domingo, 24 de julho de 2016

Arquivo Serial: Stranger Things

Olá, caríssimos. Mais um Arquivo Serial no ar com nuances dos anos 80. Hoje é dia de misturar as aventura de E.T. com a ciência de De volta para o Futuro dentro de um livro de Stephen King. Vamos relembrar os estranhos cabelos, as roupas mais descoladas, os costumes que marcaram a época e, é claro, reviver o cinema dessa década que deixou tantas saudades. Esqueça seu precioso DeLorean, voltaremos a sentir como crianças novamente com a companhia de Stranger Things.

A mais nova produção da Netflix entrou no ar há poucos dias e já fez um enorme sucesso. A série se passa em 1984 e conta a história de quatro crianças, ligadas pelo laço da amizade e pelo comum interesse em ciências, RPG e quadrinhos. Até que um desaparecimento acontece na pequena cidade onde moram, ao mesmo tempo que uma misteriosa menina surge de lugar algum.

Sinceramente, não se apeguem ao plot da série, é difícil comentar algo sem nenhum spoiler, portanto vou dar outras razões para você terminar de ler esse texto e correr, se trancar em um quarto totalmente equipado com iguarias culinárias e embarcar nessa viagem de apenas oito episódios.

Stranger Things, acima de tudo é uma ode ao cinema dos anos 80. O cenário, as roupas, todas as características estão presentes aqui, com um ar nostálgico que poucos filmes podem oferecer. Porém, em minha opinião, a trilha sonora é o ponto alto da produção. Desde a abertura – que lembra o filme Tron, de 1982 – até as cenas mais dramáticas, a trilha equilibra a experiência muito bem e te coloca exatamente onde você quer estar. Em muitas cenas as músicas parecem ter sido tiradas de um jogo de Atari, e esse tom é perfeito.

Diferente de outros seriados, os personagens não evoluem, apenas mantém a mesma essência desde o primeiro episódio. E o resultado é extremamente positivo. Desde o início o papel de cada um já está estabelecido e, como telespectador, é muito fácil se encantar pelos protagonistas e comprar todas as motivações que o roteiro te entrega. Impossível não se lembrar de Os Goonies.

Wynona Rider está de volta em um grande papel como Joyce Byers, uma mãe prestes a perder o controle de sua sanidade após o desaparecimento do filho. Méritos para a atriz, que está muito bem, e vale a pena vê-la, mas também méritos para a edição e roteiros que não exploraram esse drama familiar tão clichê.






















A primeira temporada tem apenas oito episódios, isso significa que tudo acontece muito rápido e de maneira clara, sem rodeios ou mistérios desnecessários. Stranger Things entrega exatamente o que te propõe: uma nova experiência de rever uma aventura ao estilo dos anos 80. Tudo gira em perfeita sincronia para presentear com essa obra prima os maiores saudosistas de Ghostbusters ou Gremilins.




Este post é válido para o Comentarista Premiado, participe!



João Oliveira, jornalista, aficionado por quadrinhos, livros e cinema. Mochileiro em busca de sua próxima aventura.
@oliveira_jh

2 comentários:

  1. Eu vi uma comoção no face sobre essa série. E achei interessante, mas nada de mais.
    Bom, eu não assisto séries, sou superpreguiçosa pra assistir coisas kkk só leio muito mesmo <3
    Se tiver a oportunidade vou querer conferir algum episódio , mas não é bem a minha praia.
    bjs

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!