domingo, 8 de janeiro de 2017

Fala, Rafa! - O lago passageiro


Hoje sou eu que estou mergulhando, e não é em uma piscina rasa como as que já existem, nem em um mar de água salgada, como nas praias, hoje estou mergulhando em um lago que se renova a cada estação. Não sei o nome do lago só o que ele carrega em sua profundidade, nas entranhas de cada gotícula de água. Sua superfície e profundidade é como uma metáfora, aqui dentro consigo ouvir vozes, ver cores, cheirar aromas, e sentir gostos. O mais impressionante é que estou nesse lugar pela primeira vez, antes vivia dentro de uma bolsa com um líquido amarelo. Acabei de lembrar que antes eu não tinha nascido.
Mas que se dane o antes, só o agora importa, seja lá o que passei, daqui pra frente posso escolher o que quero passar, posso sentir - que emoção! - tenho todos os átomos a meu favor. Hoje é o meu dia e estou com disposição para inventar o que já existe e reparar no que ninguém repara, só para dar sentido nesse lago que acabei de entrar.
A mágica aqui é gritar "Hoje será melhor do que ontem", e pular. Nosso maior segredo é apenas um: aprender a viver no lago da via láctea, ele fica na travessia do mundo, dentro do planeta Terra e só entra quem tem vida.
Eu tenho!
Entrei.
Sou alguém extremamente humano, sou alguém que nasce e se decide a cada manhã e, mais importante ainda, acredite se quiser, eu sou você.
Por favor, represente a si mesmo, é só mergulhar, na piscina rasa, no mar conhecido ou no lago do recomeço. Você só deve escolher e

mergulhar!

imagem: SublimeBudd


Este post é válido para o Top Comentarista, participe!


Rafa Peres, resenhista e crônista, mantém o blog Minha Versão das Coisas, onde publica todos os seus textos.
Twitter: @Raafaperes

10 comentários:

  1. Rafa!
    que delícia, hein?
    Devemos mesmo vez por outra poder mergulhar, nem que seja em nosso próprio interior e descobrir todo prazer...
    “O silêncio é de ouro e muitas vezes é resposta.” (Sabedoria popular)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Que fofo... e pensar em quantos mergulhos já damos desde o nascimento.... Pena que as vezes perdemos tempo nadando cegamente por medo de abrir os olhos e aproveitar ao máximo o mergulho

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Belas palavras, arrasou.
    Só o agora importa mesmo. Devemos deixar o passado e parar de pensar só no futuro.
    Vamos viver, vamos mergulhar, vamos aproveitar... É isso ai! Adorei.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  4. Nossa, Rafa!
    Era disso que eu precisava ler nesse final de tarde. Quantas vezes não mergulhamos e nos arrependemos? Temos que nos jogar de cabeça e não apenas molhar a ponta do pé.
    Seu texto é um encanto, eu o amei ♡

    ResponderExcluir
  5. Devemos mergulhar em águas conhecidas, em águas fundas, águas rasas e acho que devemos mergulhar principalmente em águas desconhecidas, não importa se será um mergulho desnecessário ou mesmo nosso último mergulho, só mergulhe!

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Adorei esse texto, realmente devemos nos arriscar a mergulhas nessas águas desconhecidas, para podemos nos encontrar,nos descobrimos e conhecemos, muito legal esse texto ele acaba nos fazendo refletir bastante !!

    ResponderExcluir
  7. Que belo texto, motivador, não ter medo de enfrentar o que vem pela frente, enfrentar o desconhecido, se deixar levar pelas águas. Amei.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  8. O único mar que não devemos ter medo de mergulhar chama-se 'eu'.
    Texto muito legal para se refletir.
    Bjokas

    ResponderExcluir
  9. Que profundo!
    Eu tava precisando lê-lo mesmo.
    Obrigada!!!
    Mexeu lá no meu fundão rsrsrs
    bjs

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!