segunda-feira, 15 de julho de 2013

Um pouquinho de...


"- Oh, oh! Mais uma cartinha? Quantas já escreveu para Cristiano? Cinco? Dez?
- Cala a boca!
O inimigo rachado ria-se sério, como se fizesse de cada escárnio uma bofetada. Esbofeteada, surrada por ela mesma, Isabel punha no papel todo o tormento e toda a paixão que a perseguiam, que aumentavam a cada dia e a cada carta que renovava o namoro de Rosana e Cristiano. O mesmo papel que, mais uma vez seria entregue pela amiga ao seu querido. E que serviria para aumentar a paixão de um lado e o tormento de outro.
'Ah, tormento que eu não posso confessar...
o que eu escrevo é verdade, eu não minto,
eu declaro tudo aquilo que eu sinto,
e é a outra que teus lábios vão beijar...
Sei que quantomais verdade tem no escrito,
mais distante eu te ponho dos meus braços,
pois desenho o paralelo de dois traços
que na certa vão perder-se no infinito.
Estes versos feitos pra te emocionar
justificam todo o amor que tens por ela
e as carícias que esses dois amantes trocam,
E eu te excito, sem que venhas a notar
que esses lábios que tu beijas são os delas,
mas são minhas as palavras que te tocam...'
- Não! Onde estou com a cabeça? Não posso entregar isto! Cristiano não pode saber que... Nunca! Eu prometi. Preciso escrever outra carta. Outra carta... Ah, Cristiano, eu morro..."


A marca de uma lágrima
página 29

2 comentários:

  1. Tenho muito vontade de ler esse livro, amo Pedro Bandeira!
    Joana, te indiquei para uma tag lá no meu blog! Bjs

    http://beafreebird.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tbm adoro esse autor =D
      Estou respondendo a TAG agora, valeu!

      Excluir

Olá! Que bom ter você por aqui!
Fico feliz em receber seu comentário, crítica ou sugestão. Pode falar a vontade, esse espaço é seu. Acompanhe a resposta ao seu comentário clicando em "Notifique-me".
Obrigada pela visita!