empate em número de participantes, o ganhador será definido por sorteio, realizado no site random.org ou no sorteador.com;
  • O ganhador será avisado por email e terá 72 horas para respondê-lo. O prazo para envio do prêmio é de 45 dias úteis, contados a partir da resposta do e-mail, e o blog não se responsabiliza por atrasos ou extravios por parte dos Correios;
  • O descumprimento de qualquer uma das regras resultará na eliminação do ganhador.

Para dar uma mãozinha para vocês, vou deixar aqui os links dos posts que já saíram esse mês e estão valendo para o TC:

- Resenha Lexus (clique aqui)
- Sexta de música (clique aqui)

Boa sorte a todos!!!

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Sexta de música #107 - Nick Carter

Olá leitores! Lembram que no post musical da semana passada eu disse que já tinha ideia do que ia falar hoje? Pois é, a escolha do assunto estava feita, mas hoje ficou ainda melhor.

Não sei se todos acompanharam meus posts sobre boyband do ano passado (aqui e aqui), e como um velho hábito nunca muda, eu continuo ouvindo BSB e NKOTB. E hoje é sobre um dos meninos que eu quero falar.



Nick Carter, o mais jovem integrante do Backstreet Boys, o preferido de muitas fãs e o dono dos olhos mais lindos da banda, lançou há pouco tempo seu mais novo trabalho, chamado All american, com 11 músicas apaixonantes, que mostram que o rapaz tem mesmo talento.


cena do vídeo de I will wait

O primeiro single do CD foi I will wait, que ganhou um vídeo emocionante, e que teve performance ao vivo na final do Dancing with the stars. A segunda faixa escolhida como música de trabalho foi 19 in 99, e o vídeo divertidíssimo dela foi lançado hoje. Além da participação especial de AJ, outro membro do BSB, é possível ver Nick relembrando um pouco da música I want it that way, grande sucesso da banda na década de 90.

cena do vídeo de 19 in 99

Outras faixas que merecem destaque são Get over me, que tem a participação de Avril Lavigne, e Tijuana. Mas a minha preferida com certeza é Cherry pie, música com um estilo anos 50 que me faz sentir como se estivesse numa lanchonete da época, vestida a caráter e tomando milkshake.

Então caros leitores, sintam também esse clima gostoso proporcionado pelas músicas de Nick Carter, e aproveitem para admirar seus belos olhos azuis:





1. 19 in 99
2. Get over me (feat. Avril Lavigne)
3. California
4. Second wind
5. Swet 
6. Cherry pie
7. Tijuana
8. All american
9. Man on the moon
10. Horoscope
11. I will wait

E como já é tradição por aqui, temos uma faixa bônus! A melhor perormance de Nick e Sharna no DWTS, ao som de Bruno Mars:





Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Lexus - o despertar da escuridão [Resenha]

onde comprar: Editora Arwen

"Na cidade de Campos Elíseos, onde todas as condições de vida eram ideais, houve uma catástrofe de proporções inimagináveis. Tomados pelo terror, a verdadeira face da humanidade se revela - fria e cruel. Bianca, uma adolescente comum, jamais imaginaria que faria parte da história. Jamais iria supor que ela seria a esperança para a cura da raça humana. Numa aventura cheia de perdas e de descobertas, só existe um objetivo: sobreviver."

Bianca é uma jovem cheia de sonhos, que vive na perfeita cidade de Campos Elíseos, que também é a sede do laboratório Lexus, dono de uma torre imponente que pode ser vista de qualquer canto da cidade. Com uma família bastante normal, Bianca vive seus dias tranquilamente, até que algo muito estranho acontece.

Justamente no momento em que cada membro da família de Bianca está num lugar diferente, a cidade sofre um ataque terrorista, e a população se desespera. A exuberante torre do Lexus é derrubada, e o medo toma conta de todos, que não sabem o que está acontecendo. E enquanto Bianca tenta se juntar a seu irmão para ir ao encontro de seus pais, outras tantas famílias tentam fugir da cidade para se salvar do horror que está começando.

Estranhas criaturas surgem nas ruas e começam a atacar todos que veem pela frente; zumbis famintos e crueis devoram as pessoas, sem dó. É desses monstros que Bianca e seu irmão precisam fugir para tentar sobreviver e encontrar seus pais.

O livro é cheio de momentos tensos, ataques sanguinários de zumbis e muito corre-corre. A única forma de matar as criaturas é acertar a cabeça delas, por isso, vemos muitos tiros. As mortes são inevitáveis, e o autor não tem medo de matar nenhum personagem, o que é um dos pontos positivos da estória.

Outra coisa que chama a atenção é a narrativa, muito fluida e dinâmica. O livro é fácil de ler e tem ação o tempo todo. Além disso, o destino dado à protagonista é muito inteligente, e desfecho do livro não poderia ter sido melhor. Um final que pode despertar tanto o amor quanto o ódio do leitor (eu amei!).

A única coisa que deixa um pouco a desejar é a explicação da importância do Lexus na estória: por estar no título do livro, eu esperava que ele seria mais decisivo dentro do enredo. Não sei se eu não consegui entender direito, ou se realmente faltou posicionar o Lexus na narrativa.

Apesar desse pequeno detalhe, o livro é ótimo. A correria para fugir dos zumbis e a necessidade de se salvar e encontrar a família fazem do trabalho de estreia do Paulo uma obra que conquista o leitor, mostrando que todos nós somos vulneráveis àqueles que querem fazer o mal, mas que sempre há esperança. Recomendo a leitura.


Lexus - o despertar da escuridão
Paulo Henrique Bragança
editora Arwen (Facebook da editora)
156 páginas
nota do Skoob: 4.4
nota do blog: 4.0
livro cedido pelo autor em parceria


Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen