sexta-feira, 19 de maio de 2017

Nada se compara a você

onde comprar: Editora Arwen

"Em Bonequinha de Luxo, Holly Golightly teve a sorte de encontrar Paul Varjak. Mesmo sendo uma garota tímida, Kathy Selden conseguiu conquistar o coração do bonitão Don Lockwood em Dançando na chuva. Infelizmente, Tessa não tem a mesma sorte que suas heroínas cinematográficas: aos 24 anos de idade ela coleciona decepções amorosas. Don é charmoso, bem-sucedido e cabeça dura, mas, diferente de Tessa, ele anda se escondendo do cupido. Um dia ele chega à terrível conclusão que relacionamentos casuais não são mais satisfatórios e, pela primeira vez, deseja sentir algo real. Quando os dois se conhecem a química e a atração é inegável. Don se impressiona com os dóceis porém intensos olhos azuis de Tessa, e ela sente a necessidade de se apoderar dos lábios indomáveis de Don. Então, eles resolvem se entregar ao desejo e mal sabem que estão prestes a mudar a vida um do outro para sempre, nessa história narrada sob o ponto de vista do casal. Esse conto real sobre relacionamento nos dias atuais fará o leitor se identificar com os pensamentos dos personagens, afinal, existe um pouco de Don e Tessa dentro de cada um de nós."

Todos os leitores que acompanham minhas resenhas aqui no blog sabem que eu adoro romances, e que tenho até muita tolerância com alguns deles, que não parecem ser muito interessantes no início, mas que acabam surpreendendo no final. Bem, tive que ter muita paciência com esse aqui, pois, ao longo de suas mais de quinhentas páginas, não apresenta nem romance nem ação.

Nada se compara a você é um título que vem carregado de promessas de apresentar uma história muito romântica, acompanhado pelo subtítulo (As vezes, quando menos se espera, o amor acontece) e a sinopse que avisa se tratar de uma história cheia de desejo e amor. Certo, não sei se criei alguma expectativa exagerada, mas não vi esse romance todo no livro. Talvez eu esteja exigindo da história algo que ela não é, mas sinceramente, esperava um romance mais profundo, mais romântico mesmo.

Tessa se deu mal  em todos os relacionamentos que teve. Inclusive, no último namoro, narrado no livro, ela foi trocada por uma promoção que o namorado teria na empresa em que trabalha. Era de se esperar que ela sofresse (pelo menos um pouco) e que se afastasse por algum tempo dos homens. Se não se afastasse, pelo menos fosse mais seletiva, ou mais exigente com quem se aproximasse dela. Mas na primeira vez que ela sai com as amigas para uma balada, ela já se encanta por Don e permite que ela a leve para casa. Tudo bem, ela manteve uma certa distância e eles não fizeram sexo por um bom tempo, mas a partir do momento em que se viram na balada ela já gostou dele e começaram a se relacionar.

Sei que existe amor à primeira vista, principalmente em romances, mas a premissa da personagem era ter sofrido muito com finais de namoros traumáticos e estar escaldada com relacionamentos complicados. Espera-se que, com essas características, a mocinha pelo menos dificulte a aproximação de outro homem.

Por outro lado, Don é um cafajeste, daqueles que Tessa só quer distância. Mas, magicamente, assim que ele olha para ela, sente que deve endireitar. Ele para de ficar com mulheres por apenas uma noite e meio que se guarda para Tessa, mesmo sem saber se a relação vai dar em alguma coisa. Concordo que isso é possível, o cara se apaixonou e só quer aquela mulher, mas a construção dos personagem não fortalece essa mudança.

Então o casal está namorando, e o romantismo não é tão intenso quanto eu esperava. Eles descobrem que se amam, conhecem as famílias um do outro, planejam seu futuro, passam algum tempo juntos, mas não conseguem satisfazer a minha sede de romance. Acho que a descrição da sinopse se concretiza ao longo das páginas, ou seja, "a história é um conto real sobre relacionamento nos dias de hoje". E isso pode ser um ponto positivo. A narrativa opta por mostrar o dia a dia na evolução do namoro, desde aquela primeira fagulha de paixão até a rotina de se amar na saúde e na doença, e não foca no romantismo de um conto de fadas.

Como tudo depende de quem está lendo, esse não é o meu tipo de romance preferido, por isso, demorei tanto para ler o livro. Gosto daqueles casos de amor arrebatadores, que doem quando a gente lê. E esse livro não tem essa característica. Apesar do final feliz, o caminho que leva até ele é muito longo e cheio de obstáculos, que dispersam a atenção do romance principal, mas que mostram muito do que é a vida real de um casal comum.

Apesar de não possui o brilho e o fogo de um romance arrebatador, esse livro tem suas qualidades, e mostra a cumplicidade entre o casal apaixonado, diante de diversas situações que põem à prova seu amor. Acredito que a principal característica dele é mostrar exatamente esse lado sem glamour do amor, os obstáculos e as dificuldades por que passam a maioria das pessoas em busca do seu felizes para sempre.

Nada se compara a você
Alex Well
512 páginas
editora Arwen
nota no Skoob: 3.9
nota do blog: 3.5


Este post é válido para o Top Comentarista participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

Um comentário:

  1. Joana!
    difícil avaliar um romance tido como conto de fadas, sem que o romantismo esteja presente em suas páginas, sem aquela intensidade e furor no coração.
    Acredito que o autor quis mostrar que o verdadeiro amor, aquele para vida toda, seja construído aos poucos, com seus problemas cotidianos para serem enfrentados, até o felizes para sempre.
    Como você, prefiro romances mais arrebatadores.
    “A solidão é a mãe da sabedoria.” (Laurence Sterne)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!