domingo, 7 de fevereiro de 2016

Fala, Rafa! - A ironia de cada matrimônio



Os olhos dela tropeçaram no dele assim que o carro bateu. Sem receio, estava tudo numa boa, apenas um arranhão.
- Prazer, Carlos!
- Laura.
- Podemos fazer o orçamento na cafeteria da rua?
- Podemos.
Ele queria ter dito "Não me arrependi não senhora". Mas só disse: Pago tudo sim senhora.
Ela esqueceu a carteira em cima da mesa. Quando ele a entregou, as mãos demoraram para se soltar.
Casa comigo? Não. A sua casa é a sua casa e a minha casa é a minha casa.
Ela passou a acreditar em amor à primeira vista, toda vez que reparava no retrovisor arranhado. As flertadas dele não foram em vão.
Casa comigo? Não. A sua casa é a sua casa e a minha casa é a minha casa.
Todos os dias eram bonitos, ele abria a porta do carro pra ela e não reclamava quando ela entrava em uma loja de roupas.
Casa comigo? Não. A sua casa é a sua casa e a minha casa é a minha casa.
O jantar de sexta era tudo por conta dele, ela só tinha trabalho em escolher qual batom usar.
Casa comigo? Não. A sua casa é a sua casa e a minha casa é a minha casa.
O cinema de quinta não era clichê, nariz com nariz e delicadeza no toque era tão bom quanto o escuro da sala que cheirava a pipoca.
Casa comigo? Não. A sua casa é a sua casa e a minha casa é a minha casa.
Eu poderia ressaltar mais lembranças mas acabei de lembrar do meu pai dizendo "É meu filho, eu só queria que ela estivesse aqui, para vocês ouvirem o sim que eu ouvi. Sua mãe nos deixou saudades"
Isso é tudo o que só eu lembro do meu pai, o Alzheimer prejudicou suas memórias mais lindas.
- Amor?!
- Fala Fabi
- Solta o porta retrato dos seus pais e me dá ele aqui, preciso tirar o pó dele.
- Aqui está querida, e depois faz um favor? Tire a gelada do freezer.
- Mas você não pode fazer isso?Estou ocupada com a faxina!
- Vem tirar essa toalha molhada de cima da cama!
- Olha a pasta de dente fora do armário.
- Porque você botou a forminha de gelo pra gelar se ela está vazia?
- Abaixa esse tevê.
- Querida a minha casa é a sua casa também, saiba lidar.
- Se você repetir isso, peço o divórcio.
Fabi aceitou se casar e talvez não viveu feliz para sempre mas, assim como Laura, teve inúmeros minutos eternos.


imagem:  mighty5cent


Este post é válido para o Top Comentarista, participe!



Rafa Peres, resenhista e crônista, mantém o blog Minha Versão das Coisas, onde publica todos os seus textos.
Twitter: @Raafaperes

4 comentários:

  1. Adoro essa coluna, sempre me surpreendo a cada post.

    ResponderExcluir
  2. Confesso que fiquei um pouco perdido sobre o assunto pois não conhecia a coluna, mas logo me adaptei e adorei o texto. Muito bom!

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia a coluna mas adorei. Muito boa, parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Aaahhhhhh que texto legal, gostei muito da coluna, eu amo ler textos do tipo.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!