quinta-feira, 9 de março de 2017

Nunca, jamais #2 [Resenha]


"A segunda parte do suspense romântico de tirar o fôlego. Um garoto abre os olhos e sequer se lembra que seu nome é Silas. O telefone toca... 'Encontrou ela? ', pergunta a voz o outro lado da linha. Quem é ela? Quem sou eu? Charlie se vê presa em um lugar parecido com quartos de hospital (ou de um manicômio). Também não se lembra de nada, nem do próprio rosto. O tempo passa e ninguém vem salvá-la. Ela precisa escapar por conta própria. Aos poucos, os dois descobrem que vêm perdendo a memória em períodos cíclicos. E também que se amam imensamente. Numa corrida para descobrir a razão dos apagões em suas memórias, Silas e Charlie acabam descobrindo muito mais sobre si e os mistérios que envolvem suas famílias. Mas muito em breve vão esquecer tudo de novo. E precisam estar juntos para evitar o pior."

Há um ano li a primeira parte dessa história, e o final me deixou louca! Tem resenha aqui, e você podem ler nesse link, para entender um pouquinho sobre como começou o drama de Silas e Charlie. Eles perderam a memória e acordaram de repente sem saber quem eram, sem se lembrar de nada de sua própria vida, e sem imaginar quem são as pessoas que estão ao lados deles e que parecem conhecê-los mais que eles mesmos.

E no final da primeira parte, as autoras nos deixam numa situação bem tensa, sabendo que em breve os protagonistas vão perder a memória novamente, e sem saber o que fazer até chegar essa segunda parte. A sensação que tive é de que eu também perdi a memória naquele momento, e só acordei agora, quando li a continuação da história. Bom trabalho meninas!

Nesse segundo volume, quem acorda primeiro é o Silas, e ele fica totalmente perdido, sem saber como agir, para onde ir e em quem confiar. E o pior, ele logo descobre que Charlie é importante na vida dele e que está desaparecida, ficando a seu cargo descobrir onde a menina está. Mas como começar a procurar uma pessoa que você não sabe quem é? Tudo é muito complicado e  dolorido, o leitor consegue sentir o drama e o medo que envolvem Silas, e o desespero dele em encontrar Charlie para tentar juntar mais algumas peças do quebra-cabeças da sua vida.

"Ainda não sei no que acreditar, porém, quanto mais o tempo passa, sem que eu me lembre de nada, mais começo a considerar que talvez eu realmente tenha apenas um pouco mais de quarenta e sete horas antes que essa situação se repita." (página 16)

Por sorte, eles deixaram para eles mesmos algumas cartas explicando que suas memórias estão sumindo de tempos em tempos, e é só por isso que Silas consegue planejar como agir para descobrir onde Charlie se meteu. Mas ele não se lembra da aparência dela. Para ajudar nessa missão quase impossível, ele ganha a ajuda de seu irmão mais novo, Landon, que, a princípio, acha que Silas está louco, mas, aos poucos, vai aceitando ajudar o rapaz a se encontrar e procurar a namorada.

"- Deixe ver se entendi direito - diz ele, inclinando-se para a frente da mesa. - faz mais de uma semana que você e Charlie andam perdendo a memória. E andam escrevendo cartas para vocês mesmos." (página 115)

Enquanto isso, Charlie está presa num lugar estranho, parecido com um hospital, onde apenas uma pessoa traz sua comida e seus remédios. Ela não se lembra de estar doente nem de ter se consultado com um médico. Aliás, ela não lembra nem do próprio nome. Alguns acontecimentos fazem com que Charlie comece a ter flashes de memória, e ela percebe que precisa fugir de onde quer que esteja sendo mantida refém.

"Eu me sinto mais como uma prisioneira do que como uma paciente.
- Por que estou aqui? - pergunto.
- Não se lembra?
- Eu estaria perguntando se me lembrasse? - retruco." (página 82)

O livro é curtinho, e vai dando um desespero quando as últimas páginas vão chegando, pois nada está resolvido e a gente sabe que o final de verdade vai ficar para o próximo volume. Silas monta um plano para quando eles acordarem desmemoriados novamente, e só nos resta torcer para que, na próxima vez, eles consigam desvendar o mistério da sua amnésia e resolvam os problemas que os afligiam antes de tudo isso começar.

E se no primeiro livro o final já foi angustiante, esperem até chegar a esse: dá vontade de gritar, torturar as autoras para que elas contem logo o final da trama, ou dormir até que a Galera Record publique a terceira parte. Novamente, parece que eu perdi a memória quando li a última linha e acordei sem saber onde estava. Como lidar com essa ansiedade até o próximo livro?

Indico muito a leitura para todos os leitores do blog, porque não se trata de um romance água com açúcar, nem uma trama infanto juvenil sem graça e clichê. Não dá para ler e não torcer para que Silas e Charlie descubram logo o que está acontecendo com suas cabeças, e esse mistério envolve o leitor do início ao fim. Marquem na sua lista de futuras leituras, vocês não vão se arrepender.


Nunca, jamais #2
Colleen Hoover e Tarryn Fischer
144 páginas
editora Galera Record
nota no Skoob: 4.2
nota do blog: 4.8


Este post é válido para o Top Comentarista participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

8 comentários:

  1. Joana!
    Não li o primeiro livro, mas confesso que fiquei bem curiosa por essa continuação, primeiro por causa do romance e depois porque quero saber o que aconteceu com Charlie que está em um lugar estranho e sem memória...
    “Ninguém nasce mulher: torna-se mulher.” (Simone de Beauvoir)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Nunca li nada da Tarryn mas já a Colleen é rainha em destruir meu coraçãozinho rsrs fico louca quando eles tem continuações. Amei a resenha e escolhi não ler os livros até ter todos na mão para não sofrer com o casal. E essa de perder a memória é algo que amo em histórias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai se eu tivesse tido essa ideia antes de ler o primeiro! Vc tá certa, eles são tão curtinhos q a gente lê rápido e fica louca de curiosidades pelo próximo.
      Bjos!

      Excluir
  3. Ainda não li o primeiro livro dessa série, inclusive ainda não li nada da Colleen Hoover, pela resenha parece ser um livro bem interessante e digno de ser lido, principalmente pela história lidar com casos de falta de memória, que é uma coisa que sempre a história mais tocante e com mais vontade de ler ainda.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendo que vc conheça algum livro da Colleen, ela é rainha demais.
      Bjos!

      Excluir
  4. oi ^^
    pow eu to doida pra ler esses livros, mas ainda não tive a oportunidade (lê-e tempo) pq tenho no meu kindle.
    acredita que eu ia ler só pela capa? porque eu não sabia do que tratava-se a história kk
    mas, o fato dos personagens perderem a memória me deixou curiosa, pq afinal isso acontece? XD isso com certeza vai ser suficiente pra me deixar louca até ler.
    gostei da resenha.
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara q vc leia e goste Alice, pq eu adorei!
      Bjos!

      Excluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!