quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Novembro, 9 [Resenha]


"Fallon conhece Ben, um aspirante a escritor, bem no dia da sua mudança de Los Angeles para Nova York. A química instantânea entre os dois faz com que passem o dia inteiro juntos - a vida atribulada de Fallon se torna uma grande inspiração para o romance que Ben pretende escrever. A mudança de Fallon é inevitável, mas eles prometem se encontrar todo ano, sempre no mesmo dia. Até que Fallon começa a suspeitar que o conto de fadas do qual faz parte pode ser uma fabricação de Ben em nome do enredo perfeito. Será que o relacionamento de Ben com Fallon, e o livro que nasce dele, pode ser considerado uma história  de amor mesmo se terminar em corações partidos?"

Toda vez que pego um livro da Colleen, começo a ler com a expectativa muito alta, e ela nunca me decepciona. Mais uma vez, com Novembro, 9, passei uma madrugada inteira enfeitiçada pelas palavras dela, pela história triste e encantadora que ela criou, e novamente pensei que tudo o que eu quero é também conseguir criar um romance assim.

A protagonista foi vítima de um incêndio, que queimou boa parte de seu corpo, inclusive um lado do rosto, deixando-a com cicatrizes que ela tenta a todo custo esconder. Por isso, sua autoestima não existe mais, e ela se acha feia e quase inútil para qualquer outra coisa, até para continuar seu antigo trabalho de atriz.

O acidente ocorreu no dia 9 de novembro, quando ela tinha dezesseis anos, e agora, com dezoito, Fallon ainda culpa o pai pela tragédia que a desfigurou. No dia do segundo aniversário do incêndio, ela conhece aquele que ia mudar totalmente sua vida, da forma mais inusitada possível: Ben, o jovem escritor que tem a sua idade, e que a faz começar a ver sua própria condição de forma diferente.

Ben é um fofo, como costumam ser os homens nos romances da Colleen, e é impossível não se apaixonar por ele: seguro, diz a coisa certa na hora certa, valoriza a beleza interior de Fallon e não liga para suas cicatrizes. Além disso, ele beija muito bem, e a trata como se ela fosse a mulher mais linda do universo.

"Ele me beija como se quisesse que este beijo fosse lembrado. Por qual de nós dois, não sei, mas deixo que ele receba o máximo que pode deste beijo e dou o máximo que tenho. E é perfeito. Ótimo. Ótimo de verdade." (página 83)

Mesmo estando ainda insegura com sua aparência, Fallon, começa a ouvir os incentivos de Ben, e as palavras dele a ajudam a quebrar o muro que ela mesma construiu a sua volta, isolando-a do mundo. Mas, como nada é perfeito, eles se encontram exatamente na véspera da mudança dela para o outro lado do país, e eles sabem que a despedida será inevitável. Mas a energia entre eles é tão boa que acabam fazendo um trato: voltar a se encontrar no mesmo dia, hora e local pelos próximos cinco anos, sem manter nenhum tipo de contato até lá. Enquanto isso, Ben promete que vai escrever a história deles e pede que Fallon viva a vida normalmente, se valorize e nunca deixe ninguém menosprezar sua aparência.

É estranho, mas nos dois primeiros anos, o reencontro dá certo, e eles vão se apaixonando cada vez mas, ainda que lutem bastante contra isso. Como cinco anos é muito tempo, coisas inesperadas acontecem, e acabam atrapalhando os planos do casal. Ainda assim, eles vão mantendo uma relação que envolve paixão e algumas perguntas que nunca têm respostas. Aos poucos, conforme vão amadurecendo, começam a enxergar tanto a beleza quanto a loucura do namoro estranho que vivem, mas não querem desistir de levar o combinado até o fim, quando terão vinte e três anos.

Como o livro é narrado em primeira pessoa, intercalando um capítulo na visão de cada personagem, a dinâmica de leitura fica ainda mais interessante, pois é possível conhecer os dois lados da história, e entender os sentimentos de Fallon e Ben, assim como suas reações às dificuldades pelas quais passam o tempo todo.

Ao longo da leitura, uma mistura de sentimentos toma o leitor: a paixão dos personagens, a dor de Fallon por causa de sua aparência e do acidente que impediu que ela voltasse a atuar, a ansiedade pelo reencontro e a torcida para que o final seja feliz. Mas além de tudo isso, há trechos que dão um chacoalhão na gente. A essência da história é que devemos agradecer a vida a cada dia, e aproveitar o milagre que nos foi concedido.

O final é uma agonia só. Enquanto Fallon descobre todos os segredos de Ben e se decepciona ao imaginar que foi usada o tempo todo, podemos conhecer a versão dele dos fatos, e tudo é muito bem explicado e aceitável, tornando impossível que o leitor não deseje um felizes para sempre.

"Rio, aliviado, porque ela... simplesmente existe. E porque temos sorte suficiente de existir na mesma época, na mesma região do mundo, no mesmo estado. E depois de todos esses anos, surpreendentemente eu não mudaria nada do que, no fim das contas, nos uniu." (página 254)

Eu amei o toque de poesia que a narrativa tem, e também as referências ao livro Um dia, que também conta a história de um casal que se reencontra sempre na mesma data. A escrita da Colleen é muito fluida e envolvente, e não dá mesmo para largar o livro antes do final. A verdade é que sou apaixonada pelos romances da autora, e sempre recomendo para todos que querem ler uma boa história de amor, sofrimento, drama e final feliz. Cinco estrelas merecidíssimas.


Novembro, 9
Colleen Hoover
editora Galera Record
352 páginas
nota no Skoob:
nota do blog: 5.0


Este post é válido para o Top Comentarista participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen


20 comentários:

  1. Acho bem legal o modelo desse livro, tipo de Um Dia, que na verdade eles nem se viam todos os anos, a história que era contada na mesma data sempre, mas nem sempre eles estavam juntos. Fico ainda mais curiosa exatamente por em Novembro, 9, eles estarem sempre juntos na data. Quero muito conhecer esse casal, e a escrita da Colleen Hoover.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não li Um dia, mas ainda vou ler. Vc tem q ler algo da Colleen, vai se apaixonar, com certeza.

      Excluir
  2. Li dois livros da Colleen e me apaixonei perdidamente pela escrita dela.
    Mal vejo a hora de ter todos os livros dela em minhas mãos rs
    Novembro, 9, parece ser mais uma história e tanto, com personagens muito bem desenvolvidos.
    Uma obra linda, emocionante e muito apaixonante!
    Gostei demais da sua opinião e espero ler o livro em breve.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Caroline!
      Dos q foram lançados no Brasil, já li todos, mas meu preferido é Métrica, foi o primeiro que li, e sou louca por ele. Mas amo todos os livros dela, a Colleen é minha diva.
      Bjos!

      Excluir
  3. Oi Joana, muitas resenhas falam apenas coisas boas desse livro, e você apontou que ele pode de alguma maneira ter deixado a desejar no romance (de maneira bem discreta senti isso), mas que é uma parte racional sua que está dizendo isso, achei muito sincero, e esse diferencial é que me faz querer sempre e sempre estar por aqui, adoro suas resenhas. Bom a capa achei mega linda e saber que tem um fundo parecido com o livro Um dia, (que é um dos que mais amo) me faz querer ler e ver o que tem de diferente. BJks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Adriana!
      Adorei saber q vc gosta das minhas resenhas, muito obrigada! Eu achei mesmo q o foco desse livro não é o romance, mas ele parece mostrar mais o autoconhecimento dos personagens, e como eles vão descobrindo q o q pensavam sobre se apaixonar era totalmente errado. Ainda não li Um dia, mas quero ler.
      Bjos!

      Excluir
  4. Da Collen eu li Métrica, e me decepcionei bastante, mesmo assim quero dar outra chance aos livros da autora. O enredo de Novembro 9 é bem original, e eu fiquei curiosa para saber sobre essa história de eles se encontrarem nessa data. Adoro romances com dois pontos de vista, principalmente quando os personagens estão distantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você gosta de romance, acho q é bom tentar outro livro dela sim. Mas eu amo Métrica, então sou suspeita pra falar qualquer coisa. Foi a partir dele q descobri a autora e me apaixonei pelo trabalho dela. Os dois pontos de vista nos dão um conhecimento amplo dos personagens, e qdo é bem feito, é muito bom.
      Bjos!

      Excluir
  5. amo Colleen, amo os livros dela, e estou super curiosa com este, parece ser um livro otimo e ja esta na minha lista de desejados, quero saber mais da história e cara, aff, quero esse livro, nunca li o livro Um dia, mas gostei de saber quem tem referencia, e amo livros que mostram o ponto de vista dos dois, com certeza vou ler !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raquel, se vc já é fã dela, vai amar esse livro. Tbm não li Um dia, dizem q é muito bom, ainda vou ler.
      Bjos!

      Excluir
  6. Collen é muito rainha. Já lei esse livro e amei. Amei a história as músicas e os personagens. Estou relendo ele agora e amando ainda mais o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ai que lindo! o único livro q reli dela foi Métrica, só não reli os outros por falta de tempo, mas ainda faço isso qualquer dia.
      Bjos!

      Excluir
  7. Nossa agora que sei sobre o que o livro se trata, quero muito ler ele, a trama parece ser linda e envolvente, imagino pelas coisas que Fallon passa, não é nada fácil não gostar de sua aparência por causa de alguma deformidade, no caso dela as cicatrizes, e o Ben pelo visto é lindo e fofo, irei ler em breve.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim Camila, esse livro é tudo de lindo na vida, rsrs
      Bjos!

      Excluir
  8. Oi, Joana!!
    Ainda não li esse livro. E só li um livro da Colleen Hoover que foi o Lado feio do amor. Como gostei muito do livro sem dúvida fiquei bem interessada em ler esse livro também!! Bom espero não me decepcionar!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  9. Eu só um livro da Collen que foi um caso perdido que por sinal foi uma leitura maravilhosa e é claro que como uma admiradora na autora eu me encantei pelo enredo desse livro, por sinal o livro dela que mais quero ler agora é Talvez um dia. Eu senti uma pena da protagonista que teve o rosto desfigurado e nós sabemos que na vida real histórias de amor assim não acontecem todo dia.

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Quero muito ler esse livro, gosto muito da escrita da Collen, e os personagens desse livro logo na resenha me conquistou, parece ser uma historia que nos deixa colocados no livro querendo saber mais e gostei muito dessas passagens de tempo que temos, mesmo deixando o leitor meio angustiado para saber mais, esse livro está na minha lista de leitura !!

    ResponderExcluir
  11. De todos da Colleen, esse é o que mais tenho vontade de ler, mas tenho medo do final ser triste kkkk
    5 anos é muito tempo, genteeeee...
    Da uma agonia de imaginar tudo que os personagens estão vivendo e a falta que um faz pro outro.
    Enfim, parece ser um romance apaixonante, com toques alegres, divertidos, tristes e de superação.
    To tomando coragem pra ler.
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Joana!
    Sou bem fã da autora e gostaria de ler o livro, apesar das ressalvas.
    Não sei se conseguiria encontrar alguém que gosto, apenas de ano em ano e ter de esperar tantos anos para poderem ver se realmente o sentimento é verdadeiro...
    “Não basta saber, é preferível saber aplicar. Não é o bastante querer, é preciso saber querer.” (Johann Goethe)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!