segunda-feira, 17 de abril de 2017

Um pouquinho de...

"Júlio não sabe, só sabe que anda, anda como se as pernas não lhe pertencessem, e quando ele se dá conta é como se elas não pertencessem mesmo a seu corpo, porque não as sente, seus sentidos estão tomados de assalto pelo ambiente. Os ouvidos, pelos vocais de Robert Smith, porque agora você se lembra que o que sai das carrapetas do DJ não é fado, bolero ou tango, mas o bom e velho britpop dos eighties, para ser específico 'Charlotte Sometimes', a canção do The Cure que sempre invadiu seus ouvidos com uma sensação arrebatadora, mas que agora é perturbadora, incômoda, labiríntica, como se tirasse os seus pés do chão, não de arrebatamento extático, mas como se fosse um ataque de labirintite, um terremoto dos sentidos, um impacto profundo no ouvido interno, um soco na cara da realidade que quase faz com que seus olhos saltem de tão arregalados para tentar ver além do véu de Maya que embaça tudo à sua frente, e enquanto isso ele anda por entre as pessoas no ambiente apertado e sufocante."

(páginas 2 e 3 - este conto já foi resenhado no blog, leia clicando aqui)


Este post é válido para o Top Comentarista participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen



quinta-feira, 13 de abril de 2017

Charlotte sometimes [Resenha]

onde comprar: baixe gratuitamente no site da Editora Draco

"Conto do autor veterano de dicção científica Fábio Fernandes, originalmente publicado em Interface com o Vampiro. Um homem, uma noite, um bar. O que ele faz ali? Entre os vapores do gelo seco e as névoas da amnésia, Júlio busca uma resposta para tantas dúvidas que o assombram. Mas ele pode não gostar do que vai encontrar entre os escombros da sua memória - ou será a memória de outra pessoa?"

Esse foi o conto mais envolvente que li essa semana. Já começa como se o leitor estivesse dentro de um sonho, dando exatamente aquela sensação de entrar numa cena, do nada, e de repente se dar conta de que está lá. O protagonista acha que está numa boate, mas se lembra de que aquele lugar fechou há muito tempo, então ele fica em dúvida sobre se o que está vivendo é real ou ilusão. Ele também reencontra uma mulher que, depois descobrimos, não poderia estar ali. E o ritmo da narrativa também é frenético e confuso, não permitindo que o leitor faça  a distinção entre realidade ou sonho.

Gostei muito da escrita do autor e da velocidade que ele deu à narrativa. Tudo é muito rápido, caótico, desconexo. As coisas que acontecem são estranhas, mas também podem ser muito reais, e isso é que faz do conto uma ótima leitura. O autor utilizou muito bem o ambiente da boate para dar aquele clima meio enevoado e sombrio que o sonho transmitia, e o final é exatamente como sair dele de repente. Dá até aquela vontade de fechar os olhos e tentar voltar para a mesma parte que estava antes de acordar.


Este post é válido para o Top Comentarista participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Despertar de um sonho [Resenha]

onde comprar: baixe gratuitamente no site da Editora Draco

"Conto de Melissa Sá, autora da distopia Metrópole. Ilio é uma pessoa especial, podendo manipular a realidade com o poder da mente. Mas quando o mesmo sonho intenso lhe invade as noites, despertar para a dura realidade de um mundo morto só é possível pois nele pode estar uma revelação do futuro."

Esse conto é quase um spin-off da série Metrópole, então, quando comecei a ler fiquei um pouco perdida. Foi como cair de paraquedas em algo que já estava em andamento, mas aos poucos a leitura vai envolvendo e a coisa começa a clarear. Os personagens estão vivendo num mundo pós-guerra, embaixo da terra, pelo que demonstra a descrição do lugar, e todos trabalham numa sociedade organizada por habilidades. Por exemplo, a amiga de Ilio, Sara, tem facilidade para cuidar de pessoas, por isso, é aprendiz de curandeira. Mas Ilio parece um tanto divergente, e não emprega seu dom no trabalho: ele é telepata, mas prefere atuar na limpeza. Sua telepatia mostra, sempre no mesmo sonho, uma garota que ele não conhece, e que, de repente aparece no lugar. O problema é que ela parece não conhecê-lo, enquanto ele acredita que ela é especial.

A história é curta, porém, complexa, com Sara meio atrapalhada e Ilio cheio de conflitos internos e externos. Ele tem um rival chamado Hector, que o humilha em certo momento do conto, deixando claro que não o deseja ali, talvez por inveja de seus poderes psíquicos. Isso mostra a habilidade da autora, já quem em poucas páginas conseguiu criar um conflito entre os personagens e lançar no leitor a curiosidade sobre quem é a menina misteriosa dos sonhos de Ilio e se eles vão ser importantes um para o outro. Acredito que isso se deva resolver em Metrópole.


Despertar de um sonho
Melissa de Sá
13 páginas
editora Draco
nota no Skoob: 4.1
nota do blog: 4.3


Este post é válido para o Top Comentarista participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

segunda-feira, 10 de abril de 2017

The Schroedinger Show [Resenha]


"Conto de ficção científica de Carlos Orsi, autor de As dez torres de sangue. Quando a avançadíssima indústria cultural do futuro resolve explorar os paradoxos da mecânica quântica, toda a galáxia treme."

O conto, que faz parte dos Contos do Dragão da Editora Draco, retrata uma época futurista, onde a ciência e a física estão muito mais evoluídas que hoje, e a tecnologia é muito avançada. Um astro pop muito famoso toma conhecimento da experiência do Gato de Schrödinger, que basicamente trata de um paradoxo: o gato na caixa pode estar vivo ou morto ao mesmo tempo, só se descobre a verdade quando a caixa é aberta (O Sheldon fala sempre dela em The Big Bang Theory, mas você também pode ler mais sobre o assunto clicando aqui). Então esse super astro que, aparentemente, é um pouco mimado, no sentido de sempre conseguir o que quer, decide por à prova o experimento e anuncia que fará um Schrödinger Show, estando ao vivo em diversos planetas da galáxia ao mesmo tempo, o que causou furor não só entre seus fãs mas também entre a comunidade científica. Chegaram a falar sobre golpe, alegando que o cantor só queria arrecadar mais dinheiro, já que não tem como estar em mais de um lugar ao mesmo tempo. O final disso tudo deu o que falar.

Gostei muito do conto, desse ar futurista e do uso de gírias como se elas fossem um movimento retrô que estaria na moda. Mas fiquei muito curiosa para conhecer mais desse universo e para saber outros detalhes do pop star convencido. O conto é bem curtinho, e deixa um gosto de quero mais. O autor poderia ter aproveitado a boa ideia e desenvolvido a história, pois a impressão que fica é de que tudo termina muito de repente. Se essa foi a intenção dele, está de parabéns.


The Schroendinger Show
Carlos Orsi
editora Draco
7 páginas (conto)
nota no Skoob: 2.7
nota do blog: 3.0



Este post é válido para o Top Comentarista participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

quarta-feira, 5 de abril de 2017

A garota do calendário - março [Resenha]


"Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão da Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Mia vai passar o mês de março em Chicago com o empresário Anthony Fasano, que a contrata para fingir ser noiva dele. A princípio Mia não entende por que um homem tão lindo e másculo precisa de uma falsa noiva."

Mais uma etapa cumprida na jornada de Mia em busca de zerar a dívida de seu pai e salvar a vida dele. Num resumo rápido, a série fala sobre a jovem atriz Mia, que acaba se tornando acompanhante de luxo para levantar dinheiro e pagar o agiota que deu uma surra em seu pai e deixou-o em coma. Para conseguir esse milhão de dólares no prazo máximo dado pelo agiota, um ano, ela vai passar cada mês com um cara diferente, que a contrata para os mais diversos fins. Até agora, em janeiro e fevereiro, ela serviu de falsa namorada para Wes e musa inspiradora para Alec. Agora, em março, Mia foi contratada para posar de noiva do famoso herdeiro dos restaurantes Fasano, Anthony.

Assim que chega à casa do novo contratante, ela se depara com um deus grego de corpo perfeito, moreno, musculoso, alto, tudo que ela poderia querer num homem e, apesar de não ser obrigada a ter relações sexuais com os clientes, ela logo se imagina na cama com ele. Mas, como num banho de água fria, Mia imediatamente descobre que ele é gay, e vive com seu parceiro Hector.

O conflito se dá quando, ao conhecer a família de Anthony, desempenhando o papel para o qual foi contratada, ou seja, de falsa noiva, ela se vê numa situação muito mais complicada do que poderia prever. Hector é amigo da família e está sempre junto com eles, vendo o falso casal fazer planos para o futuro, quando era ele quem queria fazer tudo isso.

Mia se sente mal por estar no meio do relacionamento dos dois, e resolve tentar ajudá-los a se assumir. Mas para Anthony isso não é tão simples, já que, como único filho homem, tem o dever de ter filhos para continuar o nome da família. Ninguém sabe da sua orientação sexual, e ele tem medo de se sair do armário e decepcionar sua mãe, além de por a perder todos os negócios dos Fasano.

Aos poucos, Mia vai ganhando a confiança deles e fazendo-os ver que não é tão complicado assim se assumirem e dizerem ao mundo que estão apaixonados. Entre alguns desentendimentos e saias-justas, ela ajuda Anthony e Hector a se aproximarem ainda mais.

A parte hot dessa história fica por conta do reencontro de Mia com Wes, seu cliente de janeiro, por quem ela se apaixonou. O retorno de Wes foi bem trabalhado e deu um ar descontraído ao enredo, enquanto as cenas de sexo continuam muito quentes e bem descritivas. Há ainda alguns momentos de interação entre Mia e sua irmã, que mostram um lado mais doce e dedicado da protagonista, afastando-a um pouco do estigma de acompanhante de luxo, mostrando que, apesar de estar prestando esse tipo de serviço, ela tem uma vida, como qualquer um de nós.

É uma leitura rápida, assim como os anteriores da série já resenhados aqui, e indicado para quem quer algo descompromissado, nada muito elaborado nem cheio de tramas complicadas. O foco aqui é a evolução pessoal de Mia, sua descoberta e aceitação. Além do sexo, claro. Mas tudo isso dentro de uma narrativa simples e uma escrita muito fluida, sem  floreios. Por isso a minha nota não foi tão alta, mas, dentro do que se espera da série A garota do calendário, esse volume cumpre o seu papel a contento.

A garota do calendário - março
Audrey Carlan
editora Verus
144 páginas
nota no Skoob: 3.8
nota do blog: 3.5


Este post é válido para o Top Comentarista participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen

domingo, 2 de abril de 2017

Top Comentarista abril + resultado março










Olá leitores! Voltamos com mais top comentarista e livro de presente para um leitor fiel e sortudo, rsrs.

Em março a adesão não foi tão grande, mas já temos o nome da vencedora. Duas leitores comentaram em todos os posts do mês e cada uma recebeu um número, foi inserido no site random.org, que fez o sorteio de forma automática. Quem ganhou foi...
Giulianna Santicioli, parabéns! Você deve responder nosso e-mail com seus dados para envio e aguardar o livro chegar em segurança na sua casa, conforme as regras do sorteio.

Vamos ao livro do mês de abril, espero que todos vocês participem, apesar da baixa quantidade de posts que anda saindo por aqui:



Além-mundos, de Scott Westerfeld, mesmo autor da quadrilogia distópica Feios. Vocês podem ler a sinopse desse livro no Skoob, clicando aqui. Para participar, sigam as regrinhas:


Comentar nesta postagem com nome de seguidor, e-mail válido e perfil no Facebook ou Twitter  para validar sua participação. É importante que esses dados estejam corretos, pois serão usados para contato com o vencedor. 

Curtir a fanpage do blog no Facebook clicando aqui;

- E claro, comentar em todas as postagens do mês.

Lembrando que:
  • Os posts de sorteios ou resultados de sorteios não valem para o TC;
  • Somente um comentário por post será validado, e ele precisa ser coerente com a postagem: não serão contabilizados comentários do tipo "gostei" ou "participando";
  • O ganhador deverá ter endereço de entrega no Brasil;
  • A promoção começa sempre no dia primeiro e vai até o último dia de cada mês. Mesmo que o post com o TC ainda não tenha sido publicado, valem comentários em postagens anteriores.
  • Se houver empate em número de participantes, o ganhador será definido por sorteio, realizado no site random.org ou no sorteador.com;
  • O ganhador será avisado por email e terá 72 horas para respondê-lo. O prazo para envio do prêmio é de 45 dias úteis, contados a partir da resposta do e-mail, e o blog não se responsabiliza por atrasos ou extravios por parte dos Correios;
  • O descumprimento de qualquer uma das regras resultará na eliminação do ganhador.


É isso queridos, boa sorte a todos e força nos dedinhos para comentar muito!


Este post é válido para o Top Comentarista participe!


Joana Masen, quando não está resenhando, pintando e bordando por aqui, está escrevendo poesia no blog Milonga.
Twitter: @joana_masen