segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Halloween com as princesas Disney

A comemoração americana mais bacana tem ganhado muitos adeptos no Brasil, e por isso, é comum ver por aí crianças pedindo doces de porta em porta (passaram aqui em casa hoje), e até festinhas onde todos vão fantasiados (e que são muito legais!).

Nosso blog também participa do Halloween, mostrando para vocês o trabalho de um artista gráfico lá dos EUA que fez versões obscuras de personagens fofos da Disney. Jeffrey Thomas tem criações incríveis e vocês podem conhecer todo seu portfólio clicando aqui.

Então vamos às princesas/bruxas de hoje. Algumas estão até mais interessantes que o desenho original. Tirem suas próprias conclusões e quem sabe se inspirem para criar fantasias diferentes:

Alice no país das maravilhas

A bela adormecida

A Bela e a fera

Cinderela

Jane

Megara 
Mulan



Nala

Rapunzel

Branca de Neve e os sete anões

A pequena sereia

Wendy

Eu amei a Cinderela, mas a Jane e a Nala não ficaram bem mais poderosas nessa versão macabra? O cara tem muita criatividade, não é mesmo?

Qual a preferida de vocês? Deixem nos comentários! E #partiu comemorar o Halloween!





Este post é válido para o Comentarista Premiado, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

domingo, 30 de outubro de 2016

Fala, Rafa! - Permita-se a reinventar-se



A partir de ontem está proibido não ser hoje, estou dizendo para você não tomar seu café preto de costume, tome algo laranja, rosa, azul ou de alguma cor que não seja preta, não coloque a mesma roupa da semana passada, vista aquela roupa que você não veste há muito tempo.
Esqueça os costumes, permita-se a reinventar-se.
Aquele livro antigo da sua prateleira, folheie ele mas depois ligue a sua tevê e coloque em algum canal atualizado.
Não ande de carro, ande a pé, repare nos barulhos, nas pessoas, repare no que você está fazendo agora. Pise descalço, sujar-se não é pecado, pecado é a mesmice, o certo é o que te faz bem, te faz evoluir, evolua-se para si mesmo, se ouse a descobrir porque nos seus oito anos a nuvem era de algodão e a lua de bolacha, e agora o céu é só algo que está ali todos os dias.
Desligue-se do acordar, trabalhar, dormir, ligue-se no agora, pois amanhã já é depois.
Vá, vá experimentar beijo na chuva, provérbio chinês, cultura africana, Caetano, e o bar novo que abriu perto da sua casa.
Ande de um pé só e grite que é feliz, questione, pergunte, surpreenda, revolucione, não dependa de um espelho para reparar na sua beleza, inspire-se, belo é um ser que faz acontecer, aconteceu a sua saúde e só falta acontecer o seu agora.
É tudo tão da mesma maneira, escandalize o presente, deixe o futuro fazer parte da sua vida, escute música clássica e depois ouça um funk dos anos 80, rebole sem imitações, seja impressionante, ignore todas as críticas.
Não seja petulante, coloque margaridas no seu quintal. Abra o armário da cozinha, do quarto, do banheiro e procure o inusitado, agarra o que é novo, e depois reivindique um outro novo, experimente as sensações, após a busca, me procure, já está tarde e eu que ontem era moderna, hoje me tornei principiante, acabei de acordar louca para uma novidade.



Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Rafa Peres, resenhista e crônista, mantém o blog Minha Versão das Coisas, onde publica todos os seus textos.
Twitter: @Raafaperes

sábado, 29 de outubro de 2016

Momento HQ: Steampunk Ladies

Olá leitores! Hoje vou assumir o lugar do João como comentaristas de quadrinhos aqui, e falar um pouco sobre essa HQ nacional bafônica que vocês precisam conhecer.

Steampunk Ladies - vingança a vapor foi escrita por Zé Wellington, que venceu o Troféu HQ Mix 2016 como Novo Talento Roteirista, e os desenhos feitos por Di Amorim e Wilton Santos, e conta a estória de Rabiosa, uma linda jovem que busca vingança para a morte de seu pai. No meio do caminho ela encontra Sue, uma mocinha de contos de fadas que vai contra tudo o que se espera das mulheres da época, e entende muito de armas. Juntas, elas lutam para atingir seus objetivos e quebrar todo tipo de preconceito que existe contra as mulheres.

Ambientada num cenário western repleto de invenções ao estilo steampunk, a HQ faz uma homenagem a ambos os gêneros, e ainda mostra que mulher pode fazer tudo o que ela quiser. E em mulheres bem poderosas aqui: se Rabiosa está sedenta por vingança e fará de tudo para acabar com aqueles que mataram seu pai, a malvada Lady Delillah é ambiciosa e não tem medo de nada, só quer poder e dinheiro. Todas são muito sexy e os desenhos exploram bastante as belas curvas de seus corpos. Mas apesar dessa objetificação das mulheres, a intenção do enredo é mostrar a força do feminino e o poder da mulherada que luta por aquilo que quer.




Como um bom steampunk, temos personagens com partes mecânicas e armas sofisticadas, enquanto o lado western é bem representado pela locomotiva a vapor, bandidos de chapéu e laço e muitos cavalos.

O argumento é sólido, afinal, uma vingança sempre rende boas estórias, mas, infelizmente, o roteiro não é excepcional. Os diálogos são bons e os personagens bem construídos. É fácil identificar a motivação de cada um e entender suas ações, mas o roteiro poderia ter sido melhor desenvolvido. Isso não desabona a estória, que continua boa de ler e envolvente. 

O forte são os desenhos; personagens bem expressivas, que, em alguns momentos, passam para o leitor aquilo que estão pensando apenas pelo olhar, e as partes mecânicas muito detalhadas, dando um ar futurista ao ambiente desértico. Com cores que lembram imediatamente um filme western antigo, os ilustradores conseguiram transportar o leitor para aqueles cenários. É só esperar Clint Eastwood aparecer, rs.

Há um confronto interessante entre Rabiosa, Sue e os bandidos que querem assaltar a locomotiva, e as moças lutam de igual para igual, até que encontram a malvada mór, Lady Delillah, muito cruel e violenta, o que rende boas cenas de luta.


O final é... bem, tem tiro, porrada e bomba, e Rabiosa e Sue acabam com as roupas rasgadas e descabeladas, mas tudo dá certo.



A leitura é rápida e muito agradável, e a HQ não deve nada a qualquer uma que vem de fora. Deem uma chance para o trabalho dos quadrinistas nacionais, sem preconceito, e conheçam a boa arte que vem sendo feita no país. A edição da Draco também merece destaque, é uma HQ de qualidade, e isso fica evidente desde a capa.

Leiam, entrem no mundo de Rabiosa (esse nome é demais!) e Sue, e as acompanhe nessa vingança a vapor. Mas corram, que o próximo trem já vai partir!


Conheçam mais sobre o trabalho do Zé Wellington no site dele (aqui) e comprem a HQ da Draco nesse link.


Este post é válido para o Comentarista Premiado, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Lançamentos de outubro - Editora Arwen

E aí amigos, como estão? Prontos para as novidades da nossa parceira Arwen?



Borborema - Letícia Godoy

Annabel é uma mulher fria e calculista, que fugiu do seu passado para a cidade grande e construiu uma vida "segura" e invejada por muitos. Sua intenção era nunca mais olhar para trás, porém, um telefonema muda tudo e a obriga a voltar à Borborema, fazenda de sua família. Lá ela terá que enfrentar mais do que inicialmente havia imaginado. Conflitos familiares, medos particulares, um assassinato que de alguma forma pode estar relacionado a ela e um homem que promete abalar as estruturas nada firmes de seu ser. Borborema promete envolver e encantar o leitor da primeira à última página.










Fragmentos - Ricardo de Jesus

Depois de descobrir sua verdadeira origem, Erik tenta levar uma vida normal. Mas algo ficou no ar: existe mais alguém... quantos mais? Um pedido de socorro de Amachi e uma foto intrigante num jornal local prometem um novo desafio, após o desaparecimento da Célula 2 e todos os acontecimentos que o cercaram. Uma viagem não planejada, perigos constantes e mistério no ar. Em Fragmentos, segundo volume da trilogia Célula 2, Erik e Amachi irão correr inúmeros riscos atrás de um inimigo sem rosto. É preciso cuidado: o amigo pode ser apenas o inimigo que ainda não atacou. Muitas pessoas almejam o poder e, para consegui-lo, não medem esforços. Porém, e se o poder viesse ao seu encontro? O que você faria? Cuidado com seus desejos: no final, tudo pode não passar de Fragmentos!







Sacramento - Felipe Cangussu

O que você faria se recebesse uma mensagem da própria morte, dizendo que seu tempo de vida expirou? Ele tentou driblar a morte a fim de proteger as pessoas que mais ama, porém, ninguém pode fugir do seu destino. Ou será que pode? Com enredo original e arrojado, Sacramento conta a história de um grupo de amigos que enfrentará situações inimagináveis a fim de evitar o fim iminente. Prepare-se para conhecer a história de William, o amigo que todo suicida gostaria de ter; Anderson, o psicopata do bem; Marina, a mulher que amou demais; e Johnny Sacramento, o homem que (quase) morreu três vezes.







Eu amei a sinopse de Sacramento, e já quero ler. E vocês, qual o desses livros mais interessou? Comentem!



Este post é válido para o Comentarista Premiado, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

terça-feira, 25 de outubro de 2016

A loira do banheiro [Resenha]

onde comprar: Editora Arwen

"As histórias que o povo conta podem até mudar um pouco aqui, outro pouco ali. Suas alterações de região para região são comuns, mas o importante é que elas continuam mexendo com o nosso imaginário, causando um misto de medo e curiosidade. Dieison Groff resgatou doze lendas urbanas que prometem atrair a atenção da galera do começo ao fim. Este livro reúne histórias arrepiantes como a do vestido de noiva, da loira do banheiro, do motorista funerário, da moça do táxi, do menino da foto, entre outras que provavelmente vão fazer você terminar a leitura com os cabelos em pé."

O título do livro promete histórias de arrepiar, e algumas realmente são. O autor reuniu diversas lendas urbanas, algumas delas famosas nacionalmente, outras mais regionais, e criou um registro daquelas histórinhas de terror que ouvimos quando criança, dos nossos avós ou na escola.

Usando como chamariz A loira do banheiro, e depois apresentando outras tantas lendas famosas pelo Brasil, o autor conseguiu trazer para o grande público as histórias que poderiam cair no esquecimento nessa era digtal, mas que em geral são passadas de geração para geração.

O clima durante a leitura é de tensão, pois o leitor espera se assustar a qualquer momento. Dependendo do ambiente em que se está lendo, isso pode acontecer facilmente, como foi o meu caso ao ler a primeira história, A moça do táxi. Se a leitura estiver sendo feita durante o dia, com muita movimentação ao redor, pode ser que o leitor não se assuste tanto.

Como alguns contos são regionais, encontramos alguns termos e palavras utilizados apenas naquela área, mas que podem perfeitamente ser compreendidos pelo contexto da história, sem prejudicar a leitura.

O destaque do livro são as anotações finais em cada história, onde o autor explica a origem daquele conto, e como ele foi se modificando ao longo dos anos e conforme ele vem sendo contado por gerações diferentes. Minhas histórias preferidas foram A noiva da estrada e A festa de debutantes.

Algumas histórias eu não conhecia, outras eu já não me lembrava, mas algumas foram surpreendentes. Pode ser que alguns leitores tenham a mesma experiência que eu tie ao ler, mas acredito que a maioria vai conhecer histórias novas, que podem assustar, e que vão guardar para passar para seus filhos e netos.

O livro é bem curtinho, super rápido e fácil de ler, sendo possível terminar em algumas horas. Indicado para aquele momento em que o leitor quer se distrair, descansar, passar bons momentos com um livro. Indicado para leitores de todas as idades, que estejam dispostos a conhecer ou relembrar lendas urbanas que fazem parte do folclore do nosso país.



A loira do banheiro e outras histórias de arrepiar
Dieison Groff
103 páginas
editora Arwen
nota no Skoob: 3.8
nota do blog: 3.8
(livro cedido pela editora em parceria)



Este post é válido para o Comentarista Premiado, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Um pouquinho de...

"A vida é um blá-blá-blá para quem sofre de uma doença que o afasta de tudo em volta. E toda vez que vejo alguém gripado se queixar de que está doente, eu penso que ele não sabe realmente o que é estar doente, não tem ideia do que é uma doença que leva toda a cultura da humanidade a se transformar num besta blá-blá-blá, que faça o debate político da semana não passar de blá-blá-blá, os livros da estante são blá-blá-blá, o que se diz no rádio, na televisão, nos jornais, não serve para nada, blá-blá-blá de quem não tem mais o que fazer, blá-blá-blá de gente que faz ruídos sem parar, barulhos irritantes.
Música não é blá-blá-blá, ela diria:
- De música eu gosto. Canto, até. A melodia entra na alma, não no cérebro. A poesia musicada não exige compreensão daquele que já não compreende muita coisa. O resto é blá-blá-blá."

(página 49, parte I)



Este post é válido para o Comentarista Premiado, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Sei Que Eu Sei News #25 - Guardiões da Galáxia 2













Eu  danço!

Hoje a Marvel divulgou o primeiro teaser da continuação do bem sucedido Guardiões da Galáxia, que estreia nos cinemas em abril de 2017. Em pouco mais de um minuto de vídeo já deu para sentir que a vibe do filme continua a mesma: leve, divertido e cheio de música boa.

A primeira imagem divulgada foi esse poster, estiloso em preto e branco, com os personagens fazendo poses sexys, rsrsrs. E Chris Pratt <3





Ao contrário do primeiro Guardiões, minha expectativa agora está alta. Naquela época eu nunca tinha ouvido falar dessa estória, nem dos quadrinhos, e me lembro de ver o trailer e pensar: que filme bobo! de onde tiraram isso? Claro que depois de assistir eu me apaixonei pelo filme e agora quero muito ver como ficou a continuação (e rever baby Groot!).




Lembrando que o João já resenhou a HQ por aqui, e vocês podem ler ou reler o post, para conhecer a estória ou ir entrando no clima do filme (nesse link).

Vejam como o teaser é contagiante, e imaginem a trilha sonora que vem por aí:


 


Sinopse: Em Guardiões da Galáxia Volume 2, os Guardiões têm que luar para manter sua recém-descoberta família unida enquanto desvendam o mistério da real descendência de Peter Quill. O filme é dirigido por James Gunn e conta no elenco com Chris Pratt, Zoe Saldana, Dave Bautista e ainda Vin Diesel como Groot, Bradley Cooper como Rocket, entre outros.

E só para não perder a oportunidade, que tal rever o fofinho baby Groot dançando? *___*





Este post é válido para o Comentarista Premiado, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

terça-feira, 18 de outubro de 2016

TAG Títulos de livros






















Faz muito tempo que não respondo uma TAG por aqui! E também faz muito tempo que vi essa TAG no blog Fundo Falso, e fiquei com vontade de fazer também =)

Como o nome já começa a explicar, a TAG consiste em responder cinco perguntas sobre os títulos de alguns livros que você tem na estante, vejam:

1. O título mais longo: O orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares



Eu achava que Animais fantásticos e onde habitam era o mais longo, mas acabei descobrindo esse.

2. O título mais curto: It



Duas letras. Nenhum livro meu tem o título mais curto que esse. O próximo seria Sal, da Letícia Wierzchowksi. Detalhe: ainda não li nenhum dos dois.

3. Um título que não tem absolutamente nada a ver com a história: Espíritos de gelo



No meio da estória até tem umas citações a espíritos e tal, mas nada que justifique o título do livro. Ou será que eu não entendi nada? rsrs

4. Um título que descreve o livro perfeitamente: Ghostgirl



Esse livro fala de uma menina que morreu mas que continua entre os vivos em forma de espírito. Título totalmente justificado.

5. O título mais chato: Aftas



Nada contra o título, só que ele me lembra aquelas feridinhas doloridas na boca.

Desafio final: Misture todos os títulos que você escolheu e crie seu próprio título: It no Orfanato da srta Peregrine, entre espíritos de gelo e uma ghostgirl com aftas.

Gostaram? Quero muito saber se vocês curtiram e se vão responder também. Deixem nos comentários suas impressões sobre as minhas escolhas, e, se for reproduzir a TAG, deixem o link para eu visitar. Ah! E não se esqueçam de citar a fonte, Blog Fundo Falso <3


Este post é válido para o Comentarista Premiado, participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen