quarta-feira, 5 de abril de 2017

A garota do calendário - março [Resenha]


"Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão da Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Mia vai passar o mês de março em Chicago com o empresário Anthony Fasano, que a contrata para fingir ser noiva dele. A princípio Mia não entende por que um homem tão lindo e másculo precisa de uma falsa noiva."

Mais uma etapa cumprida na jornada de Mia em busca de zerar a dívida de seu pai e salvar a vida dele. Num resumo rápido, a série fala sobre a jovem atriz Mia, que acaba se tornando acompanhante de luxo para levantar dinheiro e pagar o agiota que deu uma surra em seu pai e deixou-o em coma. Para conseguir esse milhão de dólares no prazo máximo dado pelo agiota, um ano, ela vai passar cada mês com um cara diferente, que a contrata para os mais diversos fins. Até agora, em janeiro e fevereiro, ela serviu de falsa namorada para Wes e musa inspiradora para Alec. Agora, em março, Mia foi contratada para posar de noiva do famoso herdeiro dos restaurantes Fasano, Anthony.

Assim que chega à casa do novo contratante, ela se depara com um deus grego de corpo perfeito, moreno, musculoso, alto, tudo que ela poderia querer num homem e, apesar de não ser obrigada a ter relações sexuais com os clientes, ela logo se imagina na cama com ele. Mas, como num banho de água fria, Mia imediatamente descobre que ele é gay, e vive com seu parceiro Hector.

O conflito se dá quando, ao conhecer a família de Anthony, desempenhando o papel para o qual foi contratada, ou seja, de falsa noiva, ela se vê numa situação muito mais complicada do que poderia prever. Hector é amigo da família e está sempre junto com eles, vendo o falso casal fazer planos para o futuro, quando era ele quem queria fazer tudo isso.

Mia se sente mal por estar no meio do relacionamento dos dois, e resolve tentar ajudá-los a se assumir. Mas para Anthony isso não é tão simples, já que, como único filho homem, tem o dever de ter filhos para continuar o nome da família. Ninguém sabe da sua orientação sexual, e ele tem medo de se sair do armário e decepcionar sua mãe, além de por a perder todos os negócios dos Fasano.

Aos poucos, Mia vai ganhando a confiança deles e fazendo-os ver que não é tão complicado assim se assumirem e dizerem ao mundo que estão apaixonados. Entre alguns desentendimentos e saias-justas, ela ajuda Anthony e Hector a se aproximarem ainda mais.

A parte hot dessa história fica por conta do reencontro de Mia com Wes, seu cliente de janeiro, por quem ela se apaixonou. O retorno de Wes foi bem trabalhado e deu um ar descontraído ao enredo, enquanto as cenas de sexo continuam muito quentes e bem descritivas. Há ainda alguns momentos de interação entre Mia e sua irmã, que mostram um lado mais doce e dedicado da protagonista, afastando-a um pouco do estigma de acompanhante de luxo, mostrando que, apesar de estar prestando esse tipo de serviço, ela tem uma vida, como qualquer um de nós.

É uma leitura rápida, assim como os anteriores da série já resenhados aqui, e indicado para quem quer algo descompromissado, nada muito elaborado nem cheio de tramas complicadas. O foco aqui é a evolução pessoal de Mia, sua descoberta e aceitação. Além do sexo, claro. Mas tudo isso dentro de uma narrativa simples e uma escrita muito fluida, sem  floreios. Por isso a minha nota não foi tão alta, mas, dentro do que se espera da série A garota do calendário, esse volume cumpre o seu papel a contento.

A garota do calendário - março
Audrey Carlan
editora Verus
144 páginas
nota no Skoob: 3.8
nota do blog: 3.5


Este post é válido para o Top Comentarista participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

18 comentários:

  1. Joana, apesar dos livros do gênero geralmente não terem muito o que ensinar, quase sempre é apenas uma leitura para descontrair e se divertir, com A Garota do Calendário acredito que tem sido diferente. A cada livro Mia aprende coisas novas, que são passadas também ao leitor. Quero começar a leitura desta serie ainda este ano e espero me surpreender em cada livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A jornada de Mia tem muito a ensinar sim, mas mesmo com esse aspecto, acredito que a série mais entretém do que ensina.
      Bjos!

      Excluir
  2. Oi, Joana!
    Eu tinha certa curiosidade em ler esses livros, mas descobri ser o tipo de leitura que não vai me satisfazer, ainda não me adaptei com o gênero. Mas, fico feliz que você tenha gostado do desenvolvimento, que a leitura tenha funcionado para você e que ela tenha te surpreendido positivamente. Gostei do tema homossexualidade no livro, visto que vários homossexuais sofrem muito com preconceito, e espero que esse livro possa, não só divertir os leitores, mas também abrir um pouco suas mentes.
    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é um dos pontos a se destacar nesse livro; ele pode sim ajudar a pessoas com dificuldade em se assumir, e que estão passando por esse momento de dúvida e medo de decepcionar a família. Gosto do gênero, mas andava meio enjoada desse tipo de leitura, mas decidi ler a série pq os livros são curtinhos e dá pra ler bem rápido. Tenho gostado bastante até aqui.
      Bjos!

      Excluir
  3. Oi Joana,
    Ainda não li nenhum livros desta série, mas estou muito curiosa para conhecer a história de Mia. O fato de serem livros eróticos e de saber que cada mês trará um novo cliente, me fez imaginar diversas situações, mas nada comparado a ser contratada para se fingir de noiva para um cliente gay. Isto, com certeza, dá uma nova dinâmica para a série, pois novos rumos da trajetória de Mia poderão ser explorados. Não tenho grandes expectativas sobre os livros, mas espero que a escrita da autora seja envolvente e divertida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gi, eu tbm comcei a ler a série sem grandes expectativas, encarando os livros como eles se apresentam, uma leitura rápida e de, mas tenho me surpreendido positivamente com eles. Cada um tem um aspecto diferente, e, apesar da protagonista ser a mesma, a autora a insere num universo novo a cada mês, e isso dá muito dinâmica à série.
      Bjos!

      Excluir
  4. Joana!
    A jornada de Mia continua. Fiquei imaginando o tamanho da decepção ao saber que Anthony é gay...
    O bom é que ela irá ajudá-lo ao lado do companheiro para assumirem sua relação diante da família.
    “ O amor é a sabedoria dos loucos e a loucura dos sábios.” (Samuel Johnson)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rudy, a cena em que ela vê o Anthony pela primeira vez é bem interessante, e a descoberta sobre a sexualidade dele foi divertida. Vale a pena a leitura.
      Bjos!

      Excluir
  5. Joana,a maioria de livros do gênero geralmente não me encantam muito, quase sempre é apenas uma leitura para descontrair e se divertir, com A Garota do Calendário acredito que é mais uma série sem profundidade. A cada livro Mia aprende coisas novas, porém ela me parece ainda muito cheia de mimimi e de cenas descontextualizadas na trama. Mas devo ser eu que sou chata, pois muita gente gosta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina Adriana, vc tem o seu próprio gosto, e não é pq muita gente gosta que é bom. Eu estou gostando da série, mas já gostava do gênero antes, apesar de ter andado meio cansada da mesmice das histórias. Essa série me dá um respiro entre uma leitura pesada e outra, sabe? Acho que essa é uma das qualidades dela.
      Bjos!

      Excluir
  6. Oi Joana, tudo bem?
    Confesso que tenho uma relação complicada com essa série. Li apenas Janeiro e até que gostei, mas quando peguei fevereiro para ler, sei lá, a coisa não foi pra frente. Acho que é por conta das cenas hot que não sou muito chegada. Esse terceiro livro parece ser mais descontraído.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc tem razão Pri, março é mais descontraído mesmo. Mas se a leitura não fluiu, dá um tempinho e depois tenta de novo. Talvez não lhe agrade mesmo, mas quem sabe era apenas o momento errado pra ele.
      Bjos!

      Excluir
  7. Oi Joana,
    Ainda não li nenhum livros desta série, e para falar bem a verdade não tenho interesse em ler. Mesmo assim gostei da resenha.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  8. Eu estou lendo essa série e estou gostando!
    Já li esse livro e gostei.
    Mas o primeiro foi o melhor ainda!
    Nada supera Wes e Mia! <3
    Melhor casal ever!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O primeiro é bem mais intenso, e conta bastante sobre a vida dela, mas acredito que a série como um todo será bem interessante.
      Bjos!

      Excluir
  9. eu ainda não consigo me animar com a leitura dessa série
    eu sei que a ideia é algo leve e descompromissado
    mas acho que é muito livro para pouca história...
    então eu deixo passar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro quem tem opinião e conhece seu gosto pela leitura. Acho que se vc não gosta, não deve ler mesmo, e aproveitar seu tempo com algo que lhe agrade mais.
      Bjos!

      Excluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!